Francisca Gleivani Gomes Silva é mãe de Samantha, apontada como esposa do deputado Paulinho da Força; ela é acusada pela PF de forjar assinaturas de onze pessoas, de um total de 22 contestadas, na criação do partido Solidariedade; estruturado no ano passado, o partido é o nono na bancada da Câmara, com 21 deputados, e declarou apoio ao presidenciável tucano Aécio Neves; recentemente, Paulinho mandou imprimir cerca de 20 mil adesivos com a mensagem “Fora Dillma – Chega de corrupção”, com os clássicos “LL” do Collor 

Brasil 247 – A sogra do deputado Paulinho da Força, Francisca Gleivani Gomes Silva, foi indiciada pela Policia Federal sob acusação de atuar em esquema para falsificar assinaturas para a criação do Solidariedade (SDD).

Francisca é mãe de Samantha, apontada como esposa de Paulinho. Ela é acusada de forjar assinaturas de onze pessoas, de um total de 22 contestadas. Outras duas pessoas também foram indiciadas. Para ser registrado no TSE, o SDD teve de validar 500 mil assinaturas.
Estruturado no ano passado, o partido é o nono na bancada da Câmara, com 21 deputados, e declarou apoio ao presidenciável tucano Aécio Neves.

Segundo a coluna Poder Online, Paulinho mandou imprimir cerca de 20 mil adesivos com a mensagem “Fora Dillma – Chega de corrupção”, com os clássicos “LL” do ex-presidente Fernando Collor.

Segundo ele, os adesivos têm feito mais sucesso por São Paulo do que os dele próprio. “Os meus ninguém pede, mas os dela todo mundo quer. O pessoal vê no carro e me para no trânsito. Por isso mandei fazer um monte”, diz o deputado federal e líder da Força Sindical.

Zezé Perrella e Aécio


Ambos mineiros, Aécio Neves e Zezé Perrella torcem pelo mesmo time de futebol, o Cruzeiro, do qual Perrella foi presidente, e jogam juntos no primeiro escalão da política do estado. Nas eleições estaduais deste ano, o PDT de Perrella, que apoia o PT no plano nacional, fechou com o PSDB em Minas.

A maior demonstração da força de Perrella no coração político de Aécio se deu quatro anos atrás, na disputa para o Senado. Itamar Franco havia trocado o PMDB pelo PPS e sido indicado para disputar uma das duas vagas ao Senado – a outro era de Aécio.

Com 80 anos de idade, Itamar queria José Fernando Aparecido, hoje no PV, como seu primeiro suplente. José Fernando é filho de um antigo aliado de Itamar, o ex-governador do Distrito Federal José Aparecido. Mas Aécio impôs o nome de Perrella.

“Todo mundo nos bastidores achava que Aécio queimaria o Itamar, permitindo votos no candidato do PT ao Senado, Fernando Pimentel, como parte de uma estratégia para agradar aos eleitores petistas no Estado, que deram a vitória a Lula em 2002 e 2006 e a Dilma em 2010”, diz o deputado estadual Sávio Souza Cruz, aliado de Itamar, homem forte de seu governo entre 1999 e 2003.

“Mas o Aécio trabalhou muito pelo Itamar. Hoje se sabe que ele pedia votos para o ex-presidente, mas o que queria mesmo é colocar Perrella no Senado”, acrescenta.

Pouco mais de um ano depois de eleito, aos 81 anos, Itamar faleceu de leucemia aguda, e Perrella assumiu uma cadeira no Senado, herdando sete anos de mandato.

A união entre o PDT de Perrella e o PSDB de Aécio é um capítulo de uma aliança que não se limita à política.

A promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Minas Gerais encontrou as digitais de Perrella em diversas investigações que tem realizado sobre o governo de Aécio.

A família Perrella aparece nos inquéritos abertos para investigar a concessão dos restaurantes da Cidade Administrativa, a maior obra de Aécio no estado, a venda de refeições para os presos, a fraude fiscal na venda de carnes e o convênio para a produção de alimentos para o programa Minas Sem Fome.

Tamanha proximidade não recebe destaque na cobertura da imprensa mineira, especialmente no maior jornal local, “O Estado de Minas”, em que notícias consideradas negativas ao ex-governador já resultaram em demissões.

O jornal concorrente, “Hoje em Dia”, chegou a publicar reportagens que deram origem à investigação do Ministério Público. Mas a propriedade do jornal trocou de mãos, e o veículo agora menospreza até os desdobramentos dos furos de outros tempos, como aconteceu no caso da produção de alimentos para o Minas Sem Fome.

As críticas se limitam à internet, mas, mesmo aí, a resposta é pesada, como aconteceu no caso do jornalista Marco Aurélio Carone, que foi preso em janeiro e seu site, “Novo Jornal”, foi retirado do ar por decisão da Justiça.

Filho de um ex-prefeito de Belo Horizonte, Carone é acusado de publicar informações falsas com o objetivo de buscar vantagens indevidas. Sua verborragia é antiga, mas ele foi para trás das grades depois que começou a divulgar informações que relacionam Aécio à cocaína e ao helicóptero dos Perrellas, o Helicoca.

No despacho que o mandou para a cadeia, a juíza Maria Isabel Fleck justifica sua decisão como medida para evitar que ele continue “a utilizar o seu jornal virtual para lançar informações inverídicas”.

Na prisão, Carone teve um enfarte e, internado, recebeu a visita de deputados da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa. Um dos deputados gravou um depoimento de Carone, em que ele diz que foi preso alguns dias depois de obter a informação de que a filha de Aécio viajou no Helicoca.

Ouvido pelo Ministério Público em Minas, o ex-piloto de Perrella, Rogério Almeida Antunes, não citou o nome da filha de Aécio entre os passageiros do helicóptero, nos tempos em que a aeronave levava celebridades com combustível pago com dinheiro da Assembleia Legislativa.

Carone também divulgou em seu site a notícia de que Aécio teria sido internado, com overdose de cocaína, no hospital Mater Dei, de Belo Horizonte.

Eu conversei com funcionários do hospital e ouvi que Aécio já esteve, de fato, internado lá, e soube que, no último programa de treinamento para funcionários da segurança, o ex-governador foi citado como um paciente do hospital.

Procurei a direção do hospital Mater Dei, à qual encaminhei quatro perguntas:

1) É fato que o senador Aécio Neves esteve internado no Mater Dei?

2) Quando ocorreu a internação e foi em decorrência de que problema de saúde?

3) O hospital já mencionou em programa de treinamento que tem o senador Aécio entre seus pacientes. Por que é feita a menção?

4) É fato que o hospital mantém uma área permanentemente reservada para o senador?

A resposta do hospital veio dois dias depois:

“O senador Aécio Neves esteve internado uma única vez no Hospital Mater Dei, em  2011, para tratamento de fraturas sofridas em episódio amplamente coberto e divulgado pela imprensa. O atendimento foi prestado pelos ortopedistas Rodrigo Lasmar e Marco Antonio de Castro Veado. O  Hospital não faz este tipo de reserva para pacientes e rechaça com veemência as falsas e caluniosas insinuações constantes nas perguntas”.

Para o deputado Rogério Correia, do PT, uma das vozes de oposição em Minas, essa boataria em torno de Aécio não deve ser usada como arma política, em nenhuma hipótese, mas é impossível, segundo ele, retratar o ambiente político em Minas sem citar a cocaína como um problema real para Aécio Neves.

“Acho que essa falação começou porque Aécio era visto em BH como um playboy. Em 1992, ele disputou e ficou em terceiro lugar nas eleições para prefeito. Não era levado muito a sério. A situação mudou depois que se tornou presidente da Câmara dos Deputados, com apoio do Fernando Henrique Cardoso”, analisa.

Em Minas, não faltam teorias sobre o que teria levado Aécio a deixar de ser o neto playboy de Tancredo e se tornar um político competitivo.

Mas, num ponto, todos concordam: por trás do homem que deixou de ser o Aecinho (Aécim na pronúncia mineira) para se tornar o governador, está o braço forte de uma mulher.

Andréa Neves
É Andréa Neves, irmã de Aécio e em quem o avô Tancredo via talento político, mas de quem guardava uma enorme distância ideológica.

Nos tempos em que cursava jornalismo na PUC do Rio, Andrea era vista como simpatizante do PT e frequentava as rodas da esquerda. No episódio em que explodiram a bomba no Riocentro, ela estava no show em comemoração ao Dia do Trabalhador.

Nas voltas que o mundo dá, 22 anos depois, no governo do irmão em Minas Gerais, Andrea respondeu formalmente pela assistência social, mas cuidava de outros assuntos, como o relacionamento com a imprensa.

O ex-diretor da Rede Globo em Minas Gerais, Marco Nascimento, conta que foi demitido depois que a emissora mostrou em rede nacional que o crack era consumido livremente numa área do centro de Belo Horizonte, numa reportagem interpretada como falha na política de combate às drogas no governo de Aécio Neves.

Depois da reportagem, segundo Marco, Andrea foi ao Rio de Janeiro se queixar ao diretor de jornalismo. Voltou com a cabeça de Marco Nascimento na bagagem.

Andréa também assumiu a propriedade da rádio Arco Íris, de Minas Gerais, depois que Aécio se elegeu governador, para evitar uma situação de ilegalidade.

Mas o indício de que se tratou de uma mudança de fachada veio à tona depois que, parado numa blitz policial no Rio de Janeiro, Aécio Neves se recusou a fazer o teste de bafômetro e teve a carteira de habilitação apreendida.

É que, como resultado da blitz, a Polícia do Rio de Janeiro mandou ao Detran de Minas Gerais a cobrança de uma multa.

A multa vazou na internet, com a informação de que o carro de Aécio estava em nome da rádio Arco Íris.

A rádio tinha um patrimônio declarado modesto, de apenas 200 mil reais, mas contava com uma frota de doze carros de luxo.

A oposição e o Ministério Público tentaram investigar o uso da rádio como fachada para bens pessoais de Aécio, mas os inquéritos não prosperaram.

O argumento dos deputados é que, sendo a rádio propriedade de Aécio, ela não poderia ter recebido verbas públicas, na forma de anúncio publicitário, durante seu governo.

O então procurador-geral da República, Roberto Gurgel, a quem cabia a investigação de quem tem foro privilegiado, como é o caso de senador, arquivou a denúncia feita por deputados de oposição.

Gurgel tomou a decisão pouco antes de deixar o cargo de procurador-geral, em que se destacou pelo rigor na denúncia contra os petistas acusados de envolvimento no mensalão.

Paralelamente, o promotor João Medeiros, da Defesa do Patrimônio Público de Minas, abriu inquérito civil. Mas foi barrado pelo procurador-geral de Justiça do Estado, Alceu José Torres Marques, sob o argumento de que a prerrogativa para investigar o ex-governador era dele, não do promotor.

De nada adiantou o argumento de que o promotor queria investigar o repasse de verbas. Prevaleceu a tese de Alceu e, em suas mãos, a denúncia foi para o arquivo.

Depois de deixar a Procuradoria, Alceu foi nomeado secretário estadual do Meio Ambiente, cargo que ocupa atualmente no governo mineiro que Aécio ajudou a eleger.

No último carnaval, a marchinha eleita pelos ouvintes num concurso promovido pela rádio Inconfidência é uma bem humorada crônica sobre o Helicoca.

Na letra de Alfredo Jackson, Joilson Cachaça e Thiago Dibeto, a marcinha fala de um baile onde deixaram o Pó Royal cair no chão, e “o pó rela no pé” e o “pé rela no pó.”

Na canção, os sambistas perguntam: “Esse pó é de quem estou pensando?” Em seguida, respondem: “Ah, é sim! “Ah, é sim!”. Mas concluem: “Você sabem, eu também sei de cor. Mas não conta que vai ser melhor.”

Para o Carnaval de 2015, tem gente apostando suas fichas num outro tema incômodo para Aécio Neves: o aeroporto que o estado construiu no município de Cláudio, onde o ex-governador tem uma fazenda.

O aeroporto foi construído na fazenda do tio-avô dele, com dinheiro público, durante seu governo. Mas só os amigos podem aterrissar.

Sobre o Autor Joaquim carvalho / DCM
Jornalista, com passagem pela Veja, Jornal Nacional, entre outros. joaquim.gil@ig.com.br


Na convenção estadual da executiva juvenil do PMDB (Partido do Movimento Democrático) que aconteceu neste sábado, 26 de abril em Francisco Beltrão, para eleger o novo presidente da executiva, o pré-candidato ao governo do estado do Paraná, Senador Roberto Requião (PMDB-PR) disse (aos 2”40′) “O que você acha do Aécio Neves? Cheirador de cocaína, ladrão e sem vergonha?”.

O clima foi bastante tenso na convenção. O Deputado Federal do PMDB, Osmar Serraglio, fez a abertura da convenção, mas quando da chegada do líder Requião se retirou do local ‘às pressas’, segundo os correligionários do partido no município que se dizem ‘entristecidos’ com a situação.

Confira no áudio após os 2min40seg.

Jornal O Sudoeste

A deputada do partido Casa Judaica, diz que elas deveriam ser mortas pois gerariam "pequenas serpentes".


No início de julho, a deputada Ayelet Shaked, do partido Casa Judaica, compartilhou no Facebook um texto em que chamava crianças palestinas de “pequenas cobras”, pedia a morte das mães palestinas e afirmava que o conflito no Oriente Médio não se trata de uma guerra contra extremistas, mas “entre dois povos”. Após a confirmação da morte dos jovens israelenses, grupos marcharam por Jerusalém cantando “morte aos árabes” e agredindo pessoas na rua. Uma página no Facebook chamada “O Povo de Israel Exige Vingança” atraiu 35 mil pessoas e milhares de comentários racistas antes de ser tirada do ar. A onda de xenofobia culminou, em 2 de julho, com a morte de um adolescente palestino. Ele foi queimado vivo por extremistas israelenses.

Antes da Operação Borda Protetora ser lançada, ministros israelenses sugeriram que a Faixa de Gaza fosse deixada sem combustível, eletricidade, água e luz. Depois do início dos ataques, o ódio continuou a ser destilado. Em 12 de julho, em Tel Aviv, uma manifestação de israelenses contrários à ofensiva na Faixa de Gaza foi reprimida violentamente por uma turba de extremistas de direita, insuflada por um rapper local.

O sucesso da tentativa de desumanizar os palestinos foi verificado pela imprensa internacional. Diversos veículos mostraram como moradores de Sderot, cidade no sul de Israel conhecida por ser alvo frequente dos foguetes do Hamas, assistem ao bombardeio de Gaza como se estivessem em um cinema ao ar livre. Na quinta-feira 17, uma equipe da rede de tevê CNN flagrou israelenses vibrando quando um míssil atingiu um alvo na Faixa da Gaza.


Após acusar Aécio Neves de gastar R$ 14 milhões do governo de Minas para construir aeroporto em terreno da família, jornal de Otavio Frias diz que o hoje presidenciável tucano abriu caminho para que seu tio-avô resolva pendência judicial em ação por ter feito pista de pouso em sua fazenda nos anos 80 com recursos públicos; ao desapropriar terreno bloqueado na Justiça, ele ganhou o direito de receber do Estado pelo menos R$ 1 milhão de indenização pela área; colunista Chico de Gois, do Globo, também aponta que Aécio reformou pista em Montezuma, onde seu pai, o ex-deputado federal Aécio Cunha, fundou uma agropecuária

Brasil 247 – Desde domingo, o presidenciável tucano Aécio Neves tem sido questionado por denúncia da ‘Folha de S. Paulo’ sobre suposto uso da máquina pública como governador de Minas Gerais para construir aeroporto em terras de sua família.

Ele teria gasto R$ 14 milhões em seu segundo mandato na obra em Cláudio (MG), mas alega que o terreno de seu tio-avô fora desapropriado para o fim.

Nesta sexta-feira, o jornal de Otavio Frias faz nova denúncia e aponta que, ao desapropriar a área, favoreceu o fazendeiro Mucio Tolentino em uma pendência judicial que se arrasta há mais de uma década.

O fazendeiro é réu numa ação movida pelo Ministério Público estadual que o obriga devolver aos cofres públicos o dinheiro gasto pelo Estado na construção de uma pista de pouso existente no local antes de o aeroporto ser feito pelo governo de Aécio.

Desde então, a área foi bloqueada para venda na Justiça. Com a desapropriação, feita sete anos depois, ele ganhou o direito de receber do Estado pelo menos R$ 1 milhão de indenização (leia aqui).

O colunista Chico de Gois também aponta que o governo de MG, na gestão do tucano, reformou pista em Montezuma, onde seu pai, o ex-deputado federal Aécio Cunha, fundou uma agropecuária. 

O governo de Minas informou que o aeroporto foi construído há 30 anos e, nos últimos 12, passou por melhorias. A última custou R$ 309 mil para “melhorias na pista de pouso existente”. O governo sustenta ainda que Montezuma “está situada em uma das regiões mais pobres do estado e tem como principal eixo estratégico para o seu desenvolvimento a atividade turística a ser desenvolvida a partir do balneário de água quente”.

O que o parlamentar Aécio fez para beneficiar Minas ?











Enquanto Aécio Neves Luta contra o vento,  o Deputado Tiririca segue apresentando projetos importantes.

Por MarceloMarrakett

Realmente acho que o PSDB não tem propostas reais para governar o país. Em discurso no 5º Prêmio Top Etanol, Aécio afirmou que o setor é vítima da incapacidade do governo federal na condução da política macroeconômica.

“O setor de etanol, construído ao longo de 40 anos pelo esforço, dedicação e pela pesquisa de inúmeros brasileiros, foi abandonado pelo atual governo, que optou ir na contramão do mundo, que busca energia alternativas, não poluentes e renováveis. O setor vive um impasse e precisa de uma resposta”, afirmou Aécio Neves.

Não sei em que país esse senhor vive, porém acho que ele deveria buscar informações antes de proferir caquinhas a céu aberto.

Por solicitação da Presidência da República foi elaborado um documento sobre o setor do Etanol, O governo federal está implementando uma estratégia, concertada com o setor privado, a academia e o setor civil, objetivando estimular, de forma competitiva e sustentável, a economia da bioenergia no Brasil. Quem quiser saber mais sobre o assunto Click no Link http://www.cdes.gov.br/documento/492122/bndes-etanol-como-vetor-de-desenvolvimento-desafios-e-oportunidades-.html e o arquivo será salvo em seu computador.

Já o deputado e palhaço Tiririca (PR-SP) que não sabia o que um deputado fazia… preocupado com seus companheiros circenses, quer que moradores de trailers também possam ser beneficiados pelo Minha Casa, Minha Vida – programa habitacional do governo federal para a população de baixa renda, para financiar residências itinerantes.

O projeto foi aprovado na semana passada pela Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU) e agora segue para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Como tem caráter terminativo, o tema, se receber o aval da CCJ, será encaminhado diretamente ao Senado.

Parabéns Tiririca!

Post do Poços 10
O (des)governo de Beto Richa (PSDB) que vai tentar a reeleição, apresenta dificuldades em diversas áreas. Uma delas é assistência à saúde dos servidores. O Serviço de Assistência ao Servidor em Francisco Beltrão, Sudoeste do Estado, não está pagando os profissionais credenciados desde o mês de maio e as consultas e cirurgias eletivas estão suspensas.









O Serviço de Assistência ao Servidor (SAS), que é o “plano de saúde” dos servidores estaduais, enfrenta problemas há tempos, sendo constante alvo de reclamações e denúncias, tanto por parte dos servidores como de seus sindicatos representativos. Desde 2012, o Blog do Esmael registra o descontentamento dos servidores. Os problemas continuaram e no ano passado houve mais denúncias.

Agora os problemas são no hospital que atende os servidores em Francisco Beltrão, sudoeste do Paraná. A Drª Páscoa Batisti Minussi, diretora do Hospital São Francisco, disse em nota que “por dificuldades financeiras do governo do Paraná, ainda não recebemos o mês de maio”. Por esse motivo a maioria das consultas e procedimentos foi suspensa.

A diretoria da instituição informa ainda que apenas os atendimentos de urgência e consultas (obstetrícia, pediatria e clínica geral) serão mantidas no hospital. Consultas e cirurgias eletivas serão canceladas.

Com informações do Jornal O Sudoeste via Blog do Esmael
O promotor de Minas Eduardo Nepomuceno foi ouvido pela TV Globo sobre o aeroporto e disse: "É preciso entender porque houve a necessidade da construção de uma pista de pouso na cidade de Cláudio, de um aeroporto, considerando que não é uma cidade de grande porte, e sendo que a região é provida ali na cidade de Divinópolis, há 50km de distância, de um aeroporto com todas as condições de atender, aparentemente, a região".

Essa questão levantada pelo promotor desmente as declarações de Aécio Neves (PSDB) de que o caso estaria encerrado por suposta regularidade burocrática na desapropriação das terras do tio, onde foi construído o aeroporto.

Esse trecho foi ao ar (corretamente) no telejornal de menor audiência da Rede Globo, o "Bom Dia Brasil", na edição da manhã do dia 22 de julho. Note que a entrevista havia sido gravada no dia anterior (21).

Mas no Jornal Nacional (JN) da noite anterior, de maior audiência, escondeu a entrevista gravada com o promotor. Colocou apenas o repórter em frente ao prédio do Ministério Público, narrando o seguinte trecho que suaviza para o lado de Aécio Neves: "Com base na reportagem, o Ministério Público de Minas decidiu abrir uma apuração sobre a construção do aeroporto de Cláudio. O promotor Eduardo Nepomuceno de Souza afirma que vai investigar o fundamento administrativo para a desapropriação e o real interesse público para a construção".

O JN simplesmente deu sumiço à informação sobre já existir o aeroporto de Divinópolis que atende a cidade de Cláudio, escondendo do telespectador o motivo principal pelo qual Aécio está sendo questionado no MP: Ele construiu o aeroporto a 6 km de sua fazenda com dinheiro público para atender seu interesse privado?

O JN gastou um tempão lendo nota oficial de quem não quis dar entrevistas em vez de levar ao ar quem deu entrevista. E gastou o resto do tempo mostrando uma fala ensaiada (e mesmo assim saiu gaguejante) do senador tucano para se defender em frente as câmeras, focando só na suposta regularidade burocrática da desapropriação da terra do tio, sem citar o aeroporto de Divinópolis e sem citar que Aécio tem fazenda em Cláudio, onde passeia e considera o seu "palácio de Versalhes". Por isso existe também o interesse privado sendo resolvido com dinheiro público.

Depois disso, o JN não voltou mais ao assunto, apesar de Aécio ter dado outra declaração à imprensa durante a tarde, se recusando a responder se usou ou não o aeroporto de Cláudio, para não se incriminar.

A TV Globo deu um vexame para blindar o tucano comparável ao jornalismo bolinha de papel nas eleições de 2010. Por: Zé Augusto / Blog Os Amigos do Presidente Lula
Vejam esta reportagem de 22/04/2012 no programa Fantástico aqui (eles não permitem compartilhar vídeo).

O Fantástico não mostrou, mas o Quedo (apelido de Tancredo Aladim Rocha Tolentino) que aparece na reportagem é primo do senador Aécio Neves (PSDB) na Cidade de Cláudio (MG), comerciante da cachaçaria Minguote que aparece na tela acima da reportagem. Aécio em entrevistas já se declarou entusiasta destas cachaças produzidas por sua família em Cláudio.

Quedo responde processo acusado de participar na intermediação da venda de habeas corpus para traficantes presos em Divinópolis. Os traficantes faziam parte de uma quadrilha que traficavam de Mato Grosso para Minas, e aguardavam julgamento após terem sido flagrados com cerca de 60 kg de pasta-base de cocaína.

A cocaína havia sido apreendida em um sítio no distrito de Marilândia, a apenas 24 km do Aeroporto de Cláudio, construído por Aécio.

De acordo com seu depoimento na PF mostrado no Fantástico, Quedo intermediou o pagamento de propina de um advogado dos traficantes para o desembargador Hélcio Valentim de Andrade Filho dar habeas corpus, e ganhou comissão para isso. Os traficantes que conseguiram habeas corpus fugiram, não prestaram mais contas à justiça, e podem estar cometendo crimes nas ruas cujas vítimas somos todos nós, cidadãos.

O desembargador, agora afastado, chegou ao cargo no Tribunal de Justiça de Minas Gerais em 2005, portanto nomeado por Aécio, quando era governador.

Não vamos fazer como Joaquim Barbosa e deturpar a teoria do domínio do fato para jogar nas costas de Aécio atos praticados por seu primo e pelo desembargador nomeado por ele. A menos que alguém prove em contrário, Aécio não tem nada a ver com este caso, e cada um responde pelo que fez. 

Por ora, Aécio tem que explicar é porque escolheu a cidade de Cláudio para construir um aeroporto sem movimento, a 6 km de sua fazenda, se Divinópolis, cidade bem maior, já tem um aeroporto regional que atende bem a região. A distância entre os dois aeroportos em linha reta é apenas 30km e por estrada asfaltada cerca de 40 minutos. Está claro que não existe justificativa razoável para aplicar R$ 14 milhões (mais o valor ainda em aberto da indenização) do dinheiro público de Minas em um aeroporto que, aparentemente, só interessa ao uso particular do senador e de seus familiares, além da valorização das terras em torno do aeroporto.

Mas este aeroporto desperta outra questão de segurança pública. É uma pista ainda não homologada para uso, que fica sem movimento, boa parte do tempo trancada, sem funcionários, sem vigilância e sem policiamento. No entanto tem balizas e sinalização que permitem até pousos noturnos. Esse tipo de pista pode ser usada para vôos clandestinos de tráfico de drogas, de armas, contrabando, e outras coisas para a região, evitando o policiamento e fiscalização existente no aeroporto de Divinópolis.

A reportagem do Fantástico mostra que existe tráfico de drogas bem ali na região em torno do aeroporto e, não custa lembrar, o helicóptero da família do senador Zezé Perrella (PDT-MG e aliado de Aécio) quando foi apreendido com quase meia tonelada de cocaína, fez escala para abastecer na região, no aeroporto de Divinópolis.

Sem fazer qualquer ilação além dos fatos conhecidos com a família de Aécio, o que seria leviano sem provas, mas não é só a ANAC e o Ministério Público que precisam investigar a construção e o uso do aeroporto. A Polícia Federal também precisa investigar que tipo de vôos e mercadorias andou passando por ali. Blog Amigos do Presidente Lula

Sem a liminar, campanha trabalha por acordo com sites de busca

Daniela Lima de São Paulo
Imagem ilustrativa Google
O Tribunal de Justiça de São paulo arquivou o recurso em que o presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) tentativa de restringir buscas na internet por notícias que o acusam de desvio de verbas na Saúde em Minas Gerais, quando era governador do Estado.

Na ação, que tem como alvo as Empresas Google, Yahoo! e Microsoft, os advogados de Aécio queriam a "antecipação da tutela", ou seja, o cumprimento imediato do pedido. O juiz da primeira instância negou a liminar, assim como a desembargadora que analisou o caso depois; em 30 de Maio, o colegiado também negou recurso.

O caso foi revelado em Março pela Folha, confira em mais detalhes.

O quadro do Luciano Huck pode sair do ar pois esse Jovem rapaz alega ser enganado no quadro Lata-Velha pois segundo ele o combinado era arrumar o carro dele e não foi o que aconteceu e sim deram um novo no lugar pra ele... veja abaixo o texto escrito por ele.

O bloco do Caldeirão do Huck “Lata Velha” é uma grande farsa. A fraude foi desmascarada por João Marcelo, um (in)feliz “contemplado” (leia-se enganado) pelo programa da Rede Globo. Com o intuito de baratear custos e cumprir a promessa, o carro antigo a ser restaurado é trocado por outro, que então é reformado para se parecer com o carro do cliente. Após isso começa a segunda etapa, uma série de propostas e subornos para manter o cliente calado, até falsificação de documento e assinatura.

Fico a pensar se um bloco supostamente simples como o “Lata Velha” tem tantas fraudes, apenas para conseguir lucrar em cima, quantos podres ainda estão sob as mentiras e calúnias da Globo? Um dia a casa cai… (texto original) “Estava bom demais para ser verdade. Foi o que pensou João Marcelo Vieira, 37 anos, ao participar do quadro Lata velha, no programa Caldeirão do Huck, da Rede Globo.

O sonho de ver seu Opala verde, ano 79, transformado em uma supermáquina durou menos de 24 horas. No dia da gravação, o vendedor não percebeu que não existia mais nada do Opala no modelo reformado. Nem no dia seguinte, quando a produção rebocou novamente o carro para a oficina, alegando que iria acertar a documentação. Meses depois, ele recebeu o carro, e só então percebeu, com o documento na mão, que o registro era uma Caravan 79. O próprio João Marcelo demorou para entender o que estava acontecendo.

O documento esclarecia as dúvidas: a Caravan marrom, que antes pertencia a Rubem de Souza, em Minas Gerais, teria sido comprada por ele próprio por R$ 4.200! O problema é que João, dono de um quiosque na Praia do Recreio, garante que nunca esteve na cidade de Ribeirão das Neves, em Minas, tampouco adquiriu o carro e muito menos assinou o documento de compra e venda. Estava, segundo ele, configurada a fraude. E começou uma odisséia em busca do verdadeiro carro. “Me deram o documento do carro com minha assinatura falsificada e sumiram com o Opala, que era de um tio que morreu de câncer e me pediu para não vendê-lo nunca”, lembra João Marcelo. O Opala, que tinha o apelido carinhoso de Ogro, estava caindo aos pedaços, só pegava no tranco, mas quebrava galhos. O quiosqueiro nunca tinha pensado em fazer a reforma.

A participação no Lata velha foi sugestão de dois clientes, os atores Rodrigo Hilbert e Fernanda Lima. A pedido deles, João Marcelo escreveu uma carta, entregue, em mãos, a Luciano Huck, durante uma festa. Dias depois, a produção do programa procurou pelo comerciante, fez entrevistas e fotos do carro. “Na terceira entrevista, o Luciano apareceu no meu quiosque já para pegar o carro. Ele me propôs cantar uma ópera. Tive sete aulas de canto em Niterói. Tudo isso levou uns 26 dias.

O carro supostamente foi para Belo Horizonte, eu acho, porque, até agora, a Justiça não conseguiu achar a oficina, cujo endereço foi passado pelo próprio dono, Paulinho Fonseca, baterista da banda Jota Quest”, diz João Marcelo. Para ter seu carro modificado no programa, João interpretou no ar O sole mio, de Luciano Pavarotti, e emocionou o público. “No dia seguinte ? gravação, dei uma volta com o carro, escoltado pela Globo. Logo depois, a emissora mandou rebocá-lo sob alegação de que atualizaria a documentação. No quarto dia, recebi um telefonema da Rita, da produção do Caldeirão, dizendo que uma pessoa do Sul tinha oferecido R$ 120 mil para comprar meu carro. Não aceitei porque minha intenção era ficar com o Opala modificado”, explica. Dois meses se passaram e nada do carro voltar. Ele conversou com Fernanda Lima, que conseguiu marcar uma reunião na Globo. Lá, João Marcelo diz que recebeu uma proposta financeira e que todos assumiram o erro do programa. Segundo o comerciante, a emissora não gostaria que o caso fosse para a Justiça. O encontro teria acontecido na sala do diretor da emissora Aloísio Legey. “Havia três advogados, o Paulinho, o Aloísio e a Ana Bezerra, diretora de produção.

O Aloísio perguntou o que eu queria e disse que se eu levasse o caso para a Justiça demoraria três anos. Falei que não queria nada, só o meu carro de volta”, conta João Marcelo, que não esperava uma reação tão enérgica do diretor: “O Aloísio bateu na mesa e disse que isso poderia acabar com o programa do Luciano quando eu falei que minha carruagem tinha virado abóbora e, por isso, a situação era grave”, afirma.

O comerciante contou que ficou acertado no encontro que o programa devolveria o Opala transformado. Passados outros dois meses, o carro foi entregue. Mais uma vez, era a tal Caravan: “Quando me deram a documentação, vi que era da Caravan marrom. O carro foi comprado por R$ 4.200 e ainda falsificaram minha assinatura para legalizar a transferência. O número do chassi na documentação não era do Opala. As placas de identificação nas portas do veículo também eram de outro carro.

O carro é um Frankenstein, foi remontado em cima de outra carcaça”, garante. Desde janeiro, corre na Justiça um processo contra a Rede Globo e a Oficina Nittro Hot Rods no cartório da 1ª Vara Cível, em Jacarepaguá, com um pedido de indenização por danos morais e materiais. A pergunta que fica é a seguinte: Onde foi parar o Opala?!?…” E para quem ainda não acredita, aqui vai o link do processo em andamento: www.tj.rj.gov.br Processo No 2007.203.000972-9 TJ/RJ – 20/02/2008 13:00:16 – Primeira instância


Ou acesse o link direto do processo:

Concurso n. 1620 ACUMULOU...


26/07/2014 (Caminhão da Sorte)
Realizado em SÃO MIGUEL DO ARAGUAIA/GO

Ver números na ordem.
13 - 23 - 27 - 34 - 38 - 57

Arrecadação Total: R$ 49.002.217,50

Estimativa de Prêmio
R$ 28.000.000,00
*para o próximo concurso, a ser realizado 30/07/2014

Valor acumulado
R$ 22.991.887,94

Valor acumulado para o próximo concurso de final cinco (1625):
R$ 3.321.834,52

Valor acumulado para o sorteio da Mega da Virada :
R$ 42.415.987,76

Faixa de premiação - Nº de ganhadores - Valor do Prêmio (R$)
Sena                                                0                      0,00
Quina                                          136             21.094,54
Quadra                                     9.539                  429,64

Arrecadação Total: R$ 49.002.217,50

* Você pode receber prêmios de até R$ 1.787,77 em qualquer casa lotérica credenciada ou nas agências da CAIXA. Acima desse valor, somente nas agências da CAIXA.

Valores iguais ou acima de R$ 10.000,00 serão pagos após 2 dias de sua apresentação na Agência da CAIXA.

A programação das loterias está sujeita a alterações.

Confira o bilhete impresso pelo terminal. Ele é o único comprovante para o recebimento do prêmio.

Fotos do processo que teria desaparecido na Receita Federal vazaram para blogs e sites da internet


A íntegra do processo, o qual a Receita Federal alega ter desaparecido de seus arquivos, que contém detalhes sobre as possíveis sonegação e fraude contra o sistema financeiro nacional, promovidas pelas Organizações Globo, será divulgado, na íntegra, no próximo domingo, na página Mostra o Darf Rede Globo, mantida no Facebook. Segundo Alexandre Costa Teixeira, editor do blog Megacidadania, em entrevista ao Correio do Brasil, “foram feitas várias cópias de segurança, a partir do original, distribuídas aos principais blogs brasileiros”.

– Trata-se da prova que faltava para mostrar a imensa sonegação promovida pela Globo – afirmou ao CdB.
Ação bilionária

No ano passado, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) do Ministério da Fazenda publicou a decisão final da ação bilionária que a Rede Globo perdeu na Receita Federal. O processo, já em fase de execução, cobra da emissora impostos por operações feitas entre 2005 e 2008, que resultaram em um recolhimento menor de impostos. A autuação original, feita em 2009, era de cerca de R$ 700 milhões, mas com a correção monetária ultrapassa a casa de R$ 1 bilhão. O processo tramitava há quatro anos e já não cabem mais recursos.

O fato chegou a público em Julho do ano passado, em reportagem do site Consultor Jurídico, assinada pelo jornalista Alessandro Cristo, que pode ser lida adiante:

“As Organizações Globo perderam recurso administrativo contra uma cobrança de R$ 713 milhões do Fisco federal. O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda, que julga contestações a punições fiscais, rejeitou argumentos contra autuação da Receita Federal sobre aproveitamento de ágio formado em mudanças societárias entre as empresas do grupo.

“Em uma delas, a Globo Comunicação e Participações S.A. (Globopar) foi condenada por amortização indevida no cálculo do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL). A amortização dos tributos usou o chamado ágio, valor embutido no preço de uma companhia vendida equivalente à estimativa de sua rentabilidade futura. De acordo com a lei, a empresa que compra outra tem direito de abater da base de cálculo de seus tributos o valor que desembolsou a título de ágio. Mas a Receita Federal alega que o valor da Globopar é artificial. A empresa espera análise de Embargos interpostos e ainda pode recorrer à última instância do Carf.

“O desfecho do julgamento é esperado pela advocacia tributária por ser uma das primeiras vezes que o Carf se debruça sobre a existência de efeito fiscal do conceito contábil de patrimônio líquido negativo — origem da maior parte do ágio em discussão no processo da Globo. A autuação se refere aos anos de 2005 a 2008, nos quais a empresa usou o ágio para pagar menos tributos. A Receita Federal lavrou o auto de infração em dezembro de 2009, no valor de R$ 713.164.070,48.

“Foram os advogados Carlos Alberto Alvahydo de Ulhôa Canto e Christian Clarke de Ulhôa Canto, sócios do escritório Ulhôa Canto, Rezende e Guerra Advogados, os responsáveis por defender a transação. Na impugnação, eles destacaram o uso do patrimônio líquido negativo — chamado de ‘passivo a descoberto’ — na construção do ágio que gerou as deduções. Ou seja, a empresa compradora ‘adquiriu’ o prejuízo da comprada, assumindo sua dívida, e contabilizou essa aquisição como investimento. ‘Não há norma, de natureza fiscal ou contábil, que determine o expurgo do valor negativo do PL da investida na quantificação do ágio’, diz o recurso dos advogados.


O​ Núcleo Barão de Itararé RJ acaba de confirmar que a íntegra do processo “sumido” de dentro da Receita Federal será divulgado a partir deste domingo 13/07.

Apareceu a íntegra original do processo da Receita Federal que estava sumido. Com aproximadamente duas mil páginas ele contém documentos comprovando o envolvimento da própria família Marinho na fraude contra o sistema financeiro além da já conhecida sonegação bilionária.

O Núcleo Barão de Itararé RJ irá nesta sexta-feira, dia 11/07, ao Centro Aberto de Mídia do RJ distribuir informativo à imprensa internacional informando a existência deste explosivo material.

É importante destacar que no recente encontro nacional de blogueiros realizado em SP, mais de 500 participantes aprovaram a campanha MOSTRA O DARF REDE GLOBO

Já foram feitas diversas cópias do material que está sendo distribuído aos principais blogs brasileiros para divulgação ao distinto público a partir do fim da Copa.

No momento em que o tema corrupção é tratado como aspecto central para a eleição de outubro, fica evidente que a divulgação desta monumental documentação, com toda certeza, poderá ser um balizador para se entender como funciona e se sustenta o império Rede Globo e suas relações com a FIFA e o submundo do crime internacional.



TWITTER: @Mostraodarf darf globo

Confirme seu interesse em auxiliar na ampla divulgação pelo e-mail mostraodarfglobo@gmail.com

Os blogs O Cafezinho, Megacidadania, Correio do Brasil e Tijolaço, que integram o Núcleo Barão de Itararé RJ, participam do esforço cívico de levar ao conhecimento do distinto público mais esta importante informação que é sonegada pela velha mídia empresarial.

ALEXANDRE Cesar Costa TEIXEIRA

O grupo, que tem a ex-prefeita Luizianne Lins como uma das líderes, diz que pedirá votos ao candidato, mas que terá comitê e comando próprios. A direção municipal da sigla negou que esteja escondendo o candidato do PT

A ala do PT de Fortaleza rompida com o clã Ferreira Gomes (Pros) disse que irá organizar uma campanha separada para o candidato petista ao governo do Ceará, Camilo Santana. A proposta foi oficializada à executiva estadual do PT, que, junto com o Pros, conduz a campanha “oficial” de Camilo. 

Um dos motivos da dissidência na Capital foi a escolha das cores de bandeiras e outros materiais de divulgação do candidato – que, por decisão da maioria da chapa, teriam perdido a coloração majoritariamente vermelha, marca do PT, e ganhado tons de amarelo, cores que marcaram a última campanha do prefeito Roberto Cláudio (Pros). “Parece que estão querendo esconder o PT”, criticou ontem o presidente municipal do partido, Elmano de Freitas.

Também causou incômodo ao núcleo de Fortaleza a localização do comitê central de Camilo, que será inaugurado no bairro Cocó, mesmo lugar onde funcionou o comando das últimas candidaturas de governador Cid Gomes e de Roberto Cláudio. O tradicional reduto do PT tem sido o bairro Benfica.

“Nós vamos viabilizar um material de campanha petista, com comando próprio, comitê e agenda própria, longe dos Ferreira Gomes e do Roberto Cláudio. A outra campanha é deles”, afirmou Elmano, que é da mesma corrente da ex-prefeita Luizianne Lins. Ele negou prejuízo, argumentando que “quanto mais campanha, melhor”.

Em linha semelhante, o presidente estadual do PT, De Assis Diniz, disse que “a cor é detalhe”, e que a direção estadual respeitará as especificidades da executiva de Fortaleza. “O importante é que nós todos assumimos o compromisso de estar nas ruas. Vamos tratar o assunto (da campanha dupla) com a coordenação geral”, disse.

Escondendo Camilo?

Embora o PT de Fortaleza garanta que se engajará na campanha ao Governo, comitês, adesivos, panfletos e outras peças de divulgação de candidatos ligados à Luizianne têm circulado sem menção ou com referências discretas ao nome de Camilo. 

Nos comitês do deputado federal candidato à reeleição Eudes Xavier e no de Elmano de Freitas, por exemplo, os dois aparecem ao lado da presidente Dilma Rousseff (PT) e do ex-presidente Lula (PT), enquanto a candidatura de fica restrita a um pequeno texto.

Perguntado sobre a situação, Elmano disse que se trata de uma primeira remessa de materiais e que “há um processo em discussão”. Ele negou boicote. O vereador Deodato Ramalho (PT), candidato a deputado federal, também desconversou afirmando que “há vários tipos de peças”, e que nem sempre a fotografia de todos os nomes da chapa aparecem.

Serviço

Reunião entre executivas nacional e estadual do PT sobre agenda de Dilma no Ceará: 28/7

Saiba mais

Ex-secretário estadual das Cidades, Camilo Santana integra o chamado “PT cidista”, por sua forte ligação com o governador Cid Gomes.

Em reunião do PT a pauta principal foi para discutir a campanha de Dilma no Ceará. Mas quase não houve espaço para isso. Na maior parte do tempo, os petistas discutiram as divergências sobre o formato da campanha oficial de Camilo. 

Perguntado se a executiva de Fortaleza dividirá palanque com o Pros caso Dilma e Lula venham ao Estado, Elmano afirmou que, “na hora, cada um decidirá ” o que fazer. O Povo
Uma alimentação equilibrada e saudável faz a diferença, porque além de manter a boa forma, pode prevenir muitos problemas de saúde. A próstata, por exemplo, faz parte do sistema reprodutor masculino e a sua função principal é produzir o líquido espermático. Mas, algumas doenças podem afetar a glândula e uma das mais conhecidas é o câncer de próstata. Uma boa alimentação pode ajudar na prevenção deste tipo de câncer, sabia? Confira alguns alimentos que protegem a glândula e coloque-os no seu dia a dia!

O que provoca o câncer?
O desenvolvimento de uma célula cancerosa está relacionado a vários fatores diferentes como ambiental, genético, biológico ou químico. A formação de uma célula com tumor começa por uma mutação ou por alguma ativação anormal de genes, que são responsáveis pelo controlado crescimento e mitose celular, que são os conhecidos oncogêneses. Eles podem provocar uma proliferação desordenada das células, o que acarreta uma mutação de genes. Mas estes tipos celulares nem sempre resultam em câncer, porque podem ser destruídas pelo próprio sistema de defesa da pessoa.

A importância das substâncias nos alimentos
Do grupo dos carotenoides que não atuam atividade provitamina A, o licopeno age na função de proteção, sobretudo no câncer de próstata. Essa substância pode ser encontrada no tomate principalmente quando o fruto é cozido.

A vitamina E é uma substância quimioprotetora e pode ser encontrada em vários tipos de alimentos como gérmen de trigo, óleo de soja, arroz, algodão, milho, entre outros. Por exemplo, um estudo realizado com homens finlandeses mostrou uma redução significativa de câncer de próstata nas pessoas que receberam essa vitamina.

Por que a alimentação é importante?
Existem alimentos que são comprovados por meio de estudos científicos que atuam na prevenção contra o câncer de próstata e muitos outros tipos. Além disso, eles podem ajudar durante o tratamento convencional. Mas a pessoa precisa saber consumir, sendo que são necessárias porções diárias de frutas, verduras e legumes.

A alimentação saudável destes alimentos protetores precisa virar hábito e fazer parte da rotina. Além de auxiliar na proteção conta o câncer, uma dieta equilibrada contribui para a prevenção de diabetes, hipertensão arterial e outros tipos de câncer, além do de próstata.

Quais são os alimentos importantes?
  • Tomate: ele contempla uma substância chamada de carotenoide licopeno, que atua na proteção do câncer de próstata.
  • Brócolis: esta verdura contém um tipo de enxofre denominado “sulfrofano”, que atua nos danos celulares e desta forma fornece a proteção.
  • Linhaça e soja: agem no controle da dosagem da testosterona.
  • Azeite: ele atua devido à presença de ácido oleico, que é uma substância anticancerígena. Por isso, não se esqueça de temperar a sua salada com muito azeite!
  • Mamão e melancia: contemplam o carotenoide licopeno.
Alimentos que devem ser evitados!
Existem alimentos que não podem faltar no cardápio, mas têm outros que devem evitar ser consumidos como açúcar e todos os outros tipos de adoçantes, batatas, arroz branco, massas, produtos alimentares refinados, óleos refinados, fast food, gorduras saturadas, café e álcool.

Incidência do câncer de próstata.
No Brasil, o câncer de próstata é considerado o segundo mais comum entre os homens e o sexto comum no mundo mais prevalente no sexo masculino. De acordo com informações do INCA, a maioria deste tipo de câncer atinge homens com mais de 65 anos, sendo caracterizado com um crescimento silencioso e lento.

Por isso, é fundamental que as pessoas tenham o hábito de fazer exames e ter uma boa alimentação. Mas, qualquer dúvida sobre o consumo destes e outros tipos de alimentos, assim como, a quantidade correta, converse com o seu médico. Grupo de Andrologia

E vai ficando pior, a cada hora que passa. Vai ser difícil a mídia corrupta e golpista segurar essa nova bomba... Terreno do tio de Aécio pode custar mais R$ 3,5 milhões aos mineiros. É oficial.



O leitor Hélio me manda o link – e coloco à disposição de todos, sobretudo da galharda imprensa brasileira –  da Lei de Diretrizes Orçamentárias de Minas Gerais, onde, em seu anexo II, se prevê a perda da ação em que o tio de Aécio Neves se irresigna com o valor da indenização de R$ 1 milhão paga para a pavimentação do aeroporto que já havia sido feito, com verba pública, em seu terreno.

Lá, prevê-se a possibilidade de que Minas venha a ter de pagar R$ 3.464.629,60 ao tio de Aécio.

É mais cara das indenizações por desapropriação que Minas tem em litígio judicial, passível de perda.

Não é possível precisar se este valor está estimado além do R$ 1 milhão inicial, mas é provável, porque se trata, na tabela, do valor a pagar e aquele milhão já foi pago.

Com o valor corrigido da obra (R$13,4 milhões, em dezembro de 2008), o total de gastos com o “aecioporto” vai passar, e muito, dos R$ 20 milhões de reais.

Com metade do valor dá para pegar todos os 27 mil habitantes de Cláudio e trazer de avião para um passeio no Rio de Janeiro, com uma promoção que vi agora para agosto, R$ 260, ida e volta, e ainda pagar hotel.

Assim, podiam visitar o Aécio, já que ele não está podendo mais pousar por lá.

Isso porque era, segundo o tucano, “a opção mais barata”.

Imaginem a mais cara.

Ô trem bão, sô!




As vítimas civis chamam-se danos colaterais,
segundo o dicionário de outras guerras imperiais
Eduardo Galeano, é escritor e jornalista uruguaio - Desde 1948, os palestinos vivem condenados à humilhação perpétua. Não podem nem sequer respirar sem autorização. Têm perdido a sua pátria, as suas terras, a sua água, a sua liberdade, tudo. Nem sequer têm direito a eleger os seus governantes. Para justificar-se, o terrorismo de Estado fabrica terroristas: semeia ódio e colhe álibis. Tudo indica que esta carnificina de Gaza, que segundo os seus autores quer acabar com os terroristas, conseguirá multiplicá-los.. Quando votam em quem não devem votar, são castigados. Gaza está sendo castigada. Converteu-se numa ratoeira sem saída, desde que o Hamas ganhou legitimamente as eleições em 2006. Algo parecido tinha ocorrido em 1932, quando o Partido Comunista triunfou nas eleições de El Salvador.

Banhados em sangue, os habitantes de El Salvador expiaram a sua má conduta e desde então viveram submetidos a ditaduras militares. A democracia é um luxo que nem todos merecem. São filhos da impotência os rockets caseiros que os militantes do Hamas, encurralados em Gaza, disparam com desleixada pontaria sobre as terras que tinham sido palestinas e que a ocupação israelense usurpou. E o desespero, à orla da loucura suicida, é a mãe das ameaças que negam o direito à existência de Israel, gritos sem nenhuma eficácia, enquanto a muito eficaz guerra de extermínio está a negar, desde há muitos anos, o direito à existência da Palestina. Já pouca Palestina resta. Pouco a pouco, Israel está a apagá-la do mapa.

Os colonos invadem, e, depois deles, os soldados vão corrigindo a fronteira. As balas sacralizam o despojo, em legítima defesa. Não há guerra agressiva que não diga ser guerra defensiva. Hitler invadiu a Polônia para evitar que a Polônia invadisse a Alemanha. Bush invadiu o Iraque para evitar que o Iraque invadisse o mundo. Em cada uma das suas guerras defensivas, Israel engoliu outro pedaço da Palestina, e os almoços continuam. O repasto justifica-se pelos títulos de propriedade que a Bíblia outorgou, pelos dois mil anos de perseguição que o povo judeu sofreu, e pelo pânico que geram os palestinos à espreita. Israel é o país que jamais cumpre as recomendações nem as resoluções das Nações Unidas, o que nunca acata as sentenças dos tribunais internacionais, o que escarnece das leis internacionais, e é também o único país que tem legalizado a tortura de prisioneiros.

Quem lhe presenteou o direito de negar todos os direitos? De onde vem a impunidade com que Israel está a executar a matança em Gaza? O governo espanhol não pôde bombardear impunemente o País Basco para acabar com a ETA, nem o governo britânico pôde arrasar Irlanda para liquidar a IRA. Talvez a tragédia do Holocausto implique uma apólice de eterna impunidade? Ou essa luz verde vem da potência ‘manda chuva’ que tem em Israel o mais incondicional dos seus vassalos? O exército israelense, o mais moderno e sofisticado do mundo, sabe quem mata. Não mata por erro. Mata por horror. As vítimas civis chamam-se danos colaterais, segundo o dicionário de outras guerras imperiais.

Em Gaza, de cada dez danos colaterais, três são meninos. E somam milhares os mutilados, vítimas da tecnologia do esquartejamento humano, que a indústria militar está a ensaiar com êxito nesta operação de limpeza étnica. E como sempre, sempre o mesmo: em Gaza, cem a um. Por cada cem palestinos mortos, um israelita. Gente perigosa, adverte o outro bombardeamento, a cargo dos meios massivos de manipulação, que nos convidam a achar que uma vida israelense vale tanto como cem vidas palestinianas. E esses meios também nos convidam a achar que são humanitárias as duzentas bombas atômicas de Israel, e que uma potência nuclear chamada Irã foi a que aniquilou Hiroshima e Nagasaki.

A chamada comunidade internacional, existe? É algo mais que um clube de mercadores, banqueiros e guerreiros? É algo mais que o nome artístico que os Estados Unidos assumem quando fazem teatro? Ante a tragédia de Gaza, a hipocrisia mundial destaca-se uma vez mais. Como sempre, a indiferença, os discursos vazios, as declarações ocas, as declamações altissonantes, as posturas ambíguas, rendem tributo à sagrada impunidade. Ante a tragédia de Gaza, os países árabes lavam as mãos. Como sempre. E como sempre, os países europeus esfregam as mãos.

A velha Europa, tão capaz de beleza e de perversidade, derrama uma ou outra lágrima enquanto secretamente celebra esta jogada de mestre. Porque a caça aos judeus foi sempre um costume europeu, mas desde há meio século essa dívida histórica está a ser cobrada dos palestinos, que também são semitas e que nunca foram, nem são, antissemitas. Eles estão a pagar, em sangue, na pele, uma conta alheia. Via: Correio do Brasil


O general e escritor americano William T. Sherman dizia que o sucesso na guerra é obtido “sobre os corpos mortos e mutilados, com a angústia e lamentações de famílias distantes”. Apenas aqueles que “nunca ouviram um tiro e nunca ouviram os gritos e gemidos dos feridos e dilacerados clamam por mais sangue, mais vingança, mais desolação”.

Das cenas deploráveis do massacre na Faixa de Gaza, uma ganhou destaque pelo inusitado macabro.

Grupos de israelenses têm assistido o bombardeio do alto da colina da cidade de Sderot. Não exatamente constritos. Eles vêem os mísseis viajarem no céu e aplaudem quando atingem o alvo. A maioria carrega cadeiras de plásticos para o lugar. Há até sofás. Comem pipoca e tomam cerveja.

Sderot fica próxima de Gaza e tem uma vista privilegiada daquela área. Repórteres costumam ir para lá em busca de imagens.

Um dinamarquês chamado Allan Sorensen postou uma foto no Twitter do camarote e escreveu: “Cinema Sderot”. O tuíte foi compartilhado milhares de vezes.

Diante da repercussão, Sorensen explicou que aquele tipo de reunião insólita não era novidade e que foi tema mesmo de uma reportagem da TV da Dinamarca há cinco anos. “Isso é parte do processo de desumanizar o inimigo”, disse ele.

Uma outra jornalista acabou abatida. Diana Magnay, da CNN, estava narrando a chuva de mísseis. Numa certa altura da matéria, com a algazarra ao seu lado, ela se viu obrigada a explicar o que era aquilo.

Mais tarde, postou o seguinte nas redes sociais: “Israelenses no monte em Sderot comemoram enquanto bombas aterrissam em Gaza; ameaçam destruir nosso carro se eu falar uma palavra errada. Escória”.

Magnay apagou o post, mas não adiantou. Foi afastada da cobertura e enviada para Moscou.

Há pressão de organizações de direitos humanos de Israel para que o drive in seja fechado. “Nós estamos aqui para ver Israel destruir o Hamas”, afirmou uma das frequentadoras. O que está sendo destruído ali é algo bem maior do que ela imagina, é intangível e não é o Hamas.


Icaraí recebe acejianos em ações de abertura de 51 anos de fundação

Ação conjunta com Icaraí Clube de Veraneio Hotéis e Turismo também marca lançamento de títulos patrimoniais do empreendimento e mobiliza sociedade civil organizada em defesa do litoral

A Aceji (Associação Cearense de Jornalistas do Interior) completou no dia 30 de junho, 51 anos de fundação. A abertura oficial das comemorações alusivas ao evento acontece neste sábado, dia 26, a partir das 9h30, com uma cerimônia na sede social do Icaraí Clube de Veraneio, no município de Caucaia.

De acordo com a programação elaborada pela diretoria entidade, em conjunto com a direção do ICVHT (Icaraí Clube de Veraneio), as ações terão início às 9h30, tendo como ponto alto uma feijoada que será servida aos participantes na casa de praia da Aceji, localizada a poucos metros do clube. Durante a solenidade a Aceji prestará homenagem a diretores e outras personalidades ligadas à imprensa e à cultura, como o jornalista Tadeu Nascimento (TV Diário) e o presidente da ACE (Associação dos Escritores do Ceará), Francisco Clementino Ferreira.

Por sua vez, o Icaraí Clube homenageará o presidente da Almece (Academia de Letras dos Municípios do Ceará), Francisco Lima Freitas e outras figuras identificadas com a instituição.

PROGRAMAÇÃO

- Entrega da Comenda Jornalista Dutra de Oliveira a personalidades do Estado e diretores da Aceji

- Lançamento do Centro Cultural Darci Ribeiro, em parceria com a Almece (Academia de Letras dos Municípios do Estado do Ceará;

- Lançamento da campanha para construção do auditório da Aceji em Fortaleza;

- Criação do Comitê Organizador das Comemorações dos 50 anos do Icaraí Clube;

- Transmissão de cargos e posse do presidente do Conselho Administrativo, Paulo Roberto Pereira;

- Apresentação do livro A Copa na Mídia (Brasil: anfitrião de primeira com futebol de segunda),  do escritor Adegildo Férrer;

- Feijoada de confraternização na casa da Aceji