ELEIÇÕES 2024: Ciro Gomes, vai concorrer ao Paço Municipal?

Comenta-se nos bastidores da política cearense, que existe uma pesquisa que não foi divulgada oficialmente, e "ela" aponta o Ciro Gomes disparado em todas as situações e contra todos os outros pré-candidatos.

Isso não me causa espanto, até porque, Ciro é um político super preparado e com vasta experiência na administração pública.

Ciro é advogado, professor universitário e político brasileiro, filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT), do qual é vice-presidente. Ocupou altos cargos políticos no país: foi deputado estadual por duas legislaturas no Ceará, o 43.º prefeito de Fortaleza, o 52.º governador do Ceará, ministro da Fazenda do Governo Itamar Franco durante a implantação do Plano Real, e ministro da Integração Nacional durante o projeto de transposição do Rio São Francisco no governo de Lula. Seu último mandato político foi de deputado federal entre 2007 e 2011.

Radicado em Sobral, Ceará, cidade de sua família paterna, Ciro é formado em direito pela Universidade Federal do Ceará. Foi professor de direito tributário e direito constitucional, escrevendo quatro livros na área de economia política: 

  • No País dos Conflitos (1994); 
  • O Próximo Passo — Uma Alternativa Prática ao Neoliberalismo (1995); 
  • Um Desafio Chamado Brasil (2002) e 
  • Projeto Nacional: O Dever da Esperança (2020).

Também atuou como pesquisador visitante na Harvard Law School.

No setor privado, foi presidente da Transnordestina S/A e um dos diretores da Companhia Siderúrgica Nacional. Em 2017, Ciro tornou-se vice-presidente nacional do PDT. Foi candidato à presidência da República na eleição presidencial de 2018, ficando em terceiro lugar com 13 milhões de votos. No ano seguinte, revelou que concorreria novamente à presidência do Brasil em 2022. Em janeiro de 2022, Ciro Gomes lançou oficialmente sua pré-candidatura à presidência da República.

Tornou-se o segundo mais jovem governador do país na época (março de 1991). Foi um incentivador da criação de micro e pequenas empresas no estado, e deu prosseguimento a redução da máquina administrativa, iniciado na gestão de Tasso. Também combateu a sonegação de impostos e aumentou a arrecadação estadual. Sua gestão o transformou no mais popular dos governadores do Brasil, com 74% de aprovação de acordo com o Datafolha, em pesquisa de julho de 1992, e foi relacionado pela revista Time como uma das 100 lideranças emergentes no cenário mundial.

Um importante marco do governo de Ciro foi a reestruturação das Secretarias de Governo, colocadas nas mãos de jovens técnicos em substituição aos políticos. Segundo dados coletados por Washington Bonfim, 71% das Secretarias de Ciro eram comandadas por técnicos e pouco mais de 17% por políticos. Com essa estratégia o governador buscou aliados em setores organizados da sociedade, e adotou formas participativas de gestão.

Ciro, ao deixar o Governo do Estado do Ceará, recusou a pensão de governador vitalícia a que tinha direito. Já havia recusado também a pensão vitalícia de ex-prefeito de Fortaleza, combinando a negação de duas aposentadorias vitalícias. Ficou no posto entre 1991 e 1994, e foi na época o governador mais bem avaliado do Brasil segundo as sucessivas pesquisas do Datafolha.

Sem falar que tem ótima oratória, sabe dialogar e tem conhecimento sobre política e economia em qualquer situação. Assim interpreto como um sério candidato.

Recentemente presenciamos um racha que aconteceu dentro do PDT, e por essa questão, acredito que possa vir a ser o candidato do partido e mostrar também sua força política, assim teremos um grande embate político em 2024.

Quem arrisca?!

Post a Comment

Aviso aos internautas:
Quando você comenta como anônimo, sua opinião não tem nenhum valor e não será publicada. Portanto pedimos aos nossos leitores que ao fazer comentários se identifiquem.
A sua opinião é muito importante para nós.

Postagem Anterior Próxima Postagem