Preços médios da gasolina e do etanol voltam a subir nos postos após ciclo de queda, diz ANP

Pesquisa é referente à semana de 4 a 10 de junho. Calculadora do g1 te ajuda a escolher a opção mais vantajosa na hora de abastecer.

Por André Catto, g1

Combustíveis, gasolina — 📷: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os preços médios da gasolina e do etanol voltaram a subir nos postos do Brasil após quatro semanas seguidas de queda. É o que mostram dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgados nesta terça-feira (13). A pesquisa é referente à semana de 4 a 10 de junho.

Confira mais abaixo, na calculadora, qual a opção mais vantajosa na hora de abastecer.

▶️ Gasolina: O combustível foi comercializado, em média, a R$ 5,42 o litro.

    O valor representa uma alta de 4% frente aos R$ 5,21 da semana anterior, segundo os dados da ANP.
    O preço máximo do combustível encontrado nos postos foi de R$ 7.

▶️ Etanol: O preço médio do etanol, por sua vez, subiu para R$ 3,80 na última semana.

    O avanço foi de 0,79% em relação aos R$ 3,77 da semana anterior.
    O preço mais alto identificado pela ANP foi de R$ 5,99.

▶️ Diesel: Já o litro do diesel caiu pela 18ª semana seguida: foi de R$ 5,10 para R$ 5,08.

    A queda no preço do combustível foi de 0,39%.
    O valor mais caro encontrado pela agência na semana foi de R$ 7,19.

Como funciona a calculadora?

O cálculo médio é feito a partir do preço e do rendimento de cada combustível. Com a oscilação dos valores da gasolina e do etanol nos postos, a opção mais vantajosa pode variar.

Segundo especialistas, o etanol vale mais a pena quando está custando até 70% do preço da gasolina. Entenda o cálculo.

ICMS sobre gasolina

Passou a valer em 1º de junho a alteração no formato de cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre a gasolina nos estados brasileiros.

A mudança estabeleceu a cobrança do tributo estadual com uma alíquota fixa (em reais) de R$ 1,22 por litro. O valor é válido para todos os estados.

A medida — que, na semana de 28 de maio a 3 de junho, não tinha gerado reflexos nos valores encontrados pela ANP — já começa a impactar os preços nas bombas, mostra o levantamento atual.

Redução nos combustíveis

A Petrobras anunciou, no dia 16 de maio, redução no preço da gasolina e do diesel para as distribuidoras. A medida passou a valer no dia seguinte.

Os preços praticados pelos postos de combustíveis levam em conta, além dos impostos, o lucro das distribuidoras e de revendedoras.

  • A redução no preço da gasolina pela Petrobras foi de R$ 0,40 por litro, queda de 12,6%;
  • A redução no preço do diesel pela estatal foi de R$ 0,44 por litro, queda de 12,8%.

Com esses reajustes, os dois combustíveis passaram a ter o menor valor nas refinarias desde agosto de 2021.

Também no dia 16, a Petrobras anunciou uma mudança na sua política de preços. Desde então, a estatal não obedece mais à política de paridade internacional (PPI), que reajustava o preço dos combustíveis com base nas variações do dólar e da cotação do petróleo no exterior.

Agora, a empresa levará dois pontos como referência para a determinação dos seus preços:

  1. o custo alternativo do cliente, como valor a ser priorizado na precificação;
  2. o valor marginal para a Petrobras.

Os resultados contabilizados pela ANP também foram divulgados mais de dois meses após a retomada de impostos federais sobre gasolina e etanol — medida que passou a valer em 1º de março.

Até então, o último reajuste anunciado pela Petrobras no preço do diesel às distribuidoras havia sido no dia 28 de abril. O valor passou de R$ 3,84 para R$ 3,46 por litro, uma queda de R$ 0,38 ou 9,9%, a partir do dia seguinte.

g1

Post a Comment

Aviso aos internautas:
Quando você comenta como anônimo, sua opinião não tem nenhum valor e não será publicada. Portanto pedimos aos nossos leitores que ao fazer comentários se identifiquem.
A sua opinião é muito importante para nós.

Postagem Anterior Próxima Postagem