Ciro Gomes implode o PDT Ceará

Ciro Gomes realizou uma verdadeira proeza. Depois do humilhante quarto lugar nas eleições presidenciais, atrás de Simone Tebet, seria difícil conquistar um fracasso maior que os 3% obtidos em 2022. Mas Ciro foi atrás e bum. Depois de uma campanha que durou meses, em que mesclou agressões violentíssimas contra o senador Camilo Santana, contra o […]

Por Miguel do Rosário

Os candidatos do PDT, Ciro Gomes, e do PL, o presidente Jair Bolsonaro, durante debate da TV Globo Reprodução/Twitter

Depois de uma campanha que durou meses, em que mesclou agressões violentíssimas contra o senador Camilo Santana, contra o seu próprio irmão, contra o governo Elmano de Freitas e o presidente Lula, contra quase todos os parlamentares do PDT cearense, contra seu próprio partido, a um vitimismo incrivelmente cínico, em que acusa de “traição” a todos aqueles que se recusaram a se juntar a ele no suicídio político que praticou em 2022, Ciro Gomes finalmente conseguiu implodir o PDT Ceará.

O terremoto afeta o PDT nacional. Uma debandada desse porte, em que praticamente o partido inteiro do estado do Ceará pede desfiliação, pode ter um efeito cascata em todos os estados.

O presidente nacional do PDT, André Figueiredo, diz que irá judicializar. Mas é uma batalha perdida, porque o próprio Ciro Gomes prestou enorme ajuda a todos esses deputados ansiosos por se distanciarem da figura tóxica do ex-candidato a presidente. Seus insultos a esses correligionários durante a recente convenção nacional do partido, no Rio de Janeiro, serão usados por eles para obter justa causa na desfiliação e manter seus mandatos.

A vitória de Evandro Leitão na justiça eleitoral do Ceará, por sua vez, criou jurisprudência. Se um conseguiu se desfilar, então todo mundo deveria também conseguir.

Entretanto, independente da decisão da justiça eleitoral, a simples notícia da debandada já representa uma gigantesca derrota para Ciro Gomes e André Figueiredo.

Difícil entender, a propósito, porque André Figueiredo e Carlos Lupi tenham preferido se aliar a Ciro Gomes, que não tem cargo, não tem mais influência nacional e se tornou uma espécie de atração de circo da extrema-direita, que usa suas falas para atacar o campo progressista, nesse embate contra a esmagadora maioria dos parlamentares e prefeitos do PDT Ceará.

Em participação recente na convenção do PSDB cearense, Ciro Gomes atacou o próprio partido, ao afirmar que “esse pedaço aqui do PDT não aceita suborno”, ou seja, insinuando que a outra parte do PDT, a maioria do partido, aceita… Ciro também atacou o governo Elmano, onde muitos de seus correligionários trabalham, e a maioria apoia, ao afirmar, sem provas, que nenhuma obra no Ceará é feita sem propina.

Romeu Aldigueri, deputado estadual do PDT cearense, e líder do governo Elmano na Assembleia Legislativa do estado, anunciou que cerca de 50 prefeitos cearenses, aliados do senador Cid Gomes, devem abandonar o partido após aprovação de anuências a parlamentares. A debandada inclui também nomes importantes da Câmara dos Deputados e da Assembleia Legislativa, assim como dois vereadores de Fortaleza.

O presidente estadual e nacional do PDT, André Figueiredo, agora está absolutamente isolado no Ceará, já que agora é o único deputado federal do partido que se mantém fiel a Ciro Gomes.

A lista de parlamentares que solicitaram permissão para sair do PDT mostra um quadro de devastação. Até mesmo o “economista prodígio” de Ciro, aquele que seria seu ministro da Fazenda, o deputado Mauro Benevides Filho, pediu para sair do PDT. Sua irmã, Lia Gomes, deputada estadual, também pediu para sair. E o prefeito de Sobral, Ivo Gomes, já avisou em suas redes que irá para onde Cid for…

Confira a lista de parlamentares que pediram para sair do PDT

Deputados Federais:

  • Eduardo Bismarck
  • Idilvan Alencar
  • Mauro Filho
  • Robério Monteiro

Deputados Estaduais:

  • Evandro Leitão
  • Guilherme Landim
  • Jeová Mota
  • Lia Gomes
  • Marcos Sobreira
  • Oriel Filho
  • Osmar Baquit
  • Romeu Aldigueri
  • Salmito
  • Sérgio Aguiar

Vereadores:

  • Ana Paula Brandão
  • Júlio Brizzi

Suplentes:

  • Helaine Coelho
  • Nilson Diniz
  • Leônidas Cristino (em exercício)
  • Bruno Pedrosa (em exercício)
  • Antônio Granja (em exercício)
  • Guilherme Bismarck (em exercício)
  • Tin Gomes

No PDT Ceará ficam apenas o deputado federal André Figueiredo e os deputados estaduais mais próximos a Ciro Gomes, como Claudio Pinho, Antonio Henrique e Queiroz Filho, além do ex prefeito Roberto Cláudio e o prefeito atual de Fortaleza Sarto Nogueira. A situação atualmente aguarda a decisão da Justiça, e apenas após isso, as tratativas para novas filiações serão concretizadas.

No final, a piada de que o PDT "cirista" irá caber num fusca não era exagero. Ficam apenas 4 parlamentares no partido, dois na frente e dois atrás.

O movimento causa um estrago enorme, naturalmente, nas pretensões do prefeito José Sarto de se reeleger em Fortaleza, porque todos esses quadros do PDT que estão de saída deixaram claro, com o próprio pedido, que deverão se reunir em torno do candidato a ser apoiado por Cid Gomes, e que fatalmente não será Sarto. Não é difícil prever que Sarto terá dificuldade até mesmo para chegar ao segundo turno, quanto mais de vencer.



Post a Comment

Aviso aos internautas:
Quando você comenta como anônimo, sua opinião não tem nenhum valor e não será publicada. Portanto pedimos aos nossos leitores que ao fazer comentários se identifiquem.
A sua opinião é muito importante para nós.

Postagem Anterior Próxima Postagem