Deputados solicitam punição à Vai-Vai com bloqueio de verbas públicas

Controvérsia em torno do desfile da Vai-Vai no sambódromo do Anhembi surgiu devido a uma ala específica que gerou polêmica

 Portal GCMAIS


Deputados solicitam punição à Vai-Vai com bloqueio de verbas públicas. Foto: Reprodução

Os deputados federais Capitão Augusto (PL-SP) e Dani Alonso, representantes do mesmo partido, tomaram uma medida em relação a enredo da escola de samba Vai-Vai após o desfile no último sábado (10). Os parlamentares encaminharam ofícios ao governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, e ao prefeito da capital paulista, Ricardo Nunes, solicitando a aplicação de punições à agremiação, incluindo o bloqueio de verbas públicas para o próximo ano.

A controvérsia em torno do desfile da Vai-Vai no sambódromo do Anhembi surgiu devido a uma ala específica que gerou polêmica. Com o enredo “Capítulo 4, Versículo 3 – Da Rua e do Povo, o Hip Hop: Um Manifesto Paulistano”, a escola apresentou uma representação dos policiais do batalhão de choque da polícia paulista, adornados com chifres e asas vermelho-alaranjadas, em alusão ao disco “Sobrevivendo no Inferno” dos Racionais MC’s, lançado em 1997. O disco denuncia a violência policial, especialmente contra jovens negros, como na canção “Capítulo 4, Versículo 3”.

Deputados solicitam punição à Vai-Vai

No ofício endereçado a Tarcísio de Freitas, Capitão Augusto propõe que a Vai-Vai seja privada de receber recursos públicos no próximo ano fiscal como forma de sanção pela sua conduta considerada irresponsável e ofensiva. O mesmo pedido foi feito ao prefeito Ricardo Nunes. Embora Nunes tenha afirmado não ter recebido oficialmente o ofício, ele se comprometeu a analisar a solicitação dos parlamentares.

A associação da ala da Vai-Vai com a Polícia Militar gerou indignação entre policiais e políticos, com protestos e críticas. O deputado Alberto Fraga (PL-DF), presidente da bancada da bala, questionou: “A que ponto chegamos?” Enquanto isso, o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) condenou o desfile, alegando que a escola tratou com desrespeito a figura dos agentes da lei.

A Vai-Vai explicou o enredo em nota divulgada na última segunda-feira (12):

“A ala retratada no desfile de sábado, da escola de samba Vai-Vai, à luz da liberdade e ludicidade que o Carnaval permite, fez uma justa homenagem ao álbum e ao próprio Racionais MC’s, sem a intenção de promover qualquer tipo de ataque individualizado ou provocação, mas sim uma ala, como as outras 19 apresentadas pela escola, que homenageiam um movimento.

Vale ressaltar que, neste recorte histórico da década de 90, a segurança pública no estado de São Paulo era uma questão importante e latente, com índices altíssimos de mortalidade da população preta e periférica. Além disso, é de conhecimento público que os precursores do movimento hip hop no Brasil eram marginalizados e tratados como vagabundo, sofrendo repressão e, sendo presos, muitas vezes, apenas por dançarem e adotarem um estilo de vestimenta considerado inadequado pra época. Ou seja, o que a escola fez, na avenida, foi inserir o álbum e os acontecimentos históricos no contexto que eles ocorreram, no enredo do desfile”.


Post a Comment

Aviso aos internautas:
Quando você comenta como anônimo, sua opinião não tem nenhum valor e não será publicada. Portanto pedimos aos nossos leitores que ao fazer comentários se identifiquem.
A sua opinião é muito importante para nós.

Postagem Anterior Próxima Postagem