EDITOR RESPONSÁVEL: JORNALISTA CLÓVIS ALMEIDA - MTE/3416 - CE

EDITOR RESPONSÁVEL: JORNALISTA CLÓVIS ALMEIDA - MTE/3416 - CE
Processo no Conselho de Ética apura se ele mentiu sobre contas na Suíça. Relator informou que apresentará parecer sobre o caso na segunda-feira.

Fernanda Calgaro Do G1, em Brasília
A defesa do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), entregou na tarde desta sexta-feira (27) uma petição ao Conselho de Ética da Casa na qual tenta impedir que processo que o investiga no colegiado analise denúncia sobre suposto recebimento de propina.

O processo do Conselho de Ética que investiga Cunha foi aberto em 2015 para apurar a suspeita de que o peemedebista mentiu à CPI da Petrobras ao negar ter contas bancárias na Suíça.

Ele continua negando ser o dono das contas, mas admite ser o beneficiário de fundos geridos por trustes (entidades legais que administram bens e recurso). O processo pode resultar em punição que varia desde advertência até cassação do mandato.

No entendimento da defesa, outras denúncias que envolvem o presidente afastado, como o fato de ter supostamente recebido propina de um contrato da Petrobras, não podem ser objeto de investigação pelo Conselho de Ética.

Inicialmente, o relatório preliminar aprovado no colegiado (e que autorizou a continuação do processo) continha somente a acusação de que Cunha teria recebido propina de contrato com a Petrobras.

Para viabilizar a aprovação do relatório e conseguir os votos necessários, porém, o relator, deputado Marcos Rogério (DEM-RO) retirou esse ponto, mas colocou uma observação de que a investigação poderia ser ampliada caso surgisse algum outro fato.

A defesa de Cunha questiona a possibilidade de incluir nova denúncia na atual etapa do processo. Para os advogados do peemedebista, a eventual inclusão pode tornar o processo nulo.

"É inaceitável que se inclua uma nova acusação nesta fase processual (após a finalização da instrução), seja por deslealdade processual, seja por absoluta legalidade, com o objetivo de se fabricar provas que não existem, razão pela qual essa tentativa ilegal de inclusão de nova acusação neste momento processual seja repelido com veemência", diz a petição.

Durante a fase de coleta de provas, testemunhas ouvidas pelo colegiado mencionaram o pagamento de propina a Cunha e Marcos Rogério decidiu conceder um prazo de até cinco dias úteis para a defesa se manifestar sobre esses fatos – o prazo terminou nesta sexta-feira.

“Ele impugna a tentativa de incluir fatos novos depois da fase de instrução”, afirmou o relator Marcos Rogério ao comentar ao G1 o documento enviado pela defesa de Cunha.

Em depoimento ao conselho em abril, o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, confirmou que repassou pagamentos de propina em espécie a Cunha (PMDB-RJ). Um dos delatores da Operação Lava Jato, Baiano ressaltou, porém, não ter conhecimento de que o peemedebista tenha contas bancárias no exterior.

Na petição, a defesa cita a mais recente decisão do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), que, na semana passada, determinou que o relatório final se limite às denúncias mencionadas no parecer preliminar. Em decisão de 19 de abril, antes da votação do parecer preliminar, Maranhão já havia decidido limitar as investigações do Conselho de Ética à suspeita de que Cunha teria contas secretas.

Marcos Rogério informou que pretende concluir o seu relatório até a tarde de segunda-feira (20). A entrega oficial ao colegiado será em uma reunião convocada na terça-feira (31) pelo presidente do conselho, José Carlos Araújo (PR-BA).

A expectativa é que uma sessão para a leitura do relatório seja marcada para quarta (1º). Após a leitura, o advogado de defesa deverá apresentar as suas alegações finais. Em seguida, deverá ser concedido pedido de vista coletivo, mais prazo para que os deputados possam estudar o conteúdo, pelo período de dois dias úteis. Segundo o relator, a discussão e a votação deverão ficar apenas para a outra semana.
Marcelo Auler
Em decisões proferidas respectivamente em 30 de março (que só tomamos conhecimento dia 10 de maio) e 5 de maio (da qual recorremos sem notificação oficial) o 8º e o 12º Juizados Especiais Cíveis de Curitiba, a pedido dos delegados federais Erika Mialik Marena e Mauricio Moscardi Grillo, ambos da Superintendência Regional do Departamento de Polícia Federal no Paraná (SR/DPF/PR) determinaram a suspensão de 10 reportagens publicadas neste blog. A juíza do 8º Juizado Especial, Vanessa Bassani, foi além e proibiu.

 “divulgar novas matérias em seu blog com o conteúdo capaz de ser interpretado como ofensivo ao reclamante” (o dpf Moscardi)


Através de um Mandado de Segurança impetrado junto à Turma Recursal dos Juizados Especiais do Estado do Paraná, os advogados Rogério Bueno da Silva, Tarso Cabral Violin e Thaisa Wosniack, do escritório Rogério Bueno, Advogados Associados, pedem a cassação da liminar do 12º Juizado Especial que obriga a retirar nove matérias do blog. Eles deixam claro que a determinação judicial “incorre em cerceamento nítido da liberdade de expressão” garantida pela Constituição Federal. A mesma medida será impetrada contra a decisão do 8º Juizado. Os advogados destacam ainda que,

“de maneira clara e acintosa, o blog do Impetrante está sendo alvo de censura, inclusive na modalidade de censura prévia, quando proíbe a publicação de novas matérias envolvendo o Requerente (delegado Maurício Moscardi Grillo), vulnerando de maneira acintosa os princípios da liberdade de imprensa”. 


O viés político da Lava Jato – Para Bueno da Silva, o objetivo dos delegados é “sufocar” os jornalistas que fazem críticas às práticas adotadas na Operação Lava Jato. Nesse sentido, o delegado Igor Romário de Paula também ingressou com uma ação contra o jornalista Luís Nassif, editor do JornalGGN. As três ações foram impetradas pela advogada Márcia Eveline Mialik Marena, irmã da delegada Érika. Escolheram o Juizado Especial Cível, para terem a opção do fórum. Com as ações correndo em Curitiba, os jornalistas, além das despesas com a defesa, terão gastos com os deslocamentos. Todos pedem indenização mais alta permitidas: R$ 35.200, em cada ação, a título de Direito de Imagem.

Eles, porém, desconhecem a solidariedade. Diversos blogueiros já fizeram uma vaquinha para ajudar a pagar a nossa defesa que, por sinal, teve um preço altamente simbólico por parte do escritório de advocacia. Com esta ajuda, pagamos as custas dos Mandados de Segurança.

No processo contra Nassif, a advogada também requereu a suspensão da reportagem Com excesso de poder, a Lava Jato pode ter virado o fio, publicada em 2 de fevereiro, no JornalGGN. Mas, a juíza Sibele Lustosa, do 6º Juizado Especial, não a atendeu. Leia, a propósito: Ao tentar censurar Nassif, delegado confessa viés político da Lava Jato.


O direito de liberdade de expressão é um direito fundamental, que se mostra como corolário da dignidade da pessoa humana, representando, de outra parte, fundamento necessário à sobrevivência do Estado, por isso, a restrição ao direito de se expressar livremente representa um exercício de violência, por parte de quem promove a censura, seja o Estado ou o próximo, na medida em que viola a abrangência totalizante da dignidade da pessoa humana”, diz a inicial do Mandado de Segurança.

Os advogados recorrem ainda à Declaração de Chapultepec, cidade do México na qual a Conferência Hemisférica sobre liberdade de Expressão, em março de 1994, elaborou uma carta de princípios endossada por chefes de estado, juristas e entidades ou cidadãos comuns. O Brasil referendou esta carta no Governo de Fernando Henrique Cardoso, em 1996. Em 2006, Luís Inácio Lula da Silva reafirmou a adesão do país. A declaração deixa claro que:

Uma imprensa livre é condição fundamental para que as sociedades resolvam seus conflitos, promovam o bem-estar e protejam sua liberdade. Não deve existir nenhuma lei ou ato de poder que restrinja a liberdade de expressão ou de imprensa, seja qual for o meio de comunicação. Porque temos consciência dessa realidade e a sentimos com profunda convicção, firmemente comprometidos com a liberdade“.

Confira matéria na íntegra no Blog do Marcelo Auler - Repórter Investigativo que foi censurado.
Uma propaganda chinesa de uma marca de sabão para lavar roupas tem recebido críticas e foi chamada de "comercial mais racista" já veiculado.

Na propaganda, um homem negro aparece com a roupa e o rosto sujos e flerta com uma mulher chinesa. A jovem aproveita a aproximação do homem e coloca na boca dele uma cápsula do sabão. Em seguida, o homem é empurrado para dentro de uma máquina de lavar. Ao final da "lavagem", um homem chinês sai da máquina, como se o sabão tivesse "embranquecido" o homem negro. A chinesa demonstra estar satisfeita com a mudança e o comercial termina.

Segundo o site G1, a propaganda já é veiculada na China há cerca de um mês, mas só passou a ser criticada e viralizou na web quando artistas de outros países começaram a criticar a mensagem racista contida na publicidade. O dono da marca de sabão para roupas Qiaobi disse à BBC não ter percebido conteúdo racista no comercial. "Não sei muito sobre aquele anúncio", respondeu ele, que preferiu se identificar apenas como Sr. Xia. "Para ser honesto, eu não prestei muita atenção no anúncio", continuou o proprietário da marca.

O inusitado é que em 2008, uma pesquisa global entrevistou pessoas de 16 países sobre a discriminação racial e, na ocasião, 90% dos chineses disseram que a igualdade racial é importante. No entanto, segundo o censo mais recente, há 600 mil estrangeiros vivendo na China, sendo que uma pequena parcela deles é negra. A maior parte da população chinesa, 1,3 bilhão de pessoas, dificilmente interage com os negros. CGN

Jair Messias Bolsonaro fez menção honrosa ao coronel Ustra, que estuprava mulheres e colocava até ratos em suas vaginas. Também votou a favor do projeto de lei 5069, que dificulta o atendimento a vítimas de abuso sexual.

Nunca vi um carro com tantas marcas de cuspe.

Diz o ditado: Aqui na terra se colhe o que se planta,

Bostonaro plantou e colheu...

Jair Bolsonaro, foi recebido com gritos de "estuprador" em Niterói-RJ, nesta sexta-feira. Bolsonaro discursou no Clube Português. Plantão Brasil

O mais preocupante é a possibilidade do governo "mudar as regras no meio do jogo". Ou seja, alterar os direitos dos atuais segurados e trabalhadores que contribuíram por décadas para o INSS

A equipe econômica do presidente em exercício Michel Temer confirmou os rumores dos últimos dias e deverá apresentar no dia 03 de junho as propostas para reforma da Previdência Social brasileira. Ainda não se sabe quais serão os pontos debatidos e as mudanças nas regras das concessões de aposentadoria do segurados do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

O novo governo até formou um grupo com representantes de centrais sindicais para discutir a reforma, mas o que se aguarda podem não ser boas notícias para os atuais contribuintes do INSS. A principal ideia, já explanada pelo novo presidente, é a possibilidade da fixação de uma idade mínima para homens e mulheres, segurados urbanos e rurais, para concessão da aposentadoria. E a idade seria de 65 anos.

Mistérios e debates à parte, o mais preocupante é a possibilidade do governo "mudar as regras no meio do jogo". Ou seja, alterar os direitos dos atuais segurados e trabalhadores que contribuíram por décadas para o INSS. Sem dúvida, trata-se de uma medida impopular e que poderá gerar uma grande perda social, caso sejam alterados os chamados "direitos adquiridos".

E a reforma pode seguir um caminho que não é o correto, pois a principal justificativa do governo para as prováveis e quase certas mudanças, é a de que o Brasil tem um déficit bilionário. De acordo com estimativa do Tribunal de Contas da União (TCU), deve encerrar o ano com déficit de R$ 124 bilhões, números estes desmentidos pela Associação Nacional dos Auditores Ficais da Receita Federal (ANFIP) bem como pela Economista Professora Doutora da UFRJ, Denise Lobato Gentil.

Qualquer investigação técnica mais profunda vai demonstrar o oposto, pois, o sistema apresenta superávit. O crescimento econômico registrado nos últimos dez anos trouxe a redução da informalidade e o aumento do número de empregos formais, o que alavancou a arrecadação previdenciária.

A Previdência Social não tem problemas. Na verdade, ela pode ser tida como um grande ponto de soluções. Tanto é que quando o governo quer injetar renda na economia, basta usar o sistema de proteção social.

Não é correto utilizar a Previdência como fuga e principal vetor de mudança econômico, pois corremos o risco de prejudicar a ponta mais frágil da corrente: o trabalhador.
Com todo este cenário, é importante alertar que este é o momento de acelerar o planejamento da aposentadoria .

Planejar aposentadoria é fundamental para todos os cidadãos, independentemente da classe social ou função. O ideal é buscar um especialista em planejamento de aposentadoria e verificar o tempo de recolhimento, quanto tempo falta para se aposentar e fazer uma projeção buscando o menor recolhimento, no menor espaço de tempo possível, visando o maior retorno. Até porque nos próximos dias as regras podem mudar e aposentadoria ficar mais distante.

Murilo Aith é advogado de Direito Previdenciário e sócio do escritório Aith, Badari e Luchin Sociedade de Advogados Administradores
Mosquitos Aedes aegypti, vetor da zikaArquivo/Agência Brasil
A Organização Mundial da Saúde (OMS) rebateu hoje (28) as declarações de um grupo de cientistas e afirmou que não há motivos para adiar ou cancelar os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, previstos para agosto, devido ao surto do vírus Zika. Na avaliação da OMS, eventual mudança no calendário da competição não alteraria significativamente a propagação do vírus. O Brasil é um dos 60 países que registraram a presença do Zika em seu território.

"Com base na avaliação atual do vírus Zika circulando em quase 60 países globalmente e em 39 nas Américas, não há nenhuma justificativa de saúde pública para adiar ou cancelar os Jogos. A OMS continuará monitorando a situação e atualizando as recomendações, se necessário", afirmou a entidade, em comunicado.

A manifestação da OMS foi provocada por uma carta aberta na qual pesquisadores de pelo menos 15 países pediram à organização e ao Comitê Olímpico Internacional (COI) o adiamento do evento esportivo em nome “da saúde pública” devido à presença do vírus Zika na cidade.

Em nota, a OMS também ressaltou que está fazendo recomendações ao governo brasileiro e ao Comitê Olímpico sobre formas de reduzir o risco de atletas e turistas de contraírem o vírus durante os Jogos, como o combate ao mosquito Aedes aegypti,que além do Zika, transmite a febre chikungunya, febre amarela e a dengue.

Ontem (27), após a divulgação da carta dos cientistas, o Ministério da Saúde esclareceu que o mês de agosto, quando a competição será realizada, é o período do ano de baixa incidência das doenças provocadas pelo mosquito. O ministério ressaltou ainda o fato de a OMS não ter feito nenhuma recomendação para restrição de viagens, exceto às grávidas.

André Richter - Repórter da Agência Brasil
Com novo nome e sem subsídios para famílias de baixa renda, programa habitacional praticamente chega ao fim; o governo interino de Michel Temer (PMDB) decidiu acabar com os subsídios concedidos aos mutuários mais pobres do Minha Casa Minha Vida; o programa deixará de receber recursos do Tesouro Nacional, para subsidiar as famílias de baixa renda.

Brasil 247 - O governo interino de Michel Temer (PMDB) decidiu acabar com os subsídios concedidos aos mutuários mais pobres do Minha Casa Minha Vida. O programa habitacional deixará de receber recursos do Tesouro Nacional, repassados pela União a fundo perdido, para subsidiar as famílias enquadradas na faixa 1 (renda de até R$ 1.800) e na faixa 2 (até R$ 3.600). Além disso, o programa, uma das marcas dos governos Lula e Dilma, mudará de nome. Michel Temer está decidido a não manter as marcas da gestão anterior, consideradas estratégias de marketing politico.

Em 2015, o Tesouro desembolsou um total de R$ 11,8 bilhões em subsídios para essas duas faixas. Neste ano, relatou o ministro Henrique Meirelles a empresários da construção civil, somente estão assegurados repasses para as contratações do Minha Casa já realizadas. O montante gira em torno de R$ 3,5 bilhões. A redução dos subsídios faz parte do pacote de medidas do ajuste fiscal anunciado pelo ministro na última terça-feira.

Diante das restrições no Orçamento da União, a terceira etapa do Minha Casa Minha Vida está sendo totalmente reformulada pelo Ministério das Cidades e deverá ser relançada com uma meta menos ousada, de até 1,5 milhão de unidades nos próximos três anos. A presidente afastada, Dilma Rousseff, prometeu 3 milhões de residências às vésperas da campanha presidencial em 2014.

A nova faixa de renda intermediária (entre R$ 1.800 e R$ 2.300), que nem saiu do papel, será abandonada. Dilma, segundo interlocutores, insistiu na criação desta categoria, diante da escassez de recursos da União, para continuar doando casas na faixa 1, que encolheu — mesmo com pareceres contrários da Fazenda, da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil.

O "relançamento" do programa, como política habitacional do governo Temer, só ocorrerá se o afastamento definitivo da presidente for aprovado pelo Senado. As mudanças estão sendo discutidas de maneira reservada no governo, para evitar atritos com parlamentares, diante da interinidade de Temer.

Procurada, a assessoria de Henrique Meirelles confirmou o encontro com os empresários, mas evitou falar sobre as mudanças no Minha Casa, atribuição de outra pasta. Em nota, o Ministério das Cidades reafirmou o compromisso do atual governo com o programa:

“O Ministério das Cidades nunca alterou o compromisso com a continuação e prioridade do Programa Minha Casa Minha Vida, sem qualquer interrupção. Desde que assumiu a pasta, o ministro Bruno Araújo determinou aos secretários do ministério que fizessem um levantamento de todos os programas (...) Com base nesses dados, serão feitos aprimoramentos no programa, com cautela e sem paralisação”.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) criticou o corte no programa. 

"O Minha Casa Minha Vida é um dos programas de maior impacto na vida da população mais pobre. O subsídio é a essência do programa. Além de retirar das pessoas o acesso à moradia será um desserviço ao desenvolvimento da economia local. O programa gera milhares de empregos.
É para isso que está servindo o impeachment", disse.
Comemorando os 70 anos do bairro Montese, a Câmara Municipal de Fortaleza em sessão solene nesta segunda-feira, 23, homenageou os soldados brasileiros que compuseram a Força Expedicionária Brasileira (FEB) na 2ª Guerra Mundial. Proposta pelo vereador Deodato Ramalho (PT), a solenidade relembrou o combate na cidade de Montese na Itália em 14 de abril de 1945, culminando com a vitória da FEB no campo de guerra.

Deodato Ramalho destacando as dificuldades enfrentadas pelo Brasil em 1945, sob o regime do Estado Novo, enfatizou a coragem dos jovens brasileiros, muitos saídos do interior. O parlamentar evidenciou o combate em Montese como sendo uma das mais difíceis missões, devido as condições estruturais das tropas e a localização das forças alemãs. Ressaltando a importância do reconhecimento do trabalho dos praças cearenses, que ao retornarem ao Brasil precisaram luta por garantias junto ao Governo.

No ano de 1999 Fortaleza firmou um pacto de amizade com a cidade de Montese na Itália, tornando-as cidades-irmãs. Deodato Ramalho destacou ainda projetos de sua autoria em tramitação na Casa, criando o Museu Histórico do Montese e a Semana da Memória Histórica da Vitória contra o nazifascismo e reverência aos expedicionários da FEB.

O Plenário da CMFor ficou lotado
A solenidade prestou uma homenagem aos combatentes mortos em combate, são eles: os 2º sargentos Hermínio Aurélio Sampaio e Francisco Firmino Pinho; os 3º sargentos Francisco de Castro e Edson Sales de Oliveira; e os soldados Clóvis da Cunha Pais de Castro e José Custódio Sampaio. Em comemoração aos 70 anos do bairro Montese, a CMFor reconheceu a atuação do Dr. Raimundo Nonato Ximenes, fundador do bairro; do Instituto Montese; do Colégio Nossa Senhora do Carmo. Assim também como os presentes: Evaristo Fernandes, Cícero David de Ouro Preto, Geraldo Rodrigues, Francisco Bernardino e João do Carmo Tenório, além do capitão Jacy Martins Teixeira (in memorian), que lutaram pela Força Expedicionária Brasileira.

O presidente da Associação Nacional dos Veteranos da FEB, Coronel Francisco de Assis e Sousa, agradeceu o reconhecimento da Câmara Municipal de Fortaleza ao trabalho realizado pelas forças armadas brasileiras na Segunda Guerra Mundial. A diretora do cultural do Instituto Montese, Kátia de Sousa, destacou a mensagem do prefeito de Montese na Itália, Luciano Massa, que reforçou o empenho dos soldados brasileiros em prol da humanidade. A carta reafirma os laços da cidade de Montese com Fortaleza como cidades-irmãs.


O coronel Luiz José Silveira Benício, representando a 10ª Região Militar, evidenciou a importância do momento proporcionado pela Câmara na reafirmação da história do país. “Pobre de um povo que não estuda a sua história e pobre de um povo que não reconhece os seus heróis”, pontuou.

A solenidade contou com a presença do capitão dos Portos do Ceará, Leonardo Salema; do tenente-coronel Jorge Luiz Bernardo, representando o Colégio Militar de Fortaleza; do presidente da Associação dos ex-combatentes do Brasil – Seção Ceará, 2º tenente Evaristo Fernandes de Oliveira; e de Luíza Poti, representando os familiares dos ex-combatentes.

Com informações da CMFor 

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, assinou norma que proíbe “a classificação de quaisquer pedidos e feitos novos ou já em tramitação no tribunal como ‘ocultos”. Conforme a Resolução 579/2016, a medida atende aos princípios constitucionais da publicidade, do direito à informação, da transparência e aos tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário.

Diferentemente dos casos que tramitam sob segredo de Justiça, os processos ocultos não apareciam no sistema do tribunal. A partir de agora, será possível verificar a existência de uma investigação, bem como identificar os investigados, seja nominalmente ou por meio de suas iniciais, no caso de procedimentos sob sigilo.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, calcula-se que o Supremo mantenha ocultos mais de 700 processos que foram arquivados.

O STF diz que a mudança também é relevante para que o próprio tribunal tenha maior controle sobre seu acervo de processos, inclusive para produção de dados estatísticos internos e para pesquisadores externos.

Ordens de prisão e de busca e apreensão ainda não vão identificar pessoas, até que sejam devidamente cumpridas. De acordo com a resolução, os requerimentos de busca e apreensão, quebra de sigilo telefônico, fiscal e telemático, interceptação telefônica, dentre outras medidas necessárias no inquérito, serão processados e apreciados, em autos apartados e sob sigilo, conforme previsto no artigo 230-C, parágrafo 2º, do Regimento Interno do STF. Dessa forma, segundo Lewandowski, a norma não causa prejuízo às investigações criminais.

Em 2012, ministros da corte iniciaram uma discussão sobre os processos ocultos. Na ocasião, o então presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, elaborou uma nota técnica sugerindo a adoção de normas para a omissão total de determinados inquéritos, os processos ocultos.

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil elogiou a mudança. “A transparência é um valor salutar para a democracia e para o bom funcionamento do Judiciário. A OAB acompanha com atenção as medidas adotadas por tribunais para ampliar o direito dos cidadãos à informação e resguardar, ao mesmo tempo, os direitos e garantias individuais”, declarou, em nota, o presidente do Conselho, Claudio Lamachia. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

* Atualizado às 15h45 do dia 27/5/2016, para acréscimo de informações. Consultor Jurídico

Venho aqui me dirigir aos meus leitores e amigos do nosso portal, e, em caráter humanitário, solicitar ajuda para o meu amigo Vieira (José Vieira de Castro - 61 anos), que se encontra com câncer no intestino e está em tratamento de quimioterapia, para que possa melhorar e ser operado.

É um cara que conheço, que sempre foi um batalhador, sempre trabalhou (autônomo) e agora está sem condições de trabalhar, sem condições de colocar dentro de casa e consequentemente, também não está em condições de manter seu tratamento.

O quadro clínico dele teve agravamento em dezembro do ano passado (2015), pois nosso amigo Vieira, sentia os sintomas e não informava para sua esposa, achando que era algo passageiro e depois de ir ao médico e passar por baterias de exames, foi constatado 'Neoplastia Gástrica' e 'Ascite'. Vieira foi perdendo peso, esteve internado e agora se alimenta através de sonda e está reagindo bem aos procedimentos de quimioterapia. Com a fé de Deus e ajuda de amigos, vai se restabelecer.

Extraído de um vídeo que o amigo Vieira fez...

"Olá me chamo Jose Vieira de Castro, tenho 61 anos e venho aqui pedir a ajuda de todos que puderem me ajudar.

Tenho câncer no intestino e preciso de ajuda financeira ou de qualquer outra ajuda possível, pois de meus filhos (de um outro relacionamento) e familiares (parentes de sangue), não recebo qualquer tipo de ajuda. Quem me ajuda é a minha esposa e a minha enteada (filha de minha atual esposa). 

Peço para aqueles que poderem me ajudar, que ajudem... Sei que Deus irá retribuir tudo aquilo que vocês fizerem por mim... Preciso de fraldas tamanho 'G', preciso de máscara descartáveis, preciso de garrafinha e mangueiras para dietas enterais e também preciso de seringas de 20ml. 

Agradeço desde já e que o Senhor Jesus possa retribuir a vocês".

Bom gente, ele está precisando destes produtos que constam na lista e quem puder ajudar, agradecemos.

PRODUTOS DE HIGIENE
- Hidratantes,
- Enxaguante bucal sem álcool,
- Sabonetes líquidos,
- Óleo de Girasol,
- Talco.

PRODUTOS PARA DIETA
- Seringas de 20 ml,
- Garrafinhas para dieta enteral,
- Mangueiras para dieta enteral.

MEDICAMENTOS
- Duomo 10MG,
- Dramin B6,
- Buscopan.

ALIMENTAÇÃO
- Isosource Soya,
- Leite Desnatado


ESSA DIETA (Isosource Soya), É O MAIS IMPORTANTE.
POIS É A ALIMENTAÇÃO QUE ELE NECESSITA, PARA MANTER COM OS NUTRIENTE NO CORPO, NESTE PERÍODO DE QUIMIOTERAPIA.

Confira aqui na página AMIGOS SOLIDÁRIOS no Facebook

Quem poder ajudar entre em contado:
085-98556.3504
085-991544315 (Joelma / Esposa)
085-99192.1130 ou 
085- 99179.7995 (  )

Também dispõe de uma conta corrente:
Conta - 004357 4 0200
Agência - 2608 - 5

Endereço, Rua Conselheiro Araújo Lima, 1429 - Bairro Dom Lustosa - Próximo ao Mercadinho Azevedo. Segue o mapa para ajudar a chegar no local.

     

Antecipadamente agradeço aos amigos e leitores que puderem ajudar o amigo Vieira, e, contem com o nosso portal também para atos solidários e humanitários.

Atenciosamente Jornalista Clóvis Almeida 'Junior Pentecoste' - MTE 3416/CE
Pelo WhatsApp – Recente propagação de texto via redes sociais, principalmente WhatsApp, sobre suposto esquema de corrupção envolvendo políticos virou caso de polícia em Campo Grande esta semana. A ponto de um jornalista ser levado a depor ao Garras, delegacia normalmente acionada para investigar grandes roubos ou casos de sequestros, e questionar “o procedimento de nossas autoridades estaduais”. O objetivo seria descobrir quem é o autor das denúncias.

Estado de exceção – Quem conta a história é o próprio jornalista Dante Filho, em “Estado de Exceção”, texto que divulgou ontem à tarde. Ele diz que por quase uma hora falou sobre o tal material denunciando políticos. “O delegado disse-me que no momento ‘a seringa’ estava apontada para mim. Eu ri. A situação é surreal. Perguntei para ele se não seria o caso de investigar as denúncias ali contidas. Ele me disse que isso está acontecendo em outras esferas de investigação”.

Gravidade do momento – A denúncia ao Garras foi feita no dia 23 de maio por Nelson Brandão Junior, que é servidor no Tribunal de Contas do Estado. “Espero que os profissionais de imprensa que sabem quais são os perigos das ditaduras percebam a gravidade do momento em Mato Grosso do Sul”, encerra Dante Filho, que até pouco tempo, inclusive, era assessor da conselheira Marisa Serrano, ou seja, trabalhava no próprio TCE, e já assessorou grupos políticos, entre eles o PSDB.

Matéria completa no Campo Grande News
O PDT entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), na última sexta-feira, pedindo a anulação da reforma administrativa promovida pelo presidente interino Michel Temer (PMDB-SP). O relator da ADPF (Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental) será o ministro Luís Roberto Barroso.

Os pedetistas questionam o fato de um governo provisório mexer em postos-chave da administração pública, como trocar ministros e fundir pastas. Até que o Senado decida formalmente se afastará ou não Dilma Rousseff, diz o PDT, Temer ainda deve trabalhar como um governante interino. A ADPF fala em “usurpação das funções da Presidência da República pelo vice-presidente em exercício”.

"Queremos que o Supremo se manifeste nessa ADPF justamente para evitar toda uma reformulação administrativa dentro de um governo que é provisório. Até que se vote o mérito no Senado, é um governo provisório. A gente sabe que não cabe a um governo provisório exercer prerrogativas de Presidente da República — disse o deputado André Figueiredo, vice-presidente nacional do PDT e ex-ministro de Dilma."

O PDT pede, na ADPF, que a Corte conceda uma liminar para suspender qualquer mudança feita por Temer até o julgamento definitivo da situação da presidente afastada Dilma Rousseff.

André Figueiredo criticou ainda as “idas e vindas” do governo interino do PMDB, como a decisão de recriar o Ministério da Cultura, oficializada neste sábado. E disse que problemas como o que enfrenta agora o ministro Romero Jucá, que anunciou que ficará licenciado do cargo a partir desta terça, “mais cedo ou mais tarde iriam aparecer”:

"Só não sabia que seria tão cedo. Desde que Temer tomou posse, nos últimos 10 dias, vimos também uma série de idas e vindas na composição ministerial."

Na arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF 409), os advogados do PDT procuram demonstrar que “a prática de atos de nomeação para a pasta ministerial, a fusão e a extinção de órgãos ministeriais e de secretarias de governo, por meio da Medida Provisória 726/2016”, descumpriram vários preceitos fundamentas da Constituição de 1988.

Os preceitos fundamentais em questão seriam os seguintes: “Artigo 79, parágrafo único, no que disciplinam a substituição do Presidente da República e estabelece as atribuições do Vice-Presidente; artigo 84 e parágrafo único, que prescrevem as competências privativas atribuídas ao Presidente da República e disciplinam as hipóteses passíveis de delegação aos Ministros de Estado, ao Procurador-Geral da República ou ao Advogado-Geral da União, nos limites estabelecidos no ato delegatório, sem fazer qualquer referência ao Vice-Presidente da República”.

Para os advogados do PDT, Marcos Ribeiro de Ribeiro e Ian Rodrigues Dias, está configurada “a usurpação das funções da Presidência da República pelo Vice-Presidente em exercício, pois a Presidenta da República encontra-se no curso do seu mandato, consoante esclarece o parágrafo 4º do ART. 86 da Constituição Federal, estando tão-somente suspensa de suas funções em virtude do procedimento de impeachment admitido, primeiramente, pela Câmara dos Deputados, e, após, pelo Senado Federal”.

Fonte: http://www.brasilverde - Via Plantão Brasil
Fotos: Divulgação AL-CE
Por iniciativa do presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, Zezinho Albuquerque (PDT), as autoridades gestoras da área de segurança pública no Estado participarão do segundo expediente da sessão ordinária do Poder Legislativo, na próxima quarta-feira (01/06), a partir das 11 horas. O debate terá como principais expositores os secretários estaduais da Segurança Pública e Defesa Social, Delci Teixeira, e da Justiça, Hélio Leitão.

Também participarão do debate os gestores da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. As autoridades tratarão dos últimos acontecimentos relevantes registrados na área.

Assessoria de Imprensa - Assembleia Legislativa do Ceará

Salomão de Castro: 85.99611.8953 / Ilo Santiago Jr.: 85.99611.8950
O senador cassado Delcídio Amaral (ex-PT/MS) defendeu a saída do presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB/AL). “O Renan, como o Eduardo Cunha (presidente afastado da Câmara), deve sair urgentemente. Ele deve cair. Renan é o senhor dos anéis, faz o que quer, manipula tudo, usurpa.”

Delcídio partiu para o ataque e pediu a cabeça do presidente do Congresso depois da divulgação do áudio em que Renan conversa com ‘Vandenbergue’ sobre o processo de cassação do ex-petista.

Os investigadores suspeitam que o interlocutor de Renan é Vandenbergue Sobreira Machado, que é da diretoria de Assessoria Legislativa da CBF, foi chefe de gabinete do ex-ministro Marco Maciel (Educação/Governo Sarney) e é muito ligado ao PMDB e ao senador.

No diálogo, Renan diz a Vandenbergue que Delcídio ‘tem que fazer… Fazer uma carta, submeter a várias pessoas, fazer uma coisa humilde… Que já pagou um preço pelo que fez, foi preso tantos dias… Família pagou… A mulher pagou…’

Vandenbergue respondeu. “Ele (Delcídio) só vai entregar à comissão (Conselho de Ética), fazer essa carta e vai embora’.

O teor da conversa entre Renan e Vandenbergue Machado, divulgada com exclusividade pela repórter Camila Bonfim, da TV Globo, nesta quinta, 26, deixou Delcídio indignado. E com a certeza de que sua cassação foi ‘manipulada’ pessoalmente por Renan. “Ele (Renan) tinha medo da minha delação, ele tinha comprometimento com o Palácio do Planalto.”

Delcídio fechou acordo de colaboração com a Procuradoria-Geral da República em fevereiro. Dias depois, foi colocado em liberdade – ele havia sido preso em 25 de novembro de 2015 por suspeita de tramar contra a Operação Lava Jato.

“Esse Vandenbergue é um cara que eu conheço há muito tempo”, afirma Delcídio. “Ele é diretor da CBF, mas se criou sempre no PMDB. Começou como chefe de gabinete do Marco Maciel no Ministério da Educação (Governo Sarney) e depois fez carreira no PMDB, especificamente com o Renan.”

Delcídio relata que ‘tinha boas relações’ com Vandenbergue. “Mas achei estranho que ele ia ao meu gabinete aparentemente para prestar solidariedade, para me visitar e o caramba, mas agora percebo que ele ia a mando do Renan para sondar, para saber se eu ia mesmo fazer delação premiada. A conversa gravada entre eles mostra que estavam mal informados. Pelo que vi, a conversa foi no dia 24 de março. Eu já havia fechado o acordo antes de ser solto em fevereiro. Vandenbergue sempre frequentava o meu gabinete, sempre uma relação boa, amistosa, mas o interesse dele era efetivamente me monitorar. Não só a mim como a minha família. A mando do Renan.”

“Fomos perceber mais na frente um pouco que não era solidariedade do Vandenbergue, ele estava sendo mandado pelo Renan para me monitorar. Como eu tinha uma boa relação com o Vandenbergue me foi oferecido para minha defesa o filho dele, que é advogado. Ele se apresentou para advogar de graça para mim. Mas ele não é meu advogado.”

Na avaliação de Delcídio, o diálogo entre Renan e Vandenbergue revela a preocupação do presidente do Congresso em tirar seu mandato, o que de fato ocorreu no dia 10 maio por um placar devastador – 74 senadores votaram pela saída de Delcídio, nenhum colega a seu favor.

“Dentro dessas condições, como um Eduardo Cunha, ou seja, tendo todas as rédeas do processo para julgar alguém e usado os poderes que tem, ele (Renan) manipulou minha cassação”, protesta Delcídio. “O diálogo (com Vandenbergue) só confirma que Renan, o senhor dos anéis, deve ser afastado imediatamente. Não tem mais condições de comandar o Senado.”

Na avaliação do ex-senador, o áudio de Renan e Vandenbergue ‘caracteriza uma ação forte dele (Renan) de manipulação, igual à que o Eduardo Cunha promoveu no processo da Dilma. Ficou muito claro que Renan controla a situação. O cara está usurpando de um espaço que ele tem dentro do Senado, usando a presidência para fazer o que quer.”

Delcídio analisou um outro áudio, em que Renan chama de ‘mau caráter, mau caráter’ o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. “Isso é muito grave, mostra mais uma vez como ele, Renan, é o senhor dos anéis. Ele manipula tudo. Fui cassado por livre arbítrio do senhor dos anéis. Queimou etapas do processo. Eu nunca vi, em treze anos de Senado, uma reunião da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) no próprio Plenário.”

Para o ex-petista, Renan “tem medo, claro’ de sua delação à Procuradoria-Geral da República. “Ele tinha compromissos com o Planalto, com senadores que se sentiam atingidos pela minha colaboração. Pensaram em me tirar o mais rápido possível e não deixar eu ir para o plenário. Não queriam que eu votasse o afastamento da Dilma. Essa fala dele no áudio demonstra nitidamente que ele tinha condições de manipular tudo. Esse áudio vai ser usado na minha defesa.”

“Se eu conheço um pouco o Sérgio Machado o que ele deve ter falado nos depoimentos da delação dele à Procuradoria é brincadeira. Dez anos de Transpetro é muita coisa. Na minha colaboração eu falei especificamente do Sérgio Machado na Transpetro e da proximidade dele com o Renan. Ele despachava com o Sérgio na residência oficial da Presidência do Senado. É muito grave esse cenário. É o cáos.”

Por Fausto Macedo e Mateus Coutinho
Fonte: Estadão - Via amoDireito
A conquista de moradia própria sempre foi, ao longo do tempo, uma luta da classe trabalhadora. Esta peleja é particularmente árdua na faixa salarial abaixo das exigências do sistema financeiro habitacional convencional. Em sintonia com esta pauta, o mandato do vereador Deodato Ramalho (PT) propôs uma audiência pública na próxima segunda-feira (30), às 9h, para debater sobre o Programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) para servidores públicos municipais, estaduais e federais.

Segundo a Federação Nacional dos Servidores e Empregados Públicos Estaduais e do Distrito Federal, que vem lutando em favor desse direito, o déficit habitacional dentro das categorias é uma das fortes motivações para esse programa especial de moradia.

De acordo com o requerimento do vereador Deodato Ramalho, além de garantir a moradia a milhares de famílias, o programa MCMV é um importante impulsionador da economia de Fortaleza, incrementando a criação de emprego e renda.

Mais informações com a assessoria de imprensa, Mikaela Sampaio, via 98970.5219.
No Recife, bebês com microcefalia fazem exercícios para estimular o
desenvolvimento Sumaia Villela/Agência Brasil
Boletim divulgado hoje (24) pelo Ministério da Saúde confirma que 1.434 bebês nasceram com microcefalia e outras alterações no sistema nervoso devido a infecção congênita. Desses, 1.273 estão na Região Nordeste.

Dos 1.434 casos, 208 foram confirmados por exame de laboratório para infecção pelo vírus Zika. Porém, o ministério estima que a maioria dos casos está relacionada ao Zika.

Ao todo, os casos confirmados são 50 a mais em comparação ao boletim da semana passada. Ainda não há diagnóstico conclusivo para 3.257 recém-nascidos que podem ter a malformação.

Os 1.434 casos confirmados estão distribuídos por 517 municípios, localizados em 25 unidades da Federação.

Os números são referentes ao período de outubro de 2015 a 21 de maio de 2016, quando foram registrados 7.623 casos suspeitos. Deste total, 2.932 foram descartados por terem exames normais ou microcefalia derivada de outras causas.

No mesmo período, foram registradas 285 mortes suspeitas de microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central após o parto ou durante a gestação (abortamento ou natimorto) no país. Desses, 60 foram confirmados para microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central. Outros 187 continuam em investigação e 38 foram descartados.

Zika

Transmitido por um mosquito bem conhecido dos brasileiros, o Aedes aegypti, o vírus Zika começou a circular no Brasil em 2014, mas teve os primeiros registros feitos pelo Ministério da Saúde em maio de 2015. O que se sabia sobre a doença, até o segundo semestre do ano passado, era que sua evolução costumava ser benigna e que os sintomas, geralmente erupção cutânea, fadiga, dores nas articulações e conjuntivite, além de febre baixa, eram mais leves do que os da dengue e da febre chikungunya, também transmitidas pelo mesmo mosquito.

Porém, em outubro de 2015, exame feito pela médica especialista em medicina fetal, Adriana Melo, descobriu a presença do vírus no líquido amniótico de um bebê com microcefalia. Em 28 de novembro, o Ministério da Saúde confirmou que, quando gestantes são infectadas pelo vírus podem gerar crianças com microcefalia, uma malformação irreversível do cérebro que pode vir associada a danos mentais, visuais e auditivos. Pesquisadores confirmaram que a Síndrome de Guillain-Barré também pode ser ocasionada pelo Zika.

A microcefalia pode ter como causa diversos agentes infecciosos, além do Zika, como sífilis, toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e herpes viral.

Pesquisa do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) encontrou, pela primeira vez, mosquitos do Aedes aegypti infectados pelo vírus Zika na natureza, o que prova que o inseto é o transmissor da doença.

Agência Brasil
André Richter – Agência Brasil
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi eleito informalmente hoje (24) para presidir a Segunda Turma da Corte, colegiado responsável pelo julgamento dos processos oriundos da Operação Lava Jato.

A partir da próxima terça-feira (31), Mendes assumirá a cadeira, atualmente ocupada pelo ministro Dias Toffoli.

Cabe ao presidente da Turma definir o andamento dos trabalhos e a pauta de julgamentos. Mendes comandará a turma em função da renúncia do decano, Celso de Mello, que seria o próximo a assumir a presidência, cujo mandato é de um ano.

Também fazem parte da Segunda Turma a ministra Carmen Lúcia e o relator da Lava Jato, ministro Teori Zavascki.

Edição: Nádia Franco

Estamos muito preocupados com o cenário nacional e internacional. A postura da presidente Dilma está comprometendo a imagem do país no exterior. Há setores [estrangeiros] que não conhecem os detalhes constitucionais e podem estar sendo enganados, disse o ex-ministro Romero Jucá, ao Valor Econômico, em 20 de abril deste ano; hoje, jornais do mundo inteiro estão tomados pela confissão do próprio Jucá, que, em conversa com Sergio Machado, revelou que o impeachment foi uma trama de políticos corruptos para promover uma troca de governo e conter as investigações; tanto o New York Times como O Guardian, jornais mais influentes dos Estados Unidos e da Inglaterra, falam em conspiração.

247 – Nada como um dia após o outro. Um mês atrás, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) dizia que a presidente Dilma Rousseff manchava a imagem do País ao falar em golpe.

Hoje, jornais do mundo inteiro estampam o golpe em suas manchetes, depois que Jucá foi flagrado num áudio em que dizia ser necessário trocar o governo para que políticos corruptos estancassem a sangria das investigações.

Leia, abaixo, reportagem do Valor de um mês atrás:

Dilma mancha imagem do Brasil com tese de golpe, diz Jucá

Por Estevão Taiar, no Valor, em 20 de abril de 2016

SÃO PAULO  -  (Atualizada às 13h34) Presidente do PMDB, o senador Romero Jucá (RR) disse nesta quarta-feira que o governo Dilma Rousseff vem manchando a imagem do Brasil no exterior com o discurso de que o processo de impeachment da petista é um “golpe”. Ele afirmou que concederá uma entrevista coletiva a correspondentes estrangeiros em breve para expor a visão do PMDB sobre o processo. As declarações foram dadas após reunião com o vice-presidente da República, Michel Temer, em São Paulo.

“Estamos muito preocupados com o cenário nacional e internacional. A postura da presidente Dilma está comprometendo a imagem do país no exterior. Há setores [estrangeiros] que não conhecem os detalhes constitucionais e podem estar sendo enganados”, disse ele, reforçando que o processo de impeachment “foi aceito pelo STF” e que “não há nenhuma anormalidade”.

Jucá afirmou que a Operação Lava-Jato e a investigação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre as contas da chapa Dilma/Temer têm “todo o apoio” do PMDB, assim como as investigações envolvendo o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“Não coibiremos investigação, não há ninguém acima da lei”, disse. Ele afirmou que Temer “não teme” as investigações do TSE porque o líder pemedebista e a presidente Dilma “são pessoas distintas” de “partidos distintos”, portanto as acusações do tribunal não teriam a ver com Temer.

Ele negou que haja um acordo para salvar Cunha das acusações das quais é réu, mas não quis comentar as manobras feitas na Câmara para dificultar o processo contra o deputado carioca. “Isso é assunto interno da comissão de ética da Câmara”, disse. “Todo mundo têm o direito de se defender. Não há mal em ser acusado, mas sim condenado.”

Equipe de governo e eleições

Jucá afirmou ainda que Temer “está atuando” para montar uma eventual equipe de governo, mas que “nenhum convite foi feito”. “Não é uma espera paralisante. Ele está conversando com muitas pessoas, coletando informações, tem conversado com vários setores da área econômica”, afirmou.

Por fim, ele chamou de “manobra diversionista” as eventuais convocações de eleições antecipadas, como é defendido por membros do PT. “Isso, sim, é golpe. Qualquer redução ou ampliação de mandato é inconstitucional”, disse.

Também presente ao encontro, o aliado de Temer e ex-deputado federal Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) partiu para o ataque nesta quarta-feira e acusou a presidente Dilma de “denegrir” a imagem do Brasil ao classificar o processo de impeachment como um “golpe” contra seu governo.

“Eu acho que a presidente tem que parar com essa história de se vitimizar e denegrir a imagem do Brasil. A presidente tem que respeitar a Constituição e parar com essa conversa fiada de que houve um golpe”, disse Geddel. “O povo brasileiro precisa entender que houve, sim, crime de responsabilidade. Ela feriu a Constituição, feriu a Lei de Responsabilidade Fiscal.”

O pemedebista também criticou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que nos últimos dias exortou a militância petista a ir às ruas e recomendou ao PT que trate um eventual governo Temer como ilegítimo. Para Geddel, Lula, como ex-presidente, deveria estar “pregando a paz e o respeito à Constituição”, em vez de adotar o “discurso bobo do golpe”, tendo em vista que o processo de impeachment está sendo conduzido de acordo com a Constituição.

Geddel lembrou que o PT e Lula pediram o impeachment de tantos presidentes e dizem agora que é golpe. "Eram eles golpistas? Essa é a pergunta que eles têm que responder”, disse Geddel, que ocupou o ministério da Integração Nacional no segundo mandato de Lula.

O pemedebista ressaltou que, após a votação “pífia” obtida pelo governo na Câmara no último domingo, a presidente “perdeu as condições” de governar. Ao comentar o andamento do processo de impeachment, Geddel disse que o “Brasil quer pressa” e pediu “uma manifestação o mais rápido possível do Senado”, embora tudo tenha que ser feito dentro do que “determina a Constituição e o rito”.

Questionado sobre a montagem do ministério de um eventual governo Temer, Geddel disse que não há, em sua avaliação, “articulação ministerial”, mas “muita especulação” a respeito do assunto. Segundo o pemedebista, o vice-presidente está escutando a todos e montando um “mosaico” para, em caso de o Senado decidir pelo afastamento da presidente, “ter soluções para apresentar à sociedade brasileira”, dada a “gravidade” da crise econômica.
Maiana Diniz - Repórter da Agência Brasil*
Ônibus incendiado em São Luís Reprodução/TV Brasil
O governador do Maranhão, Flávio Dino, disse por meio de uma rede social (Twitter) na noite de sábado (21), que o Ministério da Justiça deferiu o pedido de auxílio da Força Nacional de Segurança para conter os ataques a ônibus em São Luís. “Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, deferiu nosso pedido e teremos o auxílio da Força Nacional de Segurança para conter essa quadrilha”, publicou o governador.

A assessoria de imprensa do Ministério da Justiça confirmou a informação e disse que a oficialização da ajuda será feita amanhã (23), quando também será decidido o número de homens que serão deslocados e a estratégia de atuação.

Desde a quinta-feira, quando os primeiros ônibus foram queimados na capital, foram feitas 14 tentativas de ataques e 38 pessoas foram presas. De acordo com a assessoria de imprensa do governo estadual, todo o contingente policial do estado, Civil e Militar, além do Corpo de Bombeiros, está mobilizado em resposta aos recentes ataques. O policiamento preventivo também foi intensificado.

A Força Nacional de Segurança Pública é um programa de cooperação em segurança pública, coordenado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça. A última vez que a Força Nacional esteve no Maranhão foi em 2014, após uma série de ataques a coletivos durante greve de policiais. De acordo com a assessoria do governo do estado, esse tipo de ataque não ocorria há 17 meses na capital.

Fim de semana

Desde ontem (21), a polícia tem atuado de forma ostensiva para evitar novas ações de criminosos contra o transporte público de São Luís e região metropolitana.

“A força do Estado não vai permitir o retorno dessas ações violentas. Todo o contingente policial do Maranhão está mobilizado. Aumentamos nossa atuação em todos os quadrantes da região metropolitana, muitos criminosos foram presos e isso vai continuar”, declarou o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela.

Na noite desse sábado, o governador Flávio Dino fez uma visita aos bairros da cidade para conferir o policiamento. Dino afirmou que “a polícia está presente para garantir a ordem pública”.

Na ocasião, o governador pediu o apoio dos moradores para evitar a disseminação de informações falsas, uma estratégia, segundo ele, utilizada pelas quadrilhas para espalhar o pânico e dificultar o trabalho de segurança.

* Colaborou Bianca Paiva, do Radiojornalismo

Novo ministro da Cultura, Marcelo Calero, afirma, sobre o recuo após pressão de artistas, que "o que ocorreu agora foi um ajuste, uma resposta a uma demanda da população"; ele promete agora "dialogar com a classe artística (...) e tentar fazer com que os fazedores de cultura se sintam representados no ministério", "independentemente do colorido político"

247 – O novo recuo do governo do presidente interino Michel Temer ao decidir recriar o Ministério da Cultura, após pressão da classe artística e ocupações em sedes da pasta em várias cidades do Brasil, "foi um ajuste" necessário, segundo o novo ministro da Cultura, o carioca Marcelo Calero, de 33 anos.

"O que ocorreu agora foi um ajuste, uma resposta a uma demanda da população", disse em entrevista ao jornal O Globo neste domingo. Calero promete agora "dialogar com a classe artística (...) e tentar fazer com que os fazedores de cultura se sintam representados no ministério".

Diante de muitas críticas ao governo Temer, ele promete ainda fazer "uma gestão absolutamente republicana, sem doutrinação, não partidarizada, para que o fazedor e cultura seja protagonista, independentemente do colorido político". Ele diz que a "filosofia" do novo governo é "preservar as conquistas adquiridas e trabalhar para aprofundá-las".
O "Jornal Nacional", da Globo, ignorou o atentado sofrido pela apresentadora da Record Ana Hickmann em um hotel de Belo Horizonte, na tarde deste sábado (21). O telejornal da emissora sequer citou uma das principais notícias do dia.

Jornal tendencioso
No Twitter, o jornalista Milton Neves encabeçou os protestos contra a Globo. "Mesquinharia ou Ibope avarento?Amiga Ana Hickmann, colega em meus tempos de Record, quase foi assassinada em BH e o 'Jornal Nacional' nada deu!", reclamou ele. "É verdade que o 'Jornal Nacional' nem falou de Ana Hickmann? Que absurdo. Que jornalismo é esse?!", questionou um outro internauta. "'Jornal Nacional' não deu destaque nenhum do caso da Ana Hickmann só porque ela é da Record", registrou um terceiro usuário, também via Twitter.

O atentado sofrido pela apresentadora da Record foi registrado no "MGTV", telejornal local da TV Globo Minas, com pelo menos 5 minutos de duração.

Ana Hickmann sofreu uma tentativa de homicídio na tarde deste sábado, em um hotel em Belo Horizonte (MG). O atirador invadiu o quarto onde ela estava hospedada e tinha intenção de disparar contra a apresentadora, segundo informações da Polícia Militar.

O atirador foi identificado pelo nome Rodrigo Augusto de Pádua, um rapaz de 30 anos, morador da cidade de Juiz de Fora (MG). Ele se dizia fã de Hickmann.

De acordo com o Boletim de Ocorrência, o suspeito estava no corredor do 9º andar do hotel, abordou o cunhado de Ana Hickmann, Gustavo, e o levou até o quarto. O suposto fã fez a apresentadora, o cunhado e sua mulher, assessora de Ana de reféns e obrigou os três a se sentarem de costas para ele, informou o programa da Band.

Em seguida, o indivíduo começou a destratar a vítima com palavras pejorativas e de baixo calão. O cunhado, Gustavo, levantou-se e foi em direção ao criminoso, Rodrigo, que efetuou dois disparos em direção da vítima, Ana Hickmann, informou o Boletim de Ocorrência. Dois tiros atingiram Giovana Oliveira, assessora de Ana e mulher de Gustavo.

Segundo o boletim, "as vítimas saíram correndo do apartamento, e Gustavo entrou em luta corporal, conseguindo desarmar o agressor".

Ana Hickmann irá ao hospital saber o estado de saúde da assessora e, em seguida, deverá prestar depoimento no 22º Batalhão da Polícia Militar.

Comunicado

A Record enviou um comunicado à imprensa, no qual se solidariza com a apresentadora Ana Hickmann.

"Neste sábado, dia 21/05, a apresentadora do programa 'Hoje em Dia', Ana Hickmann, foi vítima de um atentado em um hotel de Belo Horizonte . Um homem armado conseguiu entrar no quarto em que ela estava hospedada e efetuou disparos. Ana não foi atingida. Os tiros atingiram a cunhada de Ana, Giovana Oliveira, que foi socorrida e levada para um hospital da capital mineira.

Ana Hickmann e seu cunhado, Gustavo Correa, estão bem.


Neste momento, a Record deseja a mais rápida recuperação de Giovana e informa que Ana, apesar de tudo o que aconteceu, está se recuperando desta absurda situação."

UOL