NO SEGUNDO MANDATO ELA AJUSTA AS CONTAS

Saiu no site Muda Mais:

EM UMA SEMANA, JN TEVE 16 REPORTAGENS NEGATIVAS PARA DILMA, E UMA PARA AÉCIO

Levantamento divulgado esta semana pelo MANCHETÔMETRO mostra que supostas denúncias contra o PT despertam três vezes mais atenção da mídia tradicional que os casos envolvendo políticos do PSDB. Ao longo de 2014, 567 reportagens trataram de “escândalos” com participação de petistas, contra 187 em que apareciam quadros tucanos.

Neste ano foram tratadas no noticiário seis denúncias de cada um dos partidos, segundo os dados reunidos pelos integrantes do Laboratório de Estudos de Mídia e Esfera Pública, sediado no Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). A contabilidade envolve apenas a mídia impressa, com Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e O Globo.

Envolvem o PSDB o aeroporto de Cláudio, em Minas Gerais, construído com dinheiro público do governo estadual para beneficiar um tio do ex-governador Aécio Neves, com apenas 13 reportagens no escopo analisado; a corrupção no Metrô de São Paulo, com 28 matérias, e o desdobramento específico do caso Alstom, com 22; o mensalão tucano, com 18 textos; e, por fim, a seca do sistema Cantareira, em São Paulo, com 106 reportagens.

Já os petistas são citados pela denúncia de uso da estrutura dos Correios para a campanha de Dilma, com 3 textos; o mensalão, com 128; a alteração de informações do perfil da Wikipedia da analista econômica Miriam Leitão, da Globo, com nove reportagens; e o caso mais volumoso em termos numéricos, todos envolvendo Petrobras e empresas públicas, como a denúncia contra o doleiro Alberto Yousseff, acusado de pagar propinas a políticos, com 106 matérias, situações envolvendo a presidenta da estatal, Graça Foster, com 32, e a petrolífera em si, com 289.



A retomada dos dados de 2010 oferece outra base de comparação interessante. Naquele ano eleitoral, houve apenas uma temática de denúncia contra o PSDB, que rendeu 82 reportagens, contra seis assuntos e 1.501 textos contra o PT.

Os responsáveis pelo Manchetômetro fizeram também um recorte temporal para as denúncias. Os gráficos mostram que a diferença de interesse entre as denúncias contra petistas e tucanos aumenta à medida que se aproxima a disputa eleitoral. Em setembro foram 99 reportagens desfavoráveis ao governo de Dilma Rousseff, contra 13 negativas a Aécio Neves e políticos do PSDB – no mês anterior, o placar foi de 96 a 34, e ficou em 35 a 27 em julho. A Petrobras, sozinha, contabilizou 62 reportagens negativas no mês que antecede a disputa eleitoral.

No caso do PSDB, a última citação ao aeroporto construído por Aécio na fazenda do tio se deu na primeira quinzena de agosto. No final de julho surgiu a última reportagem sobre o mensalão tucano, e data da semana entre 17 e 23 de agosto a última citação às denúncias de corrupção no Metrô paulista. O caso mais frequente no noticiário envolvendo os tucanos é o do colapso do sistema de abastecimento de água do estado comandado por Geraldo Alckmin: são 13 reportagens em setembro.

No tratamento geral, consideradas todas as reportagens, o Manchetômetro mostra que Dilma Rousseff continua a receber tratamento diferente do dedicado aos demais adversários nesta reta final de primeiro turno. No Jornal Nacional, a presidenta sofreu 16 reportagens contrárias entre 25 de setembro e 2 de outubro, contra uma de Aécio e nenhuma da candidata do PSB, Marina Silva. Nos meios impressos, a Folha de S. Paulo publicou sete textos negativos para a petista e um para a ex-ministra, ao passo que O Globo teve placar de 27 a um, com uma reportagem desfavorável a Aécio e uma a Marina. Já O Estado de S. Paulo dedicou 33 textos a críticas à candidata à reeleição, dois ao tucano e um a Marina.

Originalmente postado na REDE BRASIL ATUAL.


Leia também:




Fonte: Coversa Afiada

A presidente do TRE-CE, desembargadora Iracema do Vale, comunicará, oficialmente, hoje, a decisão ao Comando da 10ª Região Militar e ao Governo do Estado. De início, cinco cidades contarão com reforço policial

Intervenção é "medida extrema",
afirma o ministro do Tribunal Superior Eleitoral
O segundo turno das eleições no Ceará, marcado para o próximo domingo, dia 26, contará com o reforço de tropas federais na segurança. A informação foi confirmada ontem, com a divulgação do despacho do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), João Otávio de Noronha.

O documento autoriza a presença de forças da União nos municípios de Fortaleza, Caucaia, Maranguape, Maracanaú e Pacatuba, todos na região metropolitana.Há a possibilidade, ainda em aberto, de policiamento extra nas cidades de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha (Cariri cearense), Sobral (Zona Norte) e Itatinga (região metropolitana).

O pedido de reforço partiu do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) após denúncias feitas pelo governador Cid Gomes (Pros) de que “uma milícia dentro da polícia” estaria atuando para “fins politiqueiros”.

Após o primeiro turno, vieram a público críticas ao modelo de atuação dos policiais no dia do pleito. Especificamente, em relação ao fato de viaturas ficarem estacionadas, em vez de circularem pelos locais de votação. 

Para as autoridades eleitorais cearenses, o modelo adotado pela cúpula do setor pode ter dificultado a inibição de crimes eleitorais.

No primeiro turno, a polícia realizou 48 procedimentos de crimes eleitorais contra a chapa do candidato governista Camilo Santana (PT), apoiado por Cid - entre elas a detenção de dois vereadores da base aliada por suposta compra de votos.

Por sua vez, a campanha do adversário Eunício Oliveira (PMDB) registrou 11 casos de detenção por crimes eleitorais.

No texto do ministro, é destacada a concordância do governador em relação à vinda das tropas. Segundo Cid, é “salutar e fortalecedora a solicitação de atuação das Forças Armadas”.

Queda de braço

Nestas eleições, a segurança pública transformou-se em um dos principais motes de campanha. Cid enfrenta desgaste com os policiais desde uma greve em 2011, que parou a categoria por seis dias na virada do ano. 

O tema foi responsável por votações expressivas tanto para a Assembleia Legislativa quanto para a Câmara dos Deputados.

Vereador em Fortaleza, Capitão Wagner Sousa (PR), desafeto do governador após liderar a greve, foi o deputado estadual mais votado da história do Estado, com mais de 190 mil votos.

1. DESPACHO

“A intervenção de força federal é medida extrema, devendo ser tratada com as cautelas previstas na legislação. Presta-se a garantir a votação, a apuração das eleições e o cumprimento da lei e das decisões judiciais (art. 23, XIV, do CE)”, diz trecho da decisão do ministro do TSE, João Otávio de Noronha.

2. JUSTIFICATIVA

O Ministério Público Eleitoral (MPE) justificou o pedido destacando os seguintes aspectos: “notório acirramento de ânimos entre o grupo político liderado do governador Cid Gomes e o do seu opositor, Capitão Wagner, eleito deputado estadual no primeiro turno” e “atuação incipiente das forças de segurança do Estado durante a realização do primeiro turno, omitindo-se ou sempre chegando aos locais da prática de crimes eleitorais - boca de urna e corrupção eleitoral - após a sua consumação”.

3. OFÍCIO

Hoje, a presidente do TRE-CE, desembargadora Iracema do Vale, deve enviar ofício ao Comando da 10ª Região Militar e ao Governo do Estado para tratar dos detalhes da operação.

4. CONJUNTO

As forças federais devem atuar conjuntamente com as forças estaduais.Ainda não há informação pública sobre contingente nem linha de comando da operação.

"Presta-se a garantir a votação, a apuração das eleições e o cumprimento da lei e das decisões judiciais"

João Otávio de Noronha, ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Via: O Povo
Fiscais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) apreenderam, no último sábado, 18, material da campanha do candidato Aécio Neves, durante evento católico no aterro da Praia de Iracema. Ao todo, 168.000 folders vinculando o candidato à imagem de Nossa Senhora e 75 camisas azuis (com a inscrição Muda Brasil) foram recolhidos. 

Os materiais estavam distribuídos em 20 caixas, conforme o TRE. Para denúncias de irregularidades, interessados podem ligar para o número 148 ou preencher formulário eletrônico no site do TRE-CE e nos cartórios eleitorais do Estado.



"O instittuto Datafolha divulgou, nesta segunda-feira, mais uma pesquisa sobre a sucessão presidencial; agora, a presidente Dilma Rousseff tem 46% contra 43% do tucano Aécio Neves; no levantamento anterior, o quadro era de empate técnico; Aécio tinha 45% e Dilma 43%; também divulgada hoje, a pesquisa CNT/MDA mostrou Dilma com 45,5% e Aécio com 44,5%


Foi divulgada, nesta segunda-feira, a nova pesquisa Datafolha sobre sucessão presidencial. Agora, a presidente Dilma Rousseff aparece numericamente à frente, com 46% das intenções de voto (subiu 3 pontos), contra 43% do tucano Aécio Neves (caiu 2 pontos). No levantamento anterior, Aécio tinha 45% das intenções de voto e Dilma aparecia com 43%.

Nos válidos, Dilma tem 52% contra 48% de Aécio. Na contagem de votos válidos na pesquisa anterior, o tucano tinha 51% contra 49% da petista.
A aprovação ao governo subiu para 42% (subida de 2 pontos). Os que consideram regular são 37% (variou 1 ponto para baixo). Os que desaprovam são 20% (reduziu 1 ponto).

O Datafolha também perguntou, entre os dois candidatos, em quem os eleitores votariam com certeza, em quem talvez votassem e em qual não votariam de jeito nenhum.

Veja os números:

Dilma
45% - votariam com certeza
15% - talvez votassem
39% - não votariam de jeito nenhum
1% - não sabe

Aécio
41% - votariam com certeza
18% - talvez votassem
40% - não votariam de jeito nenhum
2% - não sabem

No primeiro turno, Dilma teve 41,59% dos votos válidos e Aécio, 33,55%
O Datafolha ouviu 4.389 eleitores no dias 20 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01140/2014.

Leia, abaixo, resultado da pesquisa CNT/MDA, também divulgada nesta segunda-feira:

Pesquisa CNT/MDA mostra empate técnico entre Dilma e Aécio; petista tem vantagem numérica

BRASÍLIA (Reuters) - A primeira pesquisa CNT/MDA divulgada após o primeiro turno da eleição presidencial mostrou nesta segunda-feira empate técnico entre a presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT, e o candidato do PSDB, Aécio Neves, e apontou vantagem numérica da petista dentro da margem de erro.

Segundo o levantamento, Dilma tem 45,5 por cento das intenções de votos, enquanto o Aécio aparece com 44,5 por cento na pergunta em que os dois nomes são apresentados aos entrevistados.

A pesquisa aponta que Dilma tem 50,5 por cento dos votos válidos (que excluem brancos, nulos e indecisos), contra 49,5 por cento de Aécio. A margem de erro da pesquisa, realizada nos dias 18 e 19 de outubro, é de 2,2 pontos percentuais.

A sondagem indica ainda altos índices de rejeição aos dois candidatos. Dos entrevistados, 41,0 por cento declararam que não votariam em Aécio "de jeito nenhum", enquanto 40,7 por cento não votariam em Dilma.

Para 46,7 por cento dos entrevistados, Aécio sairá vencedor das urnas, enquanto para 42,5 por cento Dilma será reeleita.

Desde o primeiro turno das eleições, realizado dia 5 de outubro, Dilma e Aécio permaneciam estáveis nas pesquisas dos institutos Datafolha e Ibope, os mais reconhecidos.

Na semana passada, Aécio tinha vantagem numérica com 45 por cento dos votos, enquanto Dilma aparecia com 43 por cento. As pesquisas Datafolha e Ibope, divulgadas no dia 15, também mostraram empate técnico, uma vez que a margem de erro das duas é de 2 pontos percentuais.

No primeiro turno, Dilma teve 41,6 por cento dos votos válidos e Aécio somou 33,6 por cento.

A pesquisa CNT/MDA ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de cinco regiões de país nos dias 18 e 19 de outubro.

(Por Maria Carolina Marcello)


Sabe quando foi gol, mas o juiz não viu?

A imprensa fala pouco, a Globo não mostra de jeito nenhum, mas ninguém pode esconder a internet. Veja alguns golaços que o governo Dilma marcou pelo Brasil: Pronatec, Mais Médicos, Marco Civil da Internet….

Veja os 12 golaços que o governo Dilma marcou pelo Brasil.

O autor não têm qualquer vínculo com partido, político ou candidato algum. Esta é apenas uma página feita com amor e simplicidade por um cidadão comum, a partir de informações disponíveis publicamente, para tentar mostrar o que deveria aparecer mais.


1 - O Brasil fora do Mapa da Fome

Mapa da Fome, FAO, 2014

Não tem desgraça mais vergonhosa para um país do que a fome. Com toda sua riqueza natural e sendo uma potência agrícola, o Brasil ainda convivia com a fome e a subnutrição crônicas até há pouco tempo. 

Com Dilma e Lula o Brasil cumpriu e até mesmo ultrapassou a meta do Primeiro Objetivo do Milênio da ONU de reduzir à metade a prevalência da fome e desnutrição entre 2000 e 2015. Melhor do que isso: se mais de um em cada dez brasileiros passavam fome em 2002, hoje apenas uma proporção não quantificável (menor de 5%, segundo a ONU) sofre de subnutrição. Graças a isso, o Brasil saiu completamente do Mapa da Fome elaborado pela FAO/ONU, e está na mesma categoria dos países desenvolvidos. 



2 - Pronatec: 7,6 milhões de vagas em cursos técnicos e profissionalizantes gratuitos



Você já ouviu falar que falta mão de obra qualificada no Brasil. Para resolver isso, Dilma está  promovendo uma revolução silenciosa no ensino técnico e no ensino profissionalizante com o Pronatec: foram 7,6 milhões de pessoas matriculadas em 4145 municípios desde 2011, quando o programa foi lançado, até hoje. São cursos gratuitos, incluindo o material usado. Os cursos mais procurados são de informática, eletricista, recepcionista e assistente administrativo. Com mais qualificação vem mais emprego, melhores salários, e melhores serviços no Brasil. Quem disse que o Bolsa Família não tem porta de saída? O Pronatec já  atendeu a um milhão de beneficiários do programa, que, uma vez em empregos qualificados, deixam de receber o benefício. A segunda fase, que, com Dilma, começará a partir de 2015, terá 14 milhões de vagas.

3 - Partilha do petróleo: não entregar de bandeja as riquezas do nosso pré-sal



É o tipo de coisa que transforma o futuro de um país: vencendo resistências do capital financeiro, de petroleiras internacionais, da imprensa e dos políticos, Dilma conseguiu fazer com sucesso o primeiro grande leilão, do campo de Libra, dentro do Modelo de Partilha, que vale para as imensas jazidas de petróleo no fundo do subsolo do mar (o pré-sal). Por esse modelo, o Estado e o povo brasileiros são os donos de todo o petróleo extraído, e divide com a empresa exploradora o petróleo excedente, depois de ressarcir à  empresa os custos da exploração. 

No velho modelo de concessão, o petróleo é da petroleira que o extrai, e ela apenas paga ao Estado uma taxa pela exploração da área. A concessão é um modelo bom quando há risco para a empresa, mas no pré-sal, com bilhões de barris de petróleo garantidos, equivaleria a lesionar os interesses do país em favor do lucro excessivo e sem risco das petroleiras. Como você pode imaginar, há uma enorme pressão para voltar atrás no modelo de partilha antes que o petróleo do pré-sal comece a jorrar. Com Dilma, o futuro do país estará garantido. E, conforme lei aprovada no governo Dilma, 75% dos recursos obtidos do pré-sal vão para a educação, e 25% para a saúde.

4 - Transparência e Lei do Acesso à Informação

você prefere isto...
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem

... ou isto?

Imagem
Imagem
Imagem

Quem disse que a Dilma quer censurar a imprensa e coibir investigações? Muito pelo contrário. DIlma patrocinou e aprovou a Lei do Acesso à Informação, também chamada Lei da Transparência, para que qualquer cidadão possa acessar os documentos internos produzidos pelos governos federal, estadual e municipal em seu trabalho. É a melhor ferramenta que a imprensa já ganhou em muitas décadas, elogiada por especialistas internacionais no assunto. Se você hoje fica sabendo, pelos jornais e pela TV, de mais denúncias e impropriedades cometidas por políticos e funcionários públicos, é graças à Lei da Transparência, que os jornalistas usam sem parar desde que ela entrou em vigor há dois anos. 

E para facilitar mais ainda o controle e a fiscalização, a Dilma criou o Portal da Transparência, o Portal do Acesso à Informação e o Portal Dados Abertos, para ajudar a imprensa (e qualquer cidadão, até você mesmo!) a conhecer seus direitos, requisitar documentos e conferir onde estão sendo feitos os gastos do governo. Há um trabalho intenso para implementar a lei nos Estados e Municípios e mudar para sempre a cultura de sigilo de muitas repartições públicas.

Já os tucanos....

E os tucanos, são transparentes como dizem? Pelo contrário. FHC tentou (e que bom que não conseguiu) aprovar a Lei da Mordaça, o contrário da Lei da Transparência, que queria proibir e punir funcionários públicos que passassem documentos e dados para a imprensa durante uma investigação judicial. E ainda processou o procurador que criticava esse projeto de lei. O que ele conseguiu aprovar foi o foro privilegiado para políticos. 

Se as idéias dos tucanos sobre amordaçar a imprensa e varrer toda a sujeira pra debaixo do tapete tivessem prevalecido, não teria havido julgamento do mensalão, nem investigação da corrupção com empreiteiras e envolvimento político na Petrobrás

Investigar? Ao contrário, ficava tudo engavetado.
E o Aécio? Pior. FHC não conseguiu a aprovar a Lei da Mordaça, mas Aécio conseguiu fazê-la valer na prática, em Minas Gerais, não só para funcionários públicos como para jornalistas,  cooptando e pressionando meios de comunicação, fazendo demitir repórteres, mandando prender jornalistas, processando jornais e buscando tirar conteúdos críticos de circulação, inclusive perseguindo tuiteiros na internet. Em Minas, os donos de jornal cooptados pelo Aécio pressionam seus funcionários a fazerem campanha pra ele

Você quer isto para o resto do país?  

5 - Criação da Comissão da Verdade para finalmente investigar os crimes do passado



Vencendo resistência de antigos torturadores e assassinos, Dilma finalmente conseguiu tirar do papel a Comissão da Verdade, que tem por finalidade apurar graves violações de direitos humanos ocorridas durante a ditadura. A decisão de investigar e apurar a verdade sobre o que ocorreu naquela época foi elogiada no mundo inteiro, inclusive pela ONU. Conhecer toda a verdade sobre a violência e os crimes daquele período é algo importantíssimo para evitar que algo parecido volte a ocorrer no futuro. 

Numa cerimônia histórica, que reuniu todos os ex-presidentes do Brasil, a presidente Dilma Rousseff instalou a Comissão da Verdade. Emocionada, prometeu: “A comissão não abriga ressentimento, ódio nem perdão. Ela só é o contrário do esquecimento”.

6 - Royalties do petróleo para transformar a educação


O petróleo acaba. Mesmo nas imensas quantidades do pré-sal, um dia os poços secam. Usar os recursos do petróleo para financiar gastos normais, correntes, por mais importantes que sejam, é arriscar o futuro do país. 

Com visão de estadista e pensando no futuro, Dilma defendeu que 100% dos royalties do petróleo extraído do pré-sal fossem destinados ao melhor investimento do mundo: a educação. Assim, quando a riqueza do petróleo acabar, já terá sido investida no talento humano. E uma população com mais conhecimento e habilidades consegue, por meio do trabalho e inovação, trazer muito mais riquezas que o petróleo, e portanto investir ainda mais em mais educação, mesmo sem o petróleo. 

Sabe que partido ajudou a votar contra? Adivinha

Após negociação no Congresso, os royalties do pré-sal serão destinados 75% à educação e 25% à saúde. Que bom, poderia ter sido muito pior: a Lei 9530/1997, instituída por FHC, obriga a que 100% dos lucros das empresas estatais, incluindo a Petrobrás, sejam obrigatoriamente destinados a pagar a dívida. E sabe quem acaba levando esses pagamentos? Adivinha

Você acha que se o pré-sal fosse descoberto em um governo PSDB nós teríamos 100% desses royalties destinados à educação ou à saúde? Ou seriam aos milionários brasileiros e estrangeiros que compram títulos do governo para viver de renda? E olhe que leis podem ser alteradas: o petróleo do pré-sal mal começou a jorrar. Com Dilma, temos a certeza de que esses recursos irão mesmo para a educação e a saúde.

7 - Mais Médicos e a Saúde da Família: 50 milhões de beneficados, 95% de satisfação. Em um só ano.


Quem entende de saúde pública sabe: o melhor investimento nessa área é o atendimento primário e a prevenção. Custa menos, é mais eficiente e, o melhor, evita muita dor e sofrimento. A Estratégia Saúde da Família, que foi enormemente ampliada nos governos Lula e Dilma, é um sucesso reconhecido internacionalmente, e atua justamente nessas áreas, com humanidade e atenção particular à família como um todo. Porém, por falta de médicos dispostos a prover essa atenção básica, principalmente em pequenas cidades do interior do país, estava difícil universalizar o atendimento. 

Dilma resolveu: o Mais Médicos, que até maio deste ano trouxe 14 mil novos profissionais de medicina, brasileiros e estrangeiros, está ajudando a dar um salto enorme na qualidade de vida da população que muitas vezes precisava se deslocar mais de 50 quilômetros para encontrar um posto de saúde. Combinado com a Saúde da Família, o Mais Médicos elevou para mais de 34 mil o número das equipes preparadas para acompanhar diariamente a saúde das populações nas periferias das grandes cidades e municípios médios e pequenos do interior. Os beneficiados até agora? 50 milhões de brasileiros em um único ano, superando a meta inicial de 46 milhões para 2014. Dentre os atendidos, pelo Mais Médicos, 95% disseram-se satisfeitos ou muito satisfeitos

Isso é eficiência, execução, competência e, principalmente, saber dar prioridade para as reais necessidades da população brasileira.

8 - Ciência Sem Fronteiras: 83 mil bolsas de estudo e pesquisa científica de ponta no exterior para mudar o Brasil



Criado no governo Dilma, O Ciência Sem Fronteiras já concedeu bolsas de estudo, em nível de pós-graduação, para mais de 83 mil estudantes brasileiros estudarem no exterior, em universidades e instituições de pesquisa reconhecidos. Na próxima etapa, que começará em 2015, serão mais 100 mil bolsas. Graças ao Ciência Sem Fronteiras, esses jovens pesquisadores terão a chance única de absorver e trocar conhecimento e técnicas de inovação com os melhores professores, cientistas e estudantes de todo o mundo. Boa parte desses jovens, quando voltarem e começarem a trabalhar, pesquisar e ensinar no Brasil, vão promover uma revolução científica e tecnológica sem precedentes no país. 

Em seus quatro anos de governo, Dilma provou seu compromisso com a educação básica, com o ensino técnico e profissionalizante, com o ensino universitário e, também, com a pesquisa científica e tecnológica de ponta. Educação, em qualquer nível, é Dilma. Não fica ponto sem nó

9 - Plano Brasil Sem Miséria: a superação da pobreza extrema em várias frentes

O Plano Brasil Sem Miséria foi lançado pela Dilma em 2011 com o objetivo extremamente ambicioso de erradicar completamente a miséria (definida conforme a linha da miséria do Banco Mundial de renda até US$ 1,25 ao dia, ou R$ 70 ao mês) até o fim de 2014. Segundo o Censo 2010 do IBGE, apesar da enorme redução da miséria durante o governo Lula, 16,2 milhões de brasileiros, ou 8,5% da população, ainda se encontravam nessa situação em 2011.

Impossível erradicar a miséria em pouco mais de três anos, não é? Não é, não. Apesar da enorme ambição, a meta foi alcançada. Todos os sinais indicam que menos de 2% da população está abaixo da linha da miséria, abaixo do nível de 3% que o Banco Mundial considera um índice residual.

Para isso, foi preciso articular mais de 30 programas sociais, incluindo o Bolsa Família e o Pronatec, e pactos com todos os 26 estados do Brasil e milhares de municípios. Uma das ações mais importantes foi a Busca Ativa, que tratou de alcançar e documentar as famílias mais miseráveis, que até hoje viviam longe do alcance do Estado e ignorantes de seus direitos, e incluí-las nos programas sociais. De 2011 para cá a Busca Ativa incluiu mais de 1,11 milhão de famílias.

Há quem critique a escolha da linha de miséria do Banco Mundial, de US$ 1,25 ao dia, como o critério para o Brasil Sem Miséria, esquecendo que, mesmo por esse critério, considerado baixo, o Brasil conviveu com uma proporção de miseráveis muito superior a 10% ao longo de quase toda a sua história. 

Embora seja preciso começar de algum lugar, é verdade que 70 reais por mês são insuficientes, ainda mais em um país rico como o Brasil. O governo Dilma não quer parar por aí. O Brasil Sem Miséria busca a superação definitiva da pobreza por meio da inclusão produtiva, pelo acesso a serviços básicos de saúde e educação, pelo microcrédito, e muitas, muitas outras linhas de ação.


Não é um programa fácil de explicar com uma frase bonita ou um punhado de dados: é complexo, tal como é complexa a miséria que procura combater. Veja aqui as linhas de ação, os números do programa, os resultados dos três primeiros anos e acompanhe as ações do Brasil Sem Miséria no seu Estado ou no seu Município.

10 - Minha Casa, Minha Vida: 3,4 milhões de casas contratadas, 6,8 milhões de brasileiros beneficiados - o maior programa habitacional da história

Família da cidade de Queimados, na Baixada Fluminense, curtindo seu novo lar, graças ao Minha Casa, Minha Vida. Antes, a família vivia de forma irregular em morro considerado em risco de deslizamentos (fonte: Comunicação Social da Prefeitura de Queimados)



Considerado pela ONU como "um exemplo notável de programa de habitação de grande escala que beneficia a sociedade, em particular os grupos mais vulneráveis e os lares de mais baixa renda", o Minha Casa, Minha Vida, lançado em 2009 pelo Governo Lula sob a batuta da então Ministra Dilma Rousseff, conseguiu em apenas cinco anos baixar em 16,8% o déficit habitacional do Brasil

Com Dilma Presidente, o Minha Casa, Minha Vida ficou ainda melhor: o Governo desburocratizou procedimentos e passou a destinar a maior parte dos subsídios para famílias na faixa de renda mais baixa, até R$ 1600 e possibilitando o pagamento de mensalidades de apenas 25 reais, ao mesmo tempo aumentando o valor das casas que podem ser compradas. Conseguiu, com isso, multiplicar as moradias entregues para essa faixa, que concentra 90% do déficit habitacional do país. Das 3,4 milhões de moradias contratadas desde o início do programa, apenas no governo Dilma foram 2,75 milhões. Dilma criou ainda o "Minha Casa Melhor", que concede crédito para quem quer comprar móveis, eletrodomésticos e até computador para a casa que financiou.

Até junho deste ano, foram R$ 234 bilhões investidos pelo MCMV, entre subsídios e linhas de crédito. O benefício volta todo para a economia: estima-se que tenham sido gerados mais de 1,3 milhão de empregos pelo programa, principalmente no setor de construção civil. E em tudo isso, o papel da Caixa Econômica é fundamental. Que ninguém venha querer tirar de cena os bancos públicos.

No Minha Casa, Minha Vida, quem escolhe e compra a casa é a própria família. A Caixa financia, o Governo apóia. Para famílias de renda até três salários mínimos, o programa permite que as comunidades e associações de classe e de moradores formem cooperativas para a construção de imóveis, sem precisar depender da boa vontade dos políticos.

11 - Liberdade na internet:
Marco Civil, um exemplo para o mundo


Saudado pelo inventor da Web, Tim-Berners Lee, e pelos maiores expoentes internacionais da internet e da liberdade de expressão como um exemplo para o mundo, o Marco Civil da Internet foi mais um golaço de Dilma. Com a ajuda da sociedade civil, Dilma conseguiu, ao cabo de anos de tramitação e negociações, vencer as pressões das grandes empresas que preferiam que a velocidade da sua conexão a diferentes serviços se prestasse a arranjos comerciais feitos a portas fechadas.

O Marco Civil da Internet garante uma internet neutra para todos: se você pagou sua conexão, ela tem que funcionar para tudo da mesma maneira. Tem ainda dispositivos para garantir a liberdade de expressão, proteger a privacidade dos usuários, com especial atenção ao combate à pedofilia, obriga as empresas transnacionais a observarem a lei brasileira, e promove a democratização do acesso à rede

É a melhor e mais avançada legislação sobre internet do mundo. E em conferências como a NetMundial, Dilma colocou o Brasil na liderança mundial dos esforços pela liberdade de expressão, pelos direitos civis e pelo combate à espionagem indiscriminada (fonte na tradução do Google). 

12 - Uma Universidade Federal mais perto de você

Os governos Dilma e Lula fizeram mais pelo ensino superior em 12 anos do que foi feito nos 500 anos anteriores

Antes de Lula e Dilma, o Brasil levou 500 anos para ter 3,5 milhões de alunos nas universidades. Hoje, são 7,1 milhões de estudantes no ensino superior. Para isso, foram criadas 18 universidades federais, priorizando as cidades do interior - Dilma criou quatro, todas no Norte e no Nordeste. A presidenta inaugurou 47 novos campus, levando o ensino superior público e gratuito a um total de 275 municípios. No ProUni, Dilma manteve a média de 250 mil bolsas anuais e ampliou em 30% a concessão de bolsas integrais durante seu mandato

Para reduzir o grave problema da evasão no ensino superior, que atinge sobretudo os mais pobres, Dilma criou em 2013 o Bolsa Permanência, um benefício mensal de 400 reais para estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, indígenas e quilombolas que estudam em instituições federais. 

Graças a tantas realizações, hoje ter uma filha ou um filho estudando na universidade deixou de ser só para as famílias mais privilegiadas. 

Universidade Federal do Cariri, no Ceará, criada por Dilma em 2013, e que quando estiver completa, até o fim deste ano, terá cinco campi: Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato, Brejo Santo e Icó.

Ajude essa partida a ter um placar justo. Compartilhe!!!


O Ministério Público de Minas Gerais acaba de entrar com mais uma ação pública contra Aécio Neves (PSDB) sobre o desvio de verbas para a Saúde. Desta vez, o montante questionado chega a R$ 1bilhão em 2009. O valor pode ser somado aos R$ 4,3 bilhões já questionados em processos anteriores.
O Ministério Público de Minas Gerais acaba de entrar com mais uma ação
pública contra Aécio Neves (PSDB) sobre o desvio de verbas para a Saúde
O Ministério Público de Minas Gerais acaba de entrar com mais uma ação pública contra Aécio Neves (PSDB) sobre o desvio de verbas para a Saúde. O Ministério Público de Minas Gerais acaba de entrar com mais uma ação pública contra Aécio Neves (PSDB) sobre o desvio de verbas para a Saúde Foi apurado pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) que, também em 2009, o percentual constitucional de 12% do Orçamento para a Saúde, não foi obedecido. A irregularidade é observada desde que a Emenda Constitucional 29, que garante a obrigatoriedade do repasse, entrou em vigor em 2004.

Dos mais de R$ 3,3 bilhões destinados para a Saúde, em 2009, R$1,017 bilhão foi repassado para a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). Apenas R$2,35 bilhões foram aplicados, de fato, na saúde pública do estado.

Segundo o processo, desde 2004, o TCE recomenda que o governo estadual diminua o repasse a saneamento básico, pois não configura investimento direto na Saúde. Uma vez que o setor não cumpre o princípio de gratuidade e nem universalidade, a empresa deve investir os recursos próprios, obtidos com o pagamento das tarifas de água e esgoto.


Por Alessandra Fonseca, da Agência PT de Notícias

Via: Vermelho

VERGONHOSO UM CANDIDATO A PRESIDENTE ESTAR NA IMPRENSA INTERNACIONAL, COMO TRAFICANTE...


Candidato aparece na imprensa internacional como traficante. Confira os links abaixo, todos os textos estão originalmente em seus idiomas.

http://www.pulzo.com/mundo/221676-el-helicoptero-con-cocaina-que-mancha-aecio-neves-posible-presidente-de-brasil

http://www.talkingdrugs.org/445kg-of-cocaine-pasta-base-found-in-brazilian-senators-helicopter

http://lainfo.es/en/2014/10/14/aecio-scandals/#.VEMF7tNeqLQ.facebook

Via: Facebook 
20/10/2014 - Dia do Comerciário



Supermercados: funcionamento normal

Cagece: Lojas Aldeota, Benfica, Centro, Diogo e Washington Soares estarão fechadas

Shoppings

Shopping Iguatemi
Lojas: fechadas
Alimentação: 10h às 22 horas
Cinemas: 12h às 22 horas
Extra: 7h à meia-noite

Shopping Parangaba
Lojas: Fechadas
Alimentação: 11h às 22 horas
Game Station: 11h às 22 horas
Cinema: Conforme as sessões

North Shopping
Lojas: fechadas
Alimentação: 11h às 20h30min
Cinema: a partir de 13 horas

Avenida Shopping
Lojas: fechadas
Alimentação: fechada

Shopping Aldeota
Lojas: Fechadas
Alimentação: 11h às 22 horas

Shopping Del Paseo
Lojas: fechadas
Alimentação: 10h às 22 horas
Game Station: 10h às 22 horas
Cinema: a partir de 13 horas

Shopping Benfica
Lojas: fechadas
Alimentação: 11h às 22 horas
Game Station: 11h às 22 horas
Mercadinho São Luiz: 8h às 22 horas
Cinemas: 11h30min às 22 horas

Via Sul Shopping
Lojas: fechadas
Tetro: fechado
Alimentação: 11h às 22 horas
Cinema: 12h às 22 horas

Pátio Dom Luís
Lojas: fechadas
Alimentação: 11h às 22 horas
Cinema: 13h às 22 horas

Center Um
Lojas: fechadas
Alimentação: 10h30min às 15h30min
Os presidenciáveis Dilma Rousseff e Aécio Neves estão empatados tecnicamente de acordo com mais uma pesquisa de intenções de voto do segundo turno das eleições 2014. A 125ª pesquisa CNT/MDA, realizada 18 e 19 de outubro de 2014, foi divulgada nesta segunda-feira (20) pela Confederação Nacional do Transporte (CNT).

No quesito, intenção de voto espontâneo, a presidente e candidata à reeleição do PT, Dilma Rousseff, aparece com 43,8%, e Aécio Neves (PSDB), com 42,1%. O cenário é similar na contagem dos votos válidos, percentual calculado excluindo os votos brancos, nulos e indecisos. Dilma e Aécio receberam 50,5% e 49,5%, respectivamente.

Saiba mais: IG


Colunista Ricardo Melo critica a "insistência" do presidenciável tucano Aécio Neves em chamar de "mentiras fatos incontestáveis", o que, segundo ele derrete sua própria credibilidade; cita o caso do aeroporto de Claudio, em MG, os gastos do governo do Estado com publicidade em suas rádios e o "drible no bafômetro": "Balela a história de que trazer a público tudo isso é baixaria etc, etc. Isso é falta de argumento de quem não tem resposta"

Brasil 247 – Para o colunista Ricardo Melo, a tentativa de Aécio Neves de chamar de "mentiras" fatos incontestáveis derrete sua própria credibilidade. 
Ele cita o caso do aeroporto de Claudio, em MG - construído em sua gestão em terras de familiares -; os gastos do governo do Estado com publicidade em suas rádios; e o “drible no bafômetro”;

“Balela a história de que trazer a público tudo isso é baixaria etc, etc. Isso é falta de argumento de quem não tem resposta”, diz.

Quanto aos programas de governo de Aécio, atribui a ele “coisas como corte de gastos sociais, esvaziamento de bancos públicos, encolhimento de salários, facão nas empresas, tarifaço, mudança nas leis trabalhistas e por aí vai; As tais medidas impopulares. Para ele, sem isto o Brasil vai piorar. Acredite quem quiser" (leia mais).

Dilma arrasou Aécio no debate com frases de efeito cortante. Venceu em TODAS as perguntas, réplicas e tréplicas.


Mesmo nos momentos em que Aécio parecia que ia se dar melhor, Dilma o superou na tréplica.

Aécio caiu na bobagem de fazer uma pergunta sobre saúde. Ah, se arrependimento matasse...

Levantou a bola para Dilma voltar ao tema de Aécio ter desviado verbas para outras coisas que deveriam ser aplicadas na saúde quando governou Minas Gerais.

Mas dessa vez, Dilma não se limitou a argumentos técnicos. Depois de citar a ação do Ministério Público sobre o caso, leu uma frase de um Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de MG:

“É duro engolir que vacina para cavalo seja contabilizada como gasto em saúde.”

Uma linguagem que todo mundo entende.

Nada contra vacinar os animais, mas convenhamos que é verba da Secretaria de Agricultura e Pecuária.

Agora a pergunta que não quer calar: o cavalo da família, em Cláudio, também está incluído aí nestas paradas? Dá para Aécio responder ou tá difícil, igual ao dinheiro público que foi para as rádios da família?


No debate realizado neste domingo, 19 de outubro, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, falou sobre obras em hidrovias afirmou que:
"As hidrovias anunciadas estão todas elas no papel"
AÉCIO MENTIU
Em um total de 57 empreendimentos entraram no programa federal. Desse total, 16 aparecem como "concluídas" e oito como "em obras". Entre elas, está a hidrovia Tietê- SP.
AÉCIO MENTIU, DE NOVO 


Dilma falou a verdade...


Dilma falou a verdade...


Segundo o último balanço da OMS, o ebola causou mais de 4,5 mil mortos em cerca de 9 mil casos registrados na Libéria, em Serra Leoa e na Guiné-Conacri, os mais afetados

Funcionários do aeroporto da Nigéria checam temperatura
dos passageiros em ação de prevenção contra disseminação
do vírus ebola
São Paulo- A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou hoje (20) oficialmente a Nigéria livre do ebola, após 42 dias – ou dois períodos de incubação – sem novo caso confirmado do vírus. “O vírus desapareceu. O surto na Nigéria foi derrotado. Esta é uma história de sucesso que mostra ao mundo que o ebola pode ser contido”, disse o representante da OMS no país, Rui Gama Vaz, em Abuja, capital nigeriana.

O ebola, que se transmite por contato direto com o sangue, líquidos ou tecidos de pessoas ou animais infectados, foi identificado pela primeira vez em 1976. Não existe vacina, nem tratamentos específicos e a taxa de mortalidade é elevada. O período de incubação da doença pode durar até três semanas.

Segundo o último balanço da OMS, o ebola causou mais de 4,5 mil mortos em cerca de 9 mil casos registrados na Libéria, em Serra Leoa e na Guiné-Conacri, os mais afetados. Também houve registros na Nigéria, no Senegal, na Espanha e nos Estados Unidos.

Presidenta se diz espantada com a falta de idéias da campanha tucana que só usa programas do PT

A presidenta Dilma Rousseff disse que o candidato Aécio Neves não apresentou propostas próprias e se pautou apenas na continuidade nas políticas já implementadas por ela. “Eu fico surpresa quando o candidato fala que vai fazer melhor do que eu os programas que eu criei. Não conheço nenhum proposta dele, a não ser as minhas”, disse ao final do debate da Record.

Na avaliação de Dilma, esse confronto da noite de domingo foi muito mais propositivo e, ao contrário do anterior não houve desrespeito por parte do adversário. Segundo ela, até o dia 26, ela não irá descansar. “Tenho duas agendas no Rio e outra em São Paulo. No dia posterior, também tenho agenda pesada. Daqui até lá, não há a menor chance de descansar”, afirmou.

Crise hídrica - Dilma disse que previa levantar a crise hídrica durante o debate. Segundo ela, isso não se trata de uma questão eleitoreira, mas de respeito à população de São Paulo. “A falta de planejamento e de gestão está clara neste caso, assim como ocorreu no ano de racionamento elétrico”, criticou.

Dilma disse que diante do problema grave, o governo federal disponibilizou um empréstimo de R$ 2 bilhões para o consórcio que vai construir o Sistema São Lourenço.

“Temos interesse em ajudar, pois essa situação é lamentável. Não é possível que o maior estado do país, não tenho tomado as providências”, disse se referindo a não realização de obras para ampliar a captação de água.

Questionada sobre quem se saiu melhor do debate, Dilma respondeu em tom de brincadeira, apontando para si: “Eu não vou fazer essa avaliação, porque está óbvio quem eu acho que foi”.

Fome - Dilma lembrou que o Brasil pela primeira vez da história saiu do Mapa da Fome, segundo o relatório da ONU, graças ao investimento do país em políticas sociais, que tirou 40 milhões de brasileiros da miséria elevou 36 milhões à classe média. E mostrou a diferença de escala do Bolsa Família com os programas tucanos.

“O Bolsa Família do FHC, que falam que é o Bolsa Escola, o gás e outros, todos eles juntos, que chamam de seu Bolsa Família, gastou R$ 4,2 bilhões. Sabe quanto R$ 4,2 bilhões equivalem ao meu Bolsa Família? Dois meses. Gastaram em oito anos o que gastamos em dois meses”, explicou.

PSDB contra a Saúde - Sobre as condições de atendimento na Saúde, Dilma afirmou que realizou muitas melhorias no serviço como a criação do SAMU, do programa Mais Médicos, do Brasil Cegonha e da Farmácia Popular.

“Apesar de vocês terem derrubado a CMPF e imposto ao governo a perda de R$ 260 bilhões de reais, aumentamos o orçamento em relação ao período FHC, do qual o senhor foi líder”.

A presidenta lembrou que além de Aécio não cumprir com o mínimo constitucional de investimentos para a área, ainda é réu em um processo pelo desvio de R$ 7,6 bilhões da saúde quando era governador de Minas Gerais.

Presidenta mostrou as diferenças entre os dois, com dados sobre os resultados obtidos pelas políticas públicas

Dilma lembrou que seu governo tem as menores taxas de desemprego da história
No penúltimo debate, na noite deste domingo (19), na Rede Record, a presidenta Dilma Rousseff  fez uma comparação do alto índice de desemprego no penúltimo ano do governo tucano com a geração e empregos nos governos do PT. “Vocês (PSDB) conseguiram um recorde nacional e internacional de 11,5 milhões de trabalhadores desempregados no Brasil. Só perdia para Índia”, disse.

Ela lembrou  também a declaração de Aécio Neves, que estaria pronto para tomar medidas impopulares, e da sua atuação enquanto deputado para tirar leis trabalhistas. “Em 2001 o desemprego estava extremamente elevado no Brasil. Naquela época, o PL 5873 que trocava os direitos consolidados na CLT por um simples acordo foi colocado na pauta”, disse, ao lembrar que seu governo tem as menores taxas de desemprego da história, com a criação empregos formais.

Dilma se perguntou como a mesma equipe econômica que promoveu recessão, vai poder oferecer algo diferente ao brasileiro. “O cozinheiro é o mesmo, Armínio Fraga. Receita é mesma, a recessão, recessão, recessão. E o resultado é o mesmo, desemprego arrocho e alta taxa de juros. A quem serve isso? Ao povo que não é”.

Escolas Técnicas - o presidente nacional do partido, Rui Falcão, disse que Dilma se destacou principalmente ao falar sobre as escolas técnicas. Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, foram construídas apenas 11 unidades, enquanto Lula e Dilma totalizaram 420. “Eles proibiram escolas técnicas e nós fizemos. Isso ficou bem claro”, disse Rui.

O ministro da Casa Civil, Aloízio Mercadante, avaliou que Aécio Neves teve dificuldades em aceitar as comparações entre o governo petista e o dos tucanos. “Eles deixaram o país quebrado, com 11,4 milhões de desempregados, com uma inflação de 12,5% e nós recuperamos esse País”, justificou.

Para Mercadante, o debate foi qualificado, por focar nas diferenças de propostas dos dois candidatos. Essa conduta, em sua avaliação, é favorável à Dilma. “Quanto mais se discutir, mais a gente cresce. Se permitir debater a fundo o que era o Brasil no tempo deles, comparado com o nosso e o que foi a gestão dele como governador, as pessoas entenderão porque Aécio perdeu em Minas”, acrescentou.

Para o coordenador da campanha da presidenta, Miguel Rossetto,  o ponto alto de Dilma nesse debate foi sua consistência. “Por demonstrar capacidade a partir de suas realizações, ela se mostra uma presidenta segura, sólida e preparada para continuar essa grande agenda de desenvolvimento que o Brasil está vivendo”, disse.

Por Camila Denes, da Agência PT de Notícias, com fotos de Sheyla Leala