Por: Plantão Brasil 22/11/2014 23:16
Planilhas obtidas pela revista CartaCapital trazem pagamentos feitos a políticos, membros do Judiciário e empresas de comunicação













Reportagem da revista CartaCapital faz uma denúncia gravíssima, aonde traz documentos inéditos sobre a contabilidade do chamado “valerioduto tucano”, que ocorreu durante a campanha de reeleição do então governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998. A matéria, assinada pelo repórter Leandro Fortes, mostra que receberam volumosas quantias do esquema, supostamente ilegal, personalidades do mundo político e do judiciário, além de empresas de comunicação, como a Editora Abril, que edita a Revista Veja.

Estão na lista o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), os ex-senadores Artur Virgílio (PSDB-AM), Jorge Bornhausen (DEM-SC), Heráclito Fortes (DEM-PI) e Antero Paes de Barros (PSDB-MT), e José Agripino Maia (DEM-RN), o governador Marconi Perillo (PSDB-GO) e os ex-governadores Joaquim Roriz (PMDB) e José Roberto Arruda (ex-DEM), ambos do Distrito Federal, entre outros. Também aparecem figuras de ponta do processo de privatização dos anos FHC, como Elena Landau, Luiz Carlos Mendonça de Barros e José Pimenta da Veiga.

Os documentos, com declarações, planilhas de pagamento e recibos comprobatórios, foram entregues à Superintendência da Polícia Federal em Minas Gerais. Estão todos com assinatura reconhecida em cartório do empresário Marcos Valério de Souza – que anos mais tarde apareceria como operador de esquema parecido envolvendo o PT, o suposto “mensalão”.

A papelada chegou às mãos da PF por meio do criminalista Dino Miraglia Filho – advogado da família da modelo Cristiana Aparecida Ferreira, que seria ligada ao esquema e foi assassinada em um flat de Belo Horizonte em agosto de 2000. Segundo a revista, Gilmar Mendes teria recebido R$ 185 mil do esquema. Fernando Henrique Cardoso, em parceria com o filho Paulo Henrique Cardoso, R$ 573 mil. A Editora Abril, quase R$ 50 mil.



Gilmar Ferreira Mendes (Diamantino, 30 de dezembro de 1955) é um ex-advogado, professor, magistrado e jurista brasileiro.

Foi Advogado-Geral da União no Governo Fernando Henrique Cardoso (FHC), sendo empossado ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) em 20 de junho de 2002, por indicação do então Presidente da República do Brasil. Foi presidente do STF de 2008 a 2010. Em 2015 ele se aposenta, e termina sua carreira de forma melancólica, e cercado por denúncias de corrupção, veiculados por diversos meios de comunicação do país.

Em matéria de 2012, Carta Capital veiculou diversas denúncias contra Gilmar Mendes. Nela, Mendes é acusado de sonegação fiscal, de ter viajado em aviões cedidos pelo ex-senador Demóstenes Torres, de intervir em julgamentos em favor de José Serra, de nepotismo, e testemunho falso ao relatar uma chantagem do ex-presidente Lula para que adiasse o processo do Mensalão para depois das eleições municipais de 2012. A revista repercute acusações de certos movimentos sociais[quem?] dele ser o "líder da oposição", de estar destruindo o judiciário e de servir a interesses de grandes proprietários. Mendes porém volta a afirmar não ser o líder da oposição.

No dia 31 de maio de 2012, o PSOL protocolou uma representação na Procuradoria Geral da República contra o ministro Gilmar Mendes questionando a conduta do magistrado em relação às denúncias de que teria sofrido pressão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para adiar o julgamento do mensalão. A representação se encontra em curso.

Em setembro de 2010, a reportagem da Folha de S. Paulo presenciou uma ligação de José Serra para Gilmar Mendes. Segundo o jornal, José Serra teria ligado para Gilmar Mendes para pedir o adiamento de uma votação sobre a obrigatoriedade de dois documentos para votar (julgamento de ADI pedida pelo Partido dos Trabalhadores). Gilmar Mendes foi acusado de nepotismo por[quem?]. Em março de 2012, a Folha de S. Paulo revelou que a enteada do ministro Gilmar Mendes é assessora do senador Demóstenes Torres. Segundo a Folha, especialistas afirmaram que o caso poderia ser discutido no âmbito da regra antinepotismo porque súmula do STF impede a nomeação para cargos de confiança de parentes de autoridades dentro da "mesma pessoa jurídica".



Em uma conversa entre o senador Demóstenes Torres e o bicheiro Carlinhos Cachoeira, gravada pela Polícia Federal durante a Operação Monte Carlo, o parlamentar afirma a Cachoeira ter obtido favores junto ao ministro Gilmar Mendes para levar ao STF uma ação envolvendo a Companhia Energética de Goiás (Celg). Considerada a "caixa preta" do governo de Goiás, a Celg estava imersa em dívidas que somavam cerca de R$ 6 bilhões. Segundo reportagem do Estadão, Demóstenes disse a Cachoeira que Gilmar Mendes conseguiria abater cerca de metade do valor com uma decisão judicial, tendo "trabalhado ao lado do ministro para consegui-lo". O ministro Gilmar Mendes também foi acusado por Carta Maior - O portal da esquerda de ter relações com o contraventor Carlinhos Cachoeira e seu amigo Demóstenes Torres. O ministro porém negou ter viajado em avião de Cachoeira e apresentou documentos que, segundo ele mesmo, desmentem tais acusações.

O ministro foi acusado em abril de 2011 pelo seu ex-sócio e ex-procurador-geral da República Inocêncio Mártires Coelho por desfalque e sonegação fiscal. Mendes recebeu, a seu favor, um parecer assinado pelo advogado-Geral da União, Luís Inácio Adams, o qual valida o despejo de Mártires Coelho do cargo de gestor do IDP. O denunciante deu o processo por encerrado em troca da quantia de R$ 8 milhões.

Paulo Lacerda, ex-diretor da Policia Federal e da Abin, envolvido no escândalo dos grampos da Operação Satiagraha, foi acusado por Gilmar Mendes de estar "assessorando" o ex-presidente Lula. Lacerda afirmou que se Mendes de fato disse isso, esta seria uma informação "leviana, irresponsável e mentirosa". A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) manifestou solidariedade a Paulo Lacerda. Nem o grampo, nem o áudio do alegado grampo, jamais foram encontrados pela Polícia Federal, que arquivou o inquérito que apurava referidas alegações.

Em 2012 o Estado de São Paulo veiculou a informação de que Gilmar Mendes representou à Polícia Federal para "abertura de investigação contra a Wikipédia" no Brasil, por considerar que o verbete estaria "distorcido", acreditando que não deve haver referência à matéria de Carta Capital. Segundo o Ministro "o verbete deve ser estritamente informativo sobre o biografado, sem absorver avaliações de terceiros ou denúncias jornalísticas".

Em 2010 o Ministro Gilmar Mendes, representado por advogados do IDP, teve o seu pedido de indenização por danos morais contra a revista Carta Capital negado pela juíza Adriana Sachsida Garcia, da 34ª Vara Cível de São Paulo. Segundo a juíza "se os fatos não são mentirosos, não vejo fundamento jurídico para coibir o livre exercício do questionamento e da crítica pela imprensa. Ainda que daí possa decorrer 'efeito colateral' em desfavor do autor."


O Comando do 11º BPM em Itapipoca, que tem a frente o Major PM Ricardo Moura, vem sendo destaque em relação aos demais batalhões (31) que compõem os Batalhões da CPI Norte e Sul do Estado do Ceará, além dos Batalhões especializados e este destaque é em decorrência das prisões em flagrante, feitas somente no mês de Novembro/2014, logo após a prática do delito que totalizam 154 prisões com flagrante, sendo quatro mandados de prisão, todos executados sem a necessidade de nenhum disparo de arma de fogo.

A circunscrição do 11º BPM fica distribuída assim:
Paracuru até Jijoca de Jericoacoara,
Pentecoste até Irauçuba, 
São Luiz do Curu até Itapagé.

Os municípios que compreendem o 11º BPM são:
Itapipoca, Tejuçuoca, General Sampaio, Apuiarés, Pentecoste, Acaraú, São Luis do Curu Paraipaba, Umirim, Trairi, Paracuru, Irauçuba, Itapajé, Uruburetama, Marco, Bela Cruz, Cruz, Itarema e Jijoca.

Em conversa com o editor deste blog, o Major Ricardo Moura, diz que este resultado satisfatório é o método de "Polícia na Rua" em rondas ostensivas, seja nas Sedes dos Municípios e nas Zonas Rurais, “geral” (vistoria e buscas) em carros, motos e pessoas suspeitas, investigação e levantamento (Serviço de Inteligência - "Reservado") logo após a prática dos delitos, apoio intensivo do COTAR, FTA, CPI NORTE, confiança da população dando as informações, e o resultado é o satisfatório que beneficia a população em segurança, tranquilidade e paz. Ainda de acordo com as informações do Major Ricardo Moura, o trabalho é intensivo aos homicidas, traficantes, pessoas com armas de fogo, veículos roubados, roubo de gado e criação ou qualquer que seja o delito. O comandante lembra ainda que a polícia está na rua e que não vai dar trégua para a bandidagem, seja em qual for o município da circunscrição do 11º BPM.

O Major Ricardo Moura, pede que a população sempre denuncie e que estará sempre presente nas operações policiais com os seus comandados em toda a região e deseja a todos um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo de muita paz, tranquilidade e segurança.

Confira o Vídeo

José Ribamar Trindade Jornalista

Em quem acreditar? Estamos vivendo momentos terríveis em se tratando de roubalheira do dinheiro público. As reportagens políticas viraram pautas policiais e estão nas manchetes todos os dias e em todos os meio de comunicação. Os cálculos de todos os roubos podem chegar a mais de R$ 1 trilhão por ano. Dinheiro suficiente para construir dois hospitais e duas escolas em nível de primeiro mundo nas capitais, e um hospital e uma escola em cada uma das cidades brasileiras em um ano. 

Prestem atenção: A roubalheira também põe em risco a soberania e a nossa democracia. Democracia conseguida com muito suor, muitas lágrimas e muito sangue. Enquanto, políticos e pessoas que se envolvem com a vida pública pobres de marré, marré, marré e ficaram ricos do dia para a noite. Quem são eles?

O pior em toda essa roubalheira, é que nenhum ladrão do dinheiro público fica de fato na cadeia cumprindo sua pena como se fosse um assassino ou sequestrador... Embora presos, os bandidos do colarinho branco: políticos, empresários, advogados, ministros, juízes, secretários de estado, policiais, prefeitos, vereadores, funcionários do judiciário sempre tem uma desculpa na pronta da língua ou um advogado muito bem pago e muito bem instruído para dizer: “Meu cliente nega tudo e vai provar sua inocência". Todos tem ciência e consciência da impunidade.
  
Mesmo os condenados. Isso é uma exceção, pois são muito poucos; todos sabem que não serão obrigados a devolver o dinheiro que roubaram da merenda escolar. Daquele leite de meninos e meninas nas escolas. Dos medicamentos dos idosos e das crianças. Da construção de hospitais e das escolas para melhorarmos as condições de nossa saúde pública. Dinheiro para também melhorar a nossa educação. Aliás (apesar das propagandas governamentais pagas com o dinheiro do povo que paga seus impostos), a Saúde e a Educação do Brasil são as piores dos países que querem sair do Terceiro Mundo.
  
Enquanto, os governantes são obrigados a construírem cadeias, penitenciárias federais, celas para presos especiais. Aqueles mesmos bandidos do colarinho branco que não podem ficar entre os bandidos que chamam de comuns, embora os do colarinho branco sejam tão perigosos quanto os que roubam até mesmo um pedaço de pão para comer ou dos que assaltam um banco.
  
Lugar de bandido, qualquer que seja o bandido é na cadeia. Essa é uma opinião generalizada de todos os brasileiros honestos. Sem essa de político-empresário, ou qualquer bandido do colarinho branco ter mais direitos do que outros bandidos. Aliás, os bandidos que vão presos de verdade são fabricados pelos bandidos que ficam nos gabinetes ou atrás de distintivos e fardas de uma Polícia paga com o dinheiro do povo de todas as classes sociais, pois todos, pobres ou ricos pagam seus impostos. Impostos que já vem embutidos em tudo que se compra e se paga neste país, do Oiapoque ao Chuí.
  
É muito triste sabermos que um Político ganha mais de R$ 100 mil por mês para não fazer nada entre salários e porcentagens ou comissões de Emendas Parlamentares destinadas a alguma obra, e ainda se envolvem em roubos, pois acham pouco. É muito triste sabermos que um senador da República recebe mais de R$ 40 milhões por ano e ainda se envolve com roubos ou dá cobertura a quem rouba.
  
É muito triste sabermos que partidos políticos fazem propaganda de suas propostas e chamam a comunidade para se filiar, quando na realidade querem engrossar suas fileiras para cobrar mais dinheiro, poder e cargos do Governo Federal, que destina alguns milhões anualmente para os partidos mais fortes e também para os considerados nanicos realizarem suas “farras”.
  
Se vocês nãos sabem, existem políticos, que como qualquer bandido nunca trabalharam. Nunca tiveram suas carteiras profissionais assinadas. A maioria sempre viveu de esmola nos gabinetes das Assembleias Legislativas, das Câmaras Municipais, ou de Prefeituras. Muitos conseguem dinheiro dos partidos, principalmente nos períodos eleitorais.
  
São os famigerados cabos eleitorais. Aqueles que vendem até a alma deles e de seus eleitores em troca de dinheiro de campanha e nunca resolveram a situação e os problemas dos eleitores, que a cada dia se afundam mais na miséria.
  
Muitos até arrumam emprego, mas para os outros, menos para eles, é claro, pois só sabem “mamar” nas tetas gordas dos governos: federal, estadual ou municipal. Esse tipo de gente é sustentada com o dinheiro que os políticos roubam do bolso dos brasileiros e que deixa de beneficiar o pobre.
  
Não é surpresa para ninguém, que o Governo, o Congresso, as Assembleias e as Câmaras Municipais estão recheadas de políticos cassados por todos os tipos de delitos e depois de alguns serem presos pela Polícia Federal, ainda conseguem se eleger em outras eleições. Algumas pessoas, inclusive determinados jornalistas que cobrem a área política neste país, alegam, que o povo brasileiro vota em político ladrão porque não sabe votar.
  
Mentira. O povo brasileiro sabe votar sim. O povo só não tem como rejeitar R$ 100 reais na véspera de uma eleição quando ele está passando fome. Aliás, existe uma história real contada por um ex-prefeito de Cuiabá. Depois de construir mais de 20 obras, uma mais grandiosa que a outra no Jardim Vitória, o prefeito teve a maior decepção de sua vida política: foi traído pelo dinheiro.
  
Dois dias antes das eleições para deputado estadual, um candidato que nunca pisou no Jardim Vitória mandou uma equipe financeira para lá e o resultado foi estarrecedor em favor do desconhecido candidato a deputado. Ele que nunca os eleitores viram a cara, teve quase 2.000 (dois mil votos), enquanto o nosso prefeito não conseguiu, sequer 100 votos.
  
Também é bom lembrar, que De Gulle, ex-presidente das França foi duramente criticado quando anunciou, sem medo de errar e de ser feliz: “O Brasil não é um país sério”. Agora um estrangeiro funcionário da Fifa foi ainda mais corajoso: “O Brasil precisa de um chute no traseiro”. Os dois estavam. Aliás, os dois estavam não, estão certos. Basta olhar para o que o quadro negro da corrupção, tem apresentado ao povo brasileiro. Tinha gente brigando para estar à frente do dinheiro da Copa, não porque é nacionalista, ou por que gostava de futebol, mas porque queria roubar.
  
Em diversos Estados e Municípios, por exemplo, os Ministérios Públicos, Federal e Estadual, além das Polícias Federal e Civil precisam dar uma resposta à sociedade sobre uma montanha de dinheiro que foi roubada dos cofres públicos. É um escândalo atrás do outro e ninguém vai preso, muito menos devolvem o dinheiro que roubou e quando isso acontece, é muito pouco...

José Ribamar Trindade - Jornalista

Vamos nessa:

Aqui no Ceará por exemplo, diversos municípios foram envolvidos com as empresas do "Moraizinho" um esquema de corrupção em processos licitatórios (LICITAÇÃO A PORTA DA CORRUPÇÃO), descoberto pelas autoridades que fiscalizam os desvios de dinheiro público, enriquecimento ilícito e meteórico; municípios investigados pela Polícia Federal nas diversas operações já desencadeadas, e o TCM, PROCAP, Ministérios Públicos, Federal e Estadual, além das Polícias Federal e Civil, devem continuar esse trabalho e precisam dar uma resposta à sociedade sobre uma montanha de dinheiro que foi e é roubada dos cofres públicos, como vemos acontecer em diversas reportagens nos demais meios de comunicação. É um escândalo atrás do outro e ninguém vai preso, muito menos devolvem o dinheiro que roubam. Vergonha!
O Paquistão acordou hoje de luto, com bandeiras a meia-haste, escolas encerradas e com o início funerais, após o massacre perpetrado pelos talibãs numa escola de Peshawar, no noroeste do país, que fez 141 mortos, na sua maioria crianças.

Vigílias com velas e orações em mesquitas em homenagem às vítimas sucederam-se durante esta noite em diferentes cidades paquistanesas, enquanto em Peshawar se deu início às cerimônias fúnebres que decorrem hoje sob fortes medidas de segurança.

Em Peshawar, capital da província de Khyber, adjacente a zonas tribais redutos dos talibãs e palco frequente de atentados, todas as escolas e centros educativos estavam de portas fechadas.

Em Islamabad todas as instituições governamentais estavam também encerradas, de acordo com meios de comunicação locais.

O Governo reúne-se hoje com os principais partidos políticos para discutir a situação após o ataque, o qual foi qualificado pelo primeiro-ministro, Nawaz Sharif, como uma "tragédia nacional", que declarou três dias de luto.

O líder do partido da oposição Pakistan Tehreek-e-Insaf (PTI), Imran Khan, que liderou protestos e mobilizações nas ruas contra o Governo, também estará presente no referido encontro.

O ataque, teve lugar na manhã de terça-feira, quando um grupo de rebeldes, vestidos com uniformes do exército, entrou numa escola pública militar em Peshawar, iniciando o terror que durou oito horas até que as forças de segurança tomarem o controlo do complexo educativo gerido pelo exército.

Segundo testemunhas e fontes oficiais, os atacantes dispararam e lançaram granadas de sala em sala contra professores e estudantes.

No total, morreram 132 estudantes e nove funcionários da escola. Houve também 122 feridos.

Sete talibãs foram abatidos dentro da escola, alvo do mortífero atentado que foi veemente condenado um pouco por todo o mundo.

O ataque, o mais sangrento ataque terrorista da história do Paquistão, foi reivindicado pelo principal comando talibã paquistanês, Movimento dos Talibãs do Paquistão (TTP).

O TTP declarou ter realizado o ataque em represália pela operação militar lançada em junho e ainda em curso contra os seus esconderijos e os dos seus aliados da Al-Qaida no Waziristão do Norte, zona tribal no noroeste junto à fronteira afegã.


O governador eleito de Minas Gerais, Fernando Pimentel, pretende criar novos mecanismos de combate à corrupção no estado, que foi governado pelo PSDB e pelo grupo do senador Aécio Neves nos últimos doze anos; para isso, ele convidou o controlador-geral do município de São Paulo, Mário Vinícius Spinelli, para exercer função semelhante em Minas; 'xerife' do setor público, Spinelli teve autonomia total de Fernando Haddad e implodiu esquemas pesados como a máfia dos fiscais, que desviou R$ 500 milhões dos cofres municipais; Aécio na mira?


Minas 247 - O governo de Minas Gerais terá novos mecanismos de controle e combate à corrupção a partir da posse de Fernando Pimentel, do PT, em janeiro.

Para isso, ele convidou o controlador-geral do município de São Paulo, Mário Vinícius Spinelli, para exercer função semelhante em Minas. 'Xerife' do setor público, Spinelli teve autonomia total de Fernando Haddad e implodiu esquemas como a máfia dos fiscais, que desviou R$ 500 milhões dos cofres municipais. Leia, abaixo, informação antecipada pela colunista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo:

ENDEREÇO CERTO
O controlador-geral do município de São Paulo, Mário Vinícius Spinelli, pode ser convidado para trabalhar com Fernando Pimentel, que em janeiro assume o governo de Minas Gerais no lugar do grupo do tucano Aécio Neves, que comandou o Estado por 12 anos.

ENDEREÇO 2
A ideia já foi discutida na equipe de transição de governo de Pimentel. E também com integrantes do diretório nacional do PT.

RETROVISOR
Spinelli teria a missão de comandar a controladoria-geral do governo de Minas, repetindo lá o trabalho que fez em SP. No começo da gestão de Fernando Haddad, ele cruzou informações sobre o patrimônio de funcionários públicos. Acabou desmantelando uma máfia suspeita de desviar R$ 500 milhões, causando embaraços à equipe de Gilberto Kassab, antecessor de Haddad, e resvalando até em vereadores do PT. Brasil 247
COISA DE PSICOPATA! 


Na cidade de Leeds, no condado de West Yorkshire, Inglaterra, uma situação alarmou os moradores. Um homem foi flagrado usando um adesivo que simula um ‘sequestro’ na parte traseira de sua caminhonete que cria a ilusão de uma mulher amarrada na parte traseira do carro. A polícia já notificou o dono do veículo. As informações são do Daily Mail.

Os detetives da polícia de West Yorkshire disseram ter falado com o dono do carro, James Hellewell, e após uma conversa com os policiais ele concordou em remover o polêmico adesivo. Hellewell foi avisado de que dirigir por aí com esta imagem poderia ser classificada como uma perturbação da ordem pública. A polícia de West Yorkshire se reuniu com Hellewell e pediu que ele remova a imagem de seu carro. Ao Daily Mail, o inspetor-chefe Steve Palmer, disse: “Era evidente que um número de pessoas tenham achado a imagem ofensiva e se sentiram alarmadas e angustiadas por isso está sendo exibido em público” Segundo a polícia local, a exposição da imagem estava constrangendo a população e foi tratada como “uma ofensa à ordem pública”


A entrega de encomendas com um drone, substituindo transportadoras e motoboys, já é algo que vem sendo planejado para o futuro e testado por algumas empresas, como a Amazon. Aqui no Brasil, uma pizzaria de Santo André (SP) também resolveu utilizar o “veículo aéreo não tripulado” (vant) para levar uma pizza até à casa de um cliente. O teste aconteceu em outubro, mas só agora as imagens foram divulgadas.

O drone sobrevoou o bairro Jardim e levou a pizza até a cobertura de um prédio nas imediações da pizzaria. A entrega foi feita em cinco minutos. De acordo com o sócio-proprietário do estabelecimento Ernesto Júnior ao G1, o tempo seria dobrado caso o trajeto fosse feito com uma moto. Ele diz que os principais problemas são o vento e o peso da pizza. O sabor escolhido para o teste foi o de Pepperoni. “Tem que ser uma mais leve”, disse. Além disso, outras limitações incluem o não envio de refrigerante e/ou máquina de cartão.

Mas essas não devem ser as únicas preocupações para quem pretende utilizar o serviço de entrega por drones. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a Força Aérea Brasileira (FAB) precisam autorizar voos como esse. O que não aconteceu com o teste realizado pela pizzaria de Santo André. Rodrigo Caminiti, da agência digital WebSnap, responsável pela estratégia de colocar o robô no ar, disse que não chegaram a entrar em contato com a Anac por ser um ensaio de voo baixo. Mesmo assim, tanto a Anac quanto a FAB vão averiguar o caso e encaminhá-lo às autoridades competentes ou abrir investigação para punir a pizzaria em caso de irregularidade. Via: Adrenaline

Veja o teste no vídeo abaixo:


Procuradores cobram deles a devolução de mais de R$ 1 bilhão desviado.
Procurador-geral da República classifica o esquema de “aula de crime”.



O juiz federal Sérgio Moro já recebeu a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal. Os procuradores denunciaram 36 pessoas, a maioria executivos de seis empreiteiras investigadas na operação Lava Jato. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, classificou de "aula de crime" o esquema montado para desviar dinheiro da Petrobras.

Um bilhão de reais. Este é o dinheiro que o Ministério Público Federal pede que seja devolvido aos cofres públicos, resultado da corrupção na Petrobras. Os procuradores denunciaram 36 pessoas. A maioria ligada a seis grandes empreiteiras: OAS, Camargo Corrêa, UTC, Mendes Júnior, Galvão Engenharia e Engevix.

Da OAS foram denunciados: José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS e mais cinco pessoas; da Camargo Corrêa: Dalton Avancini, presidente da Camargo Corrêa e mais duas pessoas; da UTC: Ricardo Pessoa, presidente da UTC e mais um funcionário da empresa; da Mendes Júnior: Sergio Cunha Mendes, vice-presidente executivo da Mendes Júnior mais quatro pessoas; da Galvão engenharia: Dario de Queiroz Galvão Filho, presidente da Galvão Engenharia mais três pessoas; e da Engevix: Gerson Almada, vice-presidente da Engevix e mais três pessoas. 

As acusações se referem apenas a fraudes em contratos da diretoria de abastecimento da Petrobras, que era comandada por Paulo Roberto Costa. Ele e o doleiro Alberto Youssef também foram denunciados.

“Essas pessoas roubaram o orgulho dos brasileiros. A complexidade dos fatos nos leva a intuir a dimensão da investigação”, fala o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O esquema, segundo os procuradores, funcionava assim: a Petrobras pagava as empreiteiras. Essas empreiteiras simulavam contratos com empresas de fachada, controladas pelo doleiro Alberto Youssef. Essas empresas recebiam o dinheiro das empreiteiras e repassavam a propina. Parte da quantia era sacada em espécie, no Brasil e outra parte, depositada em contas no exterior.

"O que nós descobrimos foi que as empresas simularam um ambiente de competição, fraudaram o ambiente de competição e em reuniões secretas se reuniam e definiam quem iria ganhar a licitação e quais as empresas que participariam de cada licitação. Nós sabemos que existia um regulamento do funcionamento desse cartel dissimulado na forma de um regulamento de campeonato de futebol e mesmo existia uma divisão de mercado dos contratos que cada empresa ganharia como se fossem prêmios de um bingo. Mas diferentemente do que acontece num bingo, em que ninguém sabe quem vai ganhar, nesse caso existia um jogo de cartas marcadas em que todo mundo sabia, por parte das empresas, quem ganharia e quanto ganharia”, diz o procurador Deltan Dallagnol.

Segundo o Ministério Público Federal, os denunciados cometeram os crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A pena mínima é de 11 anos de prisão e a máxima, de 51 anos. Agora, as denúncias vão ser analisadas pelo juiz federal Sergio Moro. Se ele aceitar essas denúncias, os acusados passam a réus do processo. 

“Com essas acusações, o MPF começa a romper a impunidade de poderosos grupos que tem se articulado contra os interesses do nosso país há muitos anos. O trabalho não para aqui, as investigações continuam. Nós estamos numa guerra contra a impunidade e contra a corrupção”, completa Janot.

A Camargo Corrêa afirmou que agora poderá conhecer todos os elementos do processo, e que espera um julgamento justo e equilibrado. A Engevix declarou que vai prestar os esclarecimentos necessários à Justiça. A Galvão Engenharia, a Mendes Júnior, a UTC e a OAS não quiseram se pronunciar.
Por Paulo Nogueira, no blog Diário do Centro do Mundo:

Deu a louca no Jô?

Nos últimos programas, ele tem dito coisas que não estão no roteiro do pessoal da Globo.

A última delas foi uma defesa da “biografia impecável” de Dirceu perante um pelotão de velhas senhoras furiosas.

Não vejo Jô, e para ser sincero não me interessa a razão pela qual ele tem saído do trilho da Globo.

Mas vi um vídeo de pouco mais de um minuto em que ele falou de Dirceu.

O que mais me chamou a atenção ali foi uma frase de Jô simples, banal, ordinária – mas ignorada por supostos sábios do país.

Jô disse mais ou menos o seguinte: “O sujeito vê uma notícia num jornal e já sai fazendo julgamento.”

Como dizia Danusa, per-fei-to.

Lembro de um celebrado voto, no Mensalão, em que o magnífico juiz começava assim: “Não se passa um dia sem que a gente abra os jornais e encontre um escândalo.”

O juiz mostrou ser um mentecapto. Porque, sabemos todos, jornais mentem, jornais inventam escândalos, jornais fazem o diabo para liquidar seus inimigos.

Claro: não apenas jornais. Mas também revistas, rádios, telejornais.

Ou você lê com cuidado e senso de crítica a mídia ou você vira um revoltado online, ou um Lobão, e vai para Brasília lutar por coisas das quais não faz a mais remota ideia, como a emenda fiscal.

Não é de hoje esse comportamento da imprensa. Mas ele se exacerbou desde que o PT subiu ao poder. Aconteceu antes com Getúlio, na década de 50, e com Jango, nos anos 60.

Todo dia, sob Getúlio e Jango, você abria os jornais e encontrava escândalos. Lacerda consagrou a expressão “mar de lama”, contra Getúlio.

O tempo mostraria que grande parte da lama era inventada para sabotar governos com foco nos mais pobres.

Como por milagre, quando está no poder um amigo dos donos da mídia, a lama desaparece. O país parece que recebeu um fabuloso banho de Omo.

Aquele juiz que usou os escândalos noticiados pelos jornais em seu voto no Mensalão ficaria satisfeito, em sua ingenuidade boçal, ao ver que somos mais limpos eticamente que a Escandinávia.

Enquanto isso, a rapinagem grassaria sob sua toga monumental sem que ele tivesse ciência.

Felizmente, para a sociedade, surgiu a internet para colocar fim, na prática, ao monopólio das grandes empresas jornalísticas.

Nem Getúlio e nem Jango contaram com um contraponto ao massacre da imprensa. Visionário, Getúlio criou a Última Hora, e a entregou ao grande Samuel Wainer, mas era um jornal numa multidão de outros dedicados a tirá-lo do poder.

Não sei, repito, o que está acontecendo com Jô. Cansaço de ficar ao lado de sabotadores como Jabor, Merval et caterva?

Insatisfação com a Globo, que decidiu tirar sua plateia e pode suprimir também o sexteto?

Só Jô pode dar a resposta correta.

A mim, pouco importa.

O que quero sublinhar é seu acerto ao dizer, a seu jeito: amigos, tomem cuidado com o que lêem na imprensa.

Postado por Blog do Miro

Comissão Especial da Câmara dos Deputados deve aprovar revogação do Estatuto do Desarmamento brasileiro nesta quarta-feira; para virar lei, projeto exige sanção presidencial

Desde que o Estatuto do Desarmamento entrou em vigor, em 2004, dezenas de projetos tramitaram no Congresso Nacional tentando derrubá-lo. Entretanto, nenhum deles se aproximou tanto de atingir o objetivo quanto o Projeto de Lei 3722/2012, de autoria do deputado federal Rogério "Peninha" Mendonça. Com o objetivo de trazer de volta à legalidade o porte de armas e facilitar a aquisição de revólveres e afins a interessados, o PL deve ser votado ainda nesta quarta-feira (10) por uma Comissão Especial do Legislativo. Caso aprovado, será encaminhado ao Senado e, posteriormente, à presidente, a quem cabe a decisão de sancioná-lo.

Divulgação
Armas e munições apreendidas na semana passada pela PF com grupo de extermínio na Bahia


"Se vetarmos armas, logo logo vamos fazer o mesmo com carros", diz o peemedebista Peninha, ao comparar a letalidade de automóveis à de revólveres e pistolas. "Na minha cidade, no interior catarinense, outro dia uma mulher foi dar ré e atropelou o próprio filho. Ou seja, não é só a arma de fogo que mata. Na minha opinião, ela mais protege e, se estiver guardada, com munição separada, só traz aspectos positivos à vida do portador. Mas acidentes acontecem."

Sancionada pelo então presidente da República Luís Inácio Lula da Silva no dia 22 de dezembro de 2003, a Lei 10.826 aumentou a rigidez do controle de armas no País em relação à norma anterior, a 9437/97 – responsável por criar o Sistema Nacional de Armas, cujo objetivo foi dificultar o acesso a esses objetos e criar um controle maior sobre seus registros e portes no País.

Assim, de 2004 anos para cá, civis passaram a ter direito a armas de fogo somente quando guardadas em suas residências ou locais de trabalho. Circular com elas pelas ruas, mesmo em veículos particulares, passou a ser proibido. Campanhas de desarmamento foram promovidas com ampla divulgação do governo, levando parte da população até então armada a abrir mão de seu "arsenal".

De acordo com dados do Ministério da Justiça, de 2004 até o último domingo (7), 662.147 armas foram entregues por civis ao governo em troca de incentivo financeiro. Obstáculos também se somaram para dificultar ainda mais a aquisição de armamentos de fogo por civis, que passaram a enfrentar burocracia de meses para consegui-los e, em parte das vezes, viram a solicitação de porte vetada pelas autoridades.

É o que procura mudar o novo Projeto de Lei. Além do porte e da facilidade de aquisição, o PL aumenta de seis para nove o número de armas que cada cidadão pode ter; revoga a possibilidade de perda de porte caso o dono esteja embriagado com uma arma; derruba os testes periódicos que comprovam a aptidão da pessoa de continuar usando-a; eleva de 50 para 600 o número de munições que podem ser compradas anualmente; e reduz de 25 para 21 anos a idade mínima para se solicitar o porte.

O discurso dos defensores da medida é embasado principalmente no fato de, teoricamente, o projeto respeitar o desejo da maioria da população em relação ao tema. Para isso, tanto legisladores quanto representantes da sociedade civil citam enquetes virtuais, além do próprio Referendo de 2005, quando 63,94% da população brasileira votou contra a proibição total de vendas de armas a civis (mantendo a lei estabelecida no Estatuto do Desarmamento).

"O projeto do Peninha traz controles, fiscalização, e, principalmente, garante a aplicação daquilo que ficou provado no Referendo: a garantia de que o cidadão que queira ter armas as tenha", diz Bené Barbosa, presidente do Viva Brasil, um dos movimentos que defendem abertamente o uso de armas pela população como medida de proteção pessoal.

O grupo mantém uma campanha permanente em sua página na internet solicitando que seus apoiadores votem em enquetes promovidas pelo Legislativo a respeito do assunto. Até terça-feira (9), pesquisa no site da Câmara dos Deputados contava um total de 204.790 votos sobre o tema – 86,48% deles favoráveis à revogação das regras atuais.

"Sem arma, seja na rua, em casa ou em qualquer outro lugar, a chance de proteção é zero. E a população entendeu isso em 2005, quando foi chamada, obrigada pelo próprio governo a votar e depois viu o Estatuto ser mantido em vigor. Se o voto popular é o que vale temos de respeitá-lo."

Divulgação
O deputado Rogério "Peninha" Mendonça, autor do projeto que tenta revogar o Estatuto de 2003


"Bancada da bala"
Com a iminência da votação pela Comissão Especial, dezenas de ONGs (Organizações Não-Governamentais) se juntaram para fazer um apelo contra a revogação das regras atuais. No final de novembro, o Instituto Sou da Paz, que participou ativamente da elaboração do Estatuto mais de uma década atrás, protocolou uma carta aberta endereçada ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN), e ao presidente da Comissão Especial que analisa a questão, Marcos Montes (PSD/MG), pedindo a rejeição do projeto.

Também assinam o documento outras organizações de direitos humanos, como a Conectas, a Viva Rio, o Instituto Igarapé, além de especialistas em segurança pública, como André Garcia, Álvaro Fajardo, Luiz Eduardo Soares e Renato Sergio Lima.

"Um dos maiores avanços do Estatuto foi a proibição do porte de armas para civis. A reação armada a assaltos é, em geral, mal-sucedida. Mesmo policiais treinados morrem reagindo. Todos os especialistas em segurança pública concordam com isso. E a forma como a indústria apela para dizer que o porte leva segurança ao portador é um conceito muito falso", avalia Bruno Langeani, coordenador de Sistemas de Justiça e Segurança Pública do Sou da Paz.

"Também existe o problema de o projeto não ter passado pelas comissões necessárias (de Segurança Pública, de Direitos Humanos, da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania). Assim, ele se focou em ouvir colecionadores de armas, associações de pecuaristas, representantes da indústria de armas, ou seja, gente que não tem nada a ver com o assunto. Os atores de real importância, como secretários de segurança pública e o próprio Exército, foram ignorados."

As ONGs contrárias ao Projeto de Lei também enfatizam a ligação dos deputados da Comissão com a indústria armamentista, tornando-a parcial. No total, dez dos 19 legisladores titulares que debatem a medida foram financiados por empresas do setor nas Eleições de 2010, 2014 ou em ambas. Entre eles, o presidente, Marcos Montes (PSD/MG); o 1º vice-presidente, Guilherme Campos (PSD/SP); e o 2º vice-presidente, João Campos (PSDB/GO).

"Nunca fui motivado por ninguém ligado à indústria e jamais recebi sequer um tostão dela", ameniza "Peninha", o autor do projeto. "Evidentemente, a indústria quer uma mudança na lei para vender mais. Mas o problema é que o Estatuto atual só fortalece o contrabando. Como o bandido, o marginal, consegue armas? Ora, obviamente este Estatuto acaba sendo aplicado apenas contra o cidadão comum, porque o cara contra a lei sempre consegue uma forma de adquirir a sua arma."

Não é, no entanto, o que mostram estudos do Sou da Paz. Pesquisa encomendada há um ano, por exemplo, mostrou que 78% de todas as armas apreendidas no Brasil são de origem nacional. Em sua maioria, fabricadas antes da aplicação do Estatuto do Desarmamento.

Além disso, diferente do estudo "Banir armas poderia reduzir assassinatos e suicídios?", publicado pela distante mas eminente Universidade Harvard, dos EUA, e usado como embasamento pelos defensores do uso de armas de fogo no País para mostrar a suposta falta de relação direta entre liberdade de porte e número de homicídios, o Sou da Paz e seus parceiros se defendem citando outra pesquisa, nacional, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), publicada em 2013. Segundo ela, o índice de mortes por armas de fogo caiu 12,6% em dez anos no País, do início da restrição às armas em território brasileiro até o ano passado.

"O Estado com mais cidadãos armados não tem menos crimes. Não há correlação entre os dois, o que já está mais do que provado", diz Langeani. "Agora, em relação aos homicídios, fica claro que quanto mais armas, mais mortes. E é isso o que queremos evitar." Via: Último Segundo 

Representação foi protocolada por PT, PC do B, PSB e PSOL.
Deputado disse à colega que não a estupra porque 'ela não merece'.

Fernanda CalgaroDo G1, em Brasília
Jair Bolsonaro (PP-RJ)
PT, PC do B, PSB e PSOL ingressaram nesta quarta-feira (10) com uma representação no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados na qual pedem a cassação do mandato do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ).

Nesta terça, em discurso no plenário da Câmara, Bolsonaro disse que que não estupra a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque "ela não merece”.

O ataque foi reação a um discurso da petista contra a ditadura. Militar da reserva, Bolsonaro repetiu a mesma ofensa dirigida a Maria do Rosário em 2003, quando os dois discutiram em um corredor da Câmara.

Na representação, os partidos pedem a cassação do mandato parlamentar por quebra de decoro parlamentar. Eles argumentam que Bolsonaro, “de forma reincidente, discrimina, induz e incita a discriminação étnica, racial e de gênero”.

O documento afirma ainda que o deputado “ameaça veladamente” a deputada de estupro e que a gravidade do episódio “caracteriza uma situação de verdadeira perseguição, discriminação odiosa, incompatível com as responsabilidades e atribuições do parlamentar”.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), uma das signatárias ao lado do presidente do PT, Rui Falcão, do deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) e do presidente do PSB, Carlos Siqueira, afirmou que a Casa precisa reagir para “não tornar impossível a convivência” dentro da Câmara.

“Ele [Bolsonaro] vai se transformar num agressor contumaz e a impunidade piora as agressões a cada dia a ponto de que essa ultrapassou todos os limites. Nem na cadeia o estuprador é tratado como qualquer outro criminoso”, afirmou.

O Conselho de Ética informou que deverá ser designado um relator na semana que vem, mas que o processo será suspenso no final do mês e poderá ser desarquivado no ano que vem.

Confira a agressão:

Joel Santana foi pego de surpresa com a demissão do Vasco da Gama. O treinador, inclusive, desabafou em entrevista ao ESPN.com.br nesta terça-feira. A reportagem apurou ainda que a iniciativa de mandar o treinador embora foi inteiramente do presidente Eurico Miranda, que mandou seu vice de futebol, José Luiz Moreira, dar o aviso ao comandante. Marquinhos Santos foi contratado para ganhar menos da metade.

Eurico Miranda decidiu sozinho demitir Joel Santana
Novo presidente do Vasco, Eurico já começou a mandar e desmandar em São Januário. E deu a exata ordem aos seus novos membros do departamento de futebol: não queria mais Joel Santana. Mandou, inclusive, a contratação de um técnico mais jovem e com salário bem menor que o "Papai Joel". O técnico ficou contrariado em ser demitido por terceiros.

"Vieram na minha casa e me comunicaram. Disseram 'quem sabe em um futuro próximo'. E o que eu conquistei? Tiro o time da lama, do esgoto, e sou demitido? Ninguém queria treinar o time assim. Está de sacanagem? Papai Joel não está chateado p... nenhuma. Pois se eles não querem, já tem 10 times me querendo, me ligando aí", desabafou o comandante.

Marquinhos Santos, 35 anos, foi procurado pelo Vasco no fim da semana passada. Ex-jogador da base do Santos, se arriscou como treinador ainda cedo, nas categorias menores do Atlético-PR. Marquinhos Santos será apresentado pelo presidente Eurico Miranda na próxima sexta-feira (12/12), às 11h, em São Januário. Como técnico foi campeão sul-americano pela Seleção Brasileira sub-15 em 2011, campeão paranaense pelo Coritiba em 2013 e campeão baiano pelo Bahia em 2014. A ideia inicial era que o profissional esperasse até sábado a eleição do Coritiba, agora seu ex-clube, mas o técnico resolveu aceitar a proposta ainda na noite desta quarta. Ricardinho, ex-meia do Corinthians e ex-técnico do Paraná, também foi procurado.

Paulo Angioni, Isaías Tinoco e o vice José Luiz Moreira trabalharam em busca de um técnico jovem, que topasse ganhar até R$ 100 mil e com o perfil de saber trabalhar com os juniores. Por isso, a aposta foi em um nome que está ainda começando a carreira à frente do banco de reservas, como era o caso das duas principais opções.

Marquinhos Santos estava ciente da proposta cruzmaltina há alguns dias e sabe que vai ter pela frente um clube sem dinheiro em caixa para contratações. Por outro lado, caso ele não aceitasse a proposta, Ricardinho também foi procurado e aceitaria assumir o Vasco - ele se desligou do Paraná nesta quarta. O novo técnico vascaíno foi anunciado pela diretoria na noite de ontem.

O demitido Joel Santana foi surpreendido com a visita de José Luiz Moreira na manhã desta quarta-feira. O treinador esperava continuar no Vasco em 2015, principalmente por ter trazido o clube de volta à Série A. Mas seu salário era considerado alto por Eurico Miranda, que conseguiu um treinador para ganhar menos da metade, já que "Papai Joel" levava cerca se R$ 250 mil.

Desta forma, o ex-petista - que é acusado de envolvimento com um dos personagens centrais do escândalo na Petrobras - fica inelegível até 2022, como exige a Lei da Ficha Limpa. Único voto contrário foi de José Airton (PT)

Vargas é acusado de envolvimento com doleiro Alberto Youssef
Acusado de envolvimento com um dos pivôs do escândalo de desvio de recursos da Petrobras, André Vargas (ex-PT-PR) teve seu mandato cassado ontem pela Câmara dos Deputados. Com isso, ele não poderá disputar eleições até 2022, como determina a Lei da Ficha Limpa.

A perda do mandato foi aprovada, em votação aberta, por 359 votos -eram necessários 257 votos. Também foi registrado um voto contrário à perda do mandato e seis abstenções. O único que votou contra a cassação de Vargas foi o deputado cearense José Airton (PT), apesar da orientação contrária do partido de apoiar a punição do ex-filiado.

A votação ocorreu apesar de uma operação deflagrada por Vargas e por colegas do PT para tentar derrubar a sessão. Após destituir seu advogado de defesa, o petista enviou um atestado médico ao comando da Câmara alegando que passou por um procedimento cirúrgico e não poderia estar presente para se defender. Solicitou que a votação fosse adiada para depois do próximo dia 16, a um dia do encerramento dos trabalhos do plenário antes do recesso. Aliado de Vargas, o deputado José Mentor (PT-SP) chegou a encerrar a sessão por falta de quórum numa ação tumultuada faltando ainda duas horas para o fim do prazo regimental da reunião.

Mentor aproveitou um desentendimento em relação à presença do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) na Presidência da sessão, tomou a cadeira e declarou o encerramento da reunião por falta de quórum. O gesto irritou o relator do processo, deputado Julio Delgado (PSB-MG), o presidente do Conselho de Ética, Ricardo Izar (PSD-SP), e líderes da oposição que cobraram do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) a reabertura dos trabalhos.

LEIA TAMBÉM

Defesa

Com a ausência de Vargas na sessão, o deputado Eurico Júnior (PV-RJ), que já tinha tratado do caso no Conselho de Ética, leu a defesa do ex-petista em plenário. Ele ponderou os argumentos sustentados por Vargas de que o conselho cerceou seu direito de defesa, baseou-se em provas ilícitas e trocou deputados, no dia da votação, para garantir o quórum e o número necessário de votos para recomendar sua cassação.

Em agosto, o Conselho de Ética considerou que Vargas quebrou o decoro parlamentar por intermediar, junto ao Ministério da Saúde, negócios do doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal na Operação Lava Jato. O parecer do deputado Júlio Delgado também levou em consideração a locação de um avião utilizado por Vargas para passar férias com a família no Nordeste, custeado por Yousseff.

O POVO tentou entrar em contato com o deputado José Airton, mas foi informado que ele estava em audiência no Supremo Tribunal Federal e não poderia atender a reportagem.

Cliente de uma churrascaria em Pentecoste no interior do Ceará, ao abrir uma lata de "FANTA LARANJA" para beber, encontra duas baratas e desde o ocorrido que a empresa COCA COLA BRASIL trata o caso com negligência.

Tobias Saraiva Moura, proprietário da Churrascaria “O TOBIAS” localizada na Rua Padre José Raimundo nº 115 na Cidade de Pentecoste / Ceará, vem sofrendo aborrecimentos e constrangimentos desde a data do acontecido e até mesmo piadas (Os clientes dizem assim: "traga um refrigerante, mas sem barata...") e através de sua advogada Valéria Braga (OAB-CE 10829), abriu processo contra a COCA COLA BRASIL, por danos materiais e morais, com base nos arts. 5º inciso X da Constituição Federal, art. 6º, incisos VI e VIII, e 12 do CDC; e o proprietário da churrascaria, o senhor Tobias agora procurou nosso blog, com documentos e vídeo para mostrar ao público através das redes sociais e pela mídia na internet (nós blogueiros mostramos as coisas como realmente acontecem) o descaso por parte da COCA COLA BRASIL que desde 2013 vem tratando o consumidor com negligência e digo até com falta de respeito, em relação a este caso de duas baratas que estavam dentro de uma lata de refrigerante “FANTA LARANJA”, vale ressaltar que este processo está no Fórum da Comarca de Pentecoste.

Empresa multinacional a COCA COLA BRASIL comercializa bebidas em grande porte e em larga escala por vários países, inclusive aqui no Brasil, e de acordo com o Código de Defesa do Consumidor é qualificada como fornecedora e fabricante e deve ser responsabilizada... Enquanto que o Senhor Tobias fornece alimentos em um pequeno comércio no município de Pentecoste e que na data do dia 13 de Junho de 2013, por volta do meio dia, foi surpreendido por um cliente que o chamou a sua mesa e reclamou que ao abrir uma lata de refrigerante “FANTA LARANJA”, encontrou duas baratas dentro da mesma. Diante de tão grave reclamação, verificou de imediato que realmente a reclamação do cliente tinha procedimento, por ser hora de movimento (almoço), a churrascaria estava cheia de clientes e que várias pessoas presenciaram o fato e inclusive se retirando do local. Foi feito um vídeo com a lata da FANTA LARANJA contendo as baratas e feita uma comunicação ao distribuidor da bebida. O Proprietário fez o Boletim de Ocorrência e também comunicou a vigilância Sanitária do município. 

A COCA COLA BRASIL com endereço no Ceará (Maracanaú), apesar de ter sido comunicada várias vezes, não deu qualquer explicação para o caso de ter baratas dentro da lata de ”FANTA LARANJA”, tendo proposto somente a troca da lata que continha baratas o que não foi aceito pelo proprietário diante de tanto descaso e que ainda guarda a lata de FANTA LARANJA com as respectivas baratas...

Aqui temos dois vídeos, um com o proprietário relatando esta situação e no segundo vídeo feito na hora da reclamação em que foi encontrado as duas baratas dentro da "FANTA LARANJA".

Vídeo acima produzido por Junior Pentecoste

ABAIXO O VÍDEO COM A LATA DE FANTA LARANJA COM BARATAS

Vídeo acima produzido pela Churrascaria O Tobias

É incontestável o prejuízo material e moral deste comerciante pelo fato do caso ter se espalhado por toda a cidade, demonstrando a negligência por parte da empresa. 

Confira na íntegra todo o processo que nos foi apresentado e elaborado pela Advogada da churrascaria "O Tobias":








Esperamos que a COCA COLA BRASIL se manifeste sobre este assunto em respeito aos seus consumidores e clientes.

ATENÇÃO! O repórter e também (radialista, produtor de rádio e televisão), Marcelo Coelho Moreira de 36 anos, que faz parte da equipe de produção de um programa de grande audiência da TV DIÁRIO canal 22, foi agredido covardemente na noite da última quinta-feira (27/11), por policiais à paisana que faziam bico como seguranças privados no SHOPPING IGUATEMI


Segundo à vítima, ele estava indo em algumas lojas dando uma olhada nos preços de produtos de seu interesse, quando percebeu que estava sendo seguido por um homem em vários locais do shopping "cheguei a ficar com medo, por não saber se era um ladrão, um louco ou sei lá o quê." Diz a vítima que chegou a comunicar o fato a um dos supervisores dos seguranças, mais este nada fez à respeito.

Segundo Marcelo ao se dirigir ao estacionamento para aguardar a irmã dele que víria apanhá-lo, o mesmo homem (policial-segurança), que o seguia dentro do shopping, chegou ao local que ele se encontrava juntamente com um comparsa também a paisana no carro (pickup) da segurança do shopping Iguatemi Fortaleza, e o fizeram entrar no carro e o levaram pra um rua atrás do shopping, nas imediações do parque do Cocó. Lá o tiraram do carro, xingando-lhe de negro ladrão ! O revistaram e mesmo sem acharem nada, passaram a agredir-lhe verbalmente, com socos, pontapés, borrifadas de spray de pimenta em seus olhos, boca e nariz. A vítima relata que durante as agressões, "perguntou porquê estavam lhe agredindo ? E os dois lhe disseram que tratava-se de uma suspeita de roubo por ele estar apenas olhando os produtos na loja e não comprar." E desabafa, "E agora somos obrigados a comprar ?" E quem não comprar vai ser agredido então ?" Segundo Marcelo, mesmo apanhando tentava explicar aos dois (policiais-seguranças), que era trabalhador e podia provar. "Os dois só pararam de me bater, quando eu mostrei minha documentação de imprensa." Marcelo ressalta, que antes de deixarem o local os dois ainda o ameaçaram de morte, caso ele viesse a denunciar o caso. 

Sem se intimidar com a ameaça, Marcelo registrou boletim de ocorrência no 2º distrito policial que estava de plantão com expedição de guia para realizar exame de corpo de delito, mais o caso será investigado pelo 26º distrito policial que é a delegacia responsável pelo bairro onde fica localizado o shopping, e que também vai processar o shopping, e denunciar na televisão e jornais. 



Esperamos que pelo fato do referido shopping ser um estabelecimento do grupo Jereissati, cujo presidente tem alta influência política, a sujeira não seja empurrada para debaixo do tapete como já foi feita em outros casos envolvendo o mesmo shopping. 

Diga-se de passagem que essa prática de policiais de folga, fazerem bico de segurança privada particular em estabelecimentos comerciais em geral, igrejas, faculdades e escolas particulares, hospitais particulares situados em áreas nobres de Fortaleza e até em residências de empresários e políticos, é uma prática comum, e contam com a conivência e corporativismo de oficias das companhias de policiamento dos bairros onde atuam.

Por: Hugo Silva.

Narrativa da vítima em sua página no facebook - Marcelo Coelho Moreira (Profissional de Imprensa)

GENTE EVITEM IR AO SHOPPING IGUATEMI FORTALEZA. 
EU FUI PERSEGUIDO POR UM POLICIAL-SEGURANÇA DO SHOPPING. ELE ME SEGUIU EM VÁRIAS LOCAIS DO SHOPPING, CHEGUEI A FICAR COM MEDO POR NÃO SABER SE ERA LADRÃO, UM LOUCO OU SEI LA QUEM. DEPOIS UM GERENTE DE UMA LOJA DE LA, ME INFORMOU QUE ELE É POLICIAL-SEGURANÇA. 
EU FUI ATE O CONCIEGER E RECLAMEI, PEDI AO RESPONSÁVEL PRA TOMAR UMA PROVIDENCIA. 
NO ESTACIONAMENTO ESSE SEGURANÇA VEIO COM OUTRO POLICIAL, AMBOS APAISANAS, ME BOTARAM NO CARRO DE SEGURANÇA DO IGUATEMI FORTALEZA, ME LEVARAM ALI PRA UMA RUA PRÓXIMO AO PARQUE DO COCÓ E ME ESPANCARAM . ME CHAMARAM DE LADRÃO E DE NEGRO. ME REVISTARAM E NADA ACHARAM E MESMO ASSIM CONTINUARAM A ME AGREDIR. JOGARAM SPRAY DE PIMENTA EM MIM (OLHOS, NARIZ E ABRINDO A MINHA BOCA BORRIFANDO SPRAY SEGUIDAMENTE). ME AGREDIRAM NO ROSTO DANDO SOCOS. E DISSERAM QUE PELO FATO DE EU NÃO COMPRAR ALGO NAS LOJAS EU ESTAVA SENDO SUSPEITO DE ROUBO. 
EU NÃO POSSO IR SÓ PASSEAR NO SHOPPING? EU NÃO POSSO IR SÓ PESQUISAR OS PREÇOS? AGORA SOMOS OBRIGADOS A COMPRAR SENÃO SOMOS AGREDIDOS FISICAMENTE? 
SÓ PARARAM DE ME BATER QUANDO EU. MOSTREI MINHA DOCUMENTAÇÃO DE RADIALISTA ( REPÓRTER DE TV, LOCUTOR DE TV, RADIO E PRODUTOR DE TV ). 
ME AMEAÇARAM DE MORTE. ESTOU PROCESSANDO O SHOPPING IGUATEMI FORTALEZA. E DIVULGAREI NAS TVS ( LOCAL E NACIONAL ). 
POR FAVOR COMPARTILHEM E ME AJUDEM NA DIVULGAÇÃO E PUNIÇÃO. MUITO.OBRIGADO. FORTE ABRAÇO E FIQUEM COM DEUS .
Idealizado pelo Poder Judiciário de Pentecoste, ainda na década de 2000 o tradicional torneio do Servidor Publico de Pentecoste-CE entrou em sua 13ª edição neste ano de 2014, trazendo uma nova roupagem com um numero recorde de equipes e sucesso total de publico todas as noite no Ginásio Poliesportivo o Carneirão.


A Sejuve Pentecoste, através do Secretário Régis Gato, realizou o evento durante os dias 25, 26 e 27 de novembro, com método de competição estilo “mata-mata”, onde chegaram a grande final no ultimo dia (27) da competição as equipes da SECRETARIA DE EDUCAÇÃO X SECRETARIA DE AÇÃO SOCIAL no futsal feminino, e PROFESSORES do ESTADO X POLICIA MILITAR no futsal masculino.

*FUTSAL FEMININO:
1º Lugar - Secretaria de Educação
2º Lugar - Secretaria de Ação Social
3º Lugar - Secretaria de Saúde

*FUTSAL MASCULINO:
1º Lugar - Policia Militar/PM
2º Lugar - Professores do Estado
3º Lugar - Prefeitura de Pentecoste (Administração/Agricultura e Meio Ambiente)

Após a premiação coletiva, tivemos as premiações individuais, onde foram entregues ainda os prêmios de artilheiro(a), melhor goleiro(a), aos técnicos(as)e as revelações do evento em uma solenidade de premiação contando com um grande publico nas arquibancadas, que aplaudiram de pé aos atletas/servidores que abrilhantaram o evento.

*FUTSAL FEMININO:
GOLEIRA: Luana/Secretaria de Educação
ARTILHEIRA: Janiele e Daniele/ Secretaria de Educação
SUPERAÇÃO: Terezinha/Secretaria de Saúde

*FUTSAL MASCULINO:
GOLEIRO: Diogo Duarte/Professores do Estado
ARTILHEIRO: João Victor/Professores do Estado
SUPERAÇÃO: Claudio/Prefeitura de Pentecoste
GOLEIRO REVELAÇÃO: Junior Pentecoste/Prefeitura de Pentecoste

Decisão por pênaltis: Professores do Estado x Polícia Militar (Campeão)


Goleiro da Prefeitura (3º lugar) Junior Pentecoste, foi a revelação do Torneio defendendo pênaltis e fechando o gol, apesar da idade (49) e o peso (107kg).


Fica aqui também externado o agradecimento a todos que colaboraram para mais este grande momento esportivo, da Prefeitura Municipal de Pentecoste, aos servidores públicos, os árbitros e mesários, a toda equipe da Sejuve/Pentecoste pelo grande trabalho realizado e principalmente a população de uma forma geral. Até a próxima edição de 2015.

Informações: Sejuve/Pentecoste
Um crime passional foi registrado no interior do Ceará, o fato ocorreu por volta de 01 hora da madrugada desta quarta-feira (26) na residência do casal na Rua Pedro Ferreira Nunes 205, Bairro José Geraldo da Cruz, na Cidade de Juazeiro do Norte. 

A enfermeira, Maria Janaína Nonato dos Santos Moreira, de 32 anos, matou o seu companheiro com um tiro de revólver calibre 38 e depois ela praticou o suicídio, de acordo com as investigações preliminares no local do crime, ela matou o marido enquanto o mesmo dormia e a arma foi encontrada com dois cartuchos deflagrados. Antes, porém, a mulher escreveu uma carta endereçada a sua mãe, pedindo perdão pelo ato e que cuidasse da filha (confira a carta na íntegra) e que também efetuasse alguns pagamentos, bem como tomasse algumas providências. 

O marido era José Ivan Gonçalves Moreira, 40 anos, policial militar conhecido como Sd Ivan que trabalhava na Penitenciária Industrial e Regional do Cariri e estava de licença médica.
Ainda de acordo com as investigações, uma suposta traição motivou este homicídio seguido de suicídio. Conforme o tenente-coronel Wellington Alves, comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Janaína havia lido uma carta de uma suposta amante a Ivan.

A polícia encontrou pouco mais de R$ 3 mil reais em espécie e ainda 2 celulares. Este material foi recolhido e entregue à Delegacia Regional de Juazeiro do Norte, que ficará responsável pelo caso.

Carta deixada por Maria Janaína:






Com informações "S2"

O torcedor vascaíno sofreu ao acompanhar as inúmeras derrapadas do time na Série B, imaginou o pior, mas finalmente respirou aliviado. E o momento mais importante do ano não poderia ter outro desfecho. Com mais uma atuação irregular e debaixo de vaias ao apito final, o Cruzmaltino empatou com o Icasa por 1 a 1 - gols de Kleber e Nilson - e confirmou o retorno à elite em um Maracanã lotado neste sábado.

A campanha recheada de tropeços fez a possibilidade de título se esvair rodadas atrás. Mas os 63 pontos conquistados e o 3º lugar na tabela foram suficientes para garantir a tímida festa no palco que sediou por tantas vezes títulos históricos. Entre lágrimas e canções exaltando a história centenária, ficou uma certeza aos torcedores que acompanharam a segunda disputa de Série B desde 2009: o desejo de retomar a trajetória de vitórias e jamais vivenciar novamente drama semelhante.

Fases do jogo: 
O Vasco partiu com tudo para cima do Icasa logo no início do jogo. No ritmo da arquibancada, o time enfileirou três oportunidades de gol antes mesmo dos 5min. As chances viraram combustível para a torcida e empolgaram a equipe. Mesmo assim, o cuidado com os contragolpes dos visitantes era imprescindível.

Aos 11min, Douglas acertou um belo voleio. Busatto espalmou. Aos 19min, novo lance de perigo em arremate de Maxi Rodríguez e conclusão precipitada de Douglas. O Icasa respondeu aos 22min. Mauri puxou contra-ataque e cruzou rasteiro. Nilson chegou atrasado e a bola passou quase por cima da linha. Aos 23min, Martin Silva fez defesa espetacular em chute de Mauri.

A angústia cruzmaltina terminou aos 34min. Depois de tanto insistir e deixar a torcida aflita, Douglas cobrou falta e Kleber testou livre para o fundo gol. O Maracanã explodiu ao som de "Vamos subir, Vasco". A partir daí, a expectativa pelo apito final cresceu ainda mais. Porém, ainda era necessário aguardar todo o segundo tempo.

E os 45 minutos finais começaram com um susto. Aos 9min, Nilson aproveitou disputa de bola e chutou do meio da rua no ângulo de Martin Silva. O empate esfriou a torcida do Vasco. O clima de tensão foi até o último minuto de jogo. Os donos da casa pouco criaram, foram vaiados nos piores momentos, principalmente ao término do jogo, mas respiraram aliviados. O Club de Regatas Vasco da Gama está de volta à primeira divisão do Campeonato Brasileiro.


O melhor: Kleber - Autor do gol do Vasco, o jogador se apresentou, teve dificuldades com a defesa adversária, mas o esforço foi recompensado.

O pior: Thalles - O atacante do Vasco colecionou erros e foi insistentemente vaiado pela torcida no segundo tempo até ser substituído por Edmilson.

Chave do jogo: O gol marcado por Kleber no primeiro tempo deu ao Vasco a vantagem necessária para empatar e cumprir o objetivo do acesso.

Para lembrar: O Vasco viveu o drama da Série B por quase um ano. O time foi rebaixado em 8 de dezembro de 2013 e tardou a garantir o retorno à elite. Desde os episódios de violência em Joinville no jogo que resultou na queda até o esperado alívio, o clube de São Januário enfrentou protestos da torcida, instabilidade, demissão de técnico, eleição presidencial, mas finalmente voltou ao grupo principal do Campeonato Brasileiro, no qual possui quatro títulos (1974, 1989, 1997 e 2000), sendo considerado um dos principais vencedores.

VASCO 1 X 1 ICASA

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Auxiliares: Paulo Cesar Silva Faria (MT) e Fabio Rodrigo Rubinho (MT)
Renda: R$ 1.662.405,00
Público: 49.559 pagantes; 56.334 presentes
Cartões amarelos: Ivonaldo, Nilson, Júnior Barros e Lucas (Icasa)
Gols: Kleber, aos 34min do primeiro tempo, Nilson, aos 9min do segundo tempo

VASCO
Martin Silva; Carlos César (Lorran), Rodrigo, Luan e Diego Renan; Guiñazu, Fabrício, Douglas e Maxi Rodríguez (Lucas Crispim); Thalles (Edmilson) e Kleber
Técnico: Joel Santana

ICASA
Busatto; Naylhor, Marco Tiago e Gilberto; Ivonaldo, Neto, Mauri, Lucas e Zeca (Bismark); Júnior Barros (Nubio) e Nilson (Roger)
Técnico: Vladimir de Jesus