PL pode perder metade dos vereadores na Câmara de Fortaleza com janela partidária de 2024

Sinalização acontece a pouco mais de dois meses da abertura do prazo de troca de partido por políticos com mandatos proporcionais que vão concorrer ao pleito

Escrito por Bruno Leite , bruno.leite@svm.com.br

PONTOPODER

Vereadores do PL. Foto: Reprodução / CMFor

Ao menos três vereadores do Partido Liberal (PL) que compõem o quadro de membros da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) devem deixar a legenda durante a janela eleitoral. Se confirmada a sinalização, feita pelos próprios parlamentares, o grupo perderá metade dos seus componentes no Legislativo da Capital. 

A movimentação acontece a pouco mais de dois meses da abertura da janela partidária, que terá início no dia 6 de março e permitirá aos políticos com mandatos proporcionais trocarem de agremiação para concorrerem a cargos eletivos no pleito.

VEJA TAMBÉM

O vereador Bruno Mesquita foi um dos que confirmaram a possibilidade. “Como já anunciei na tribuna, o PL que fui convidado era o do deputado Júnior Mano e do prefeito Acilon Gonçalves, como eles não estão no comando do partido, já avisei que, quando abrir a janela partidária, irei sair e procurar outro destino”, disse o político.

Ao que disse o liberal, a agenda política que defende é “antagônica” à do pré-candidato à Prefeitura de Fortaleza pelo seu partido, André Fernandes. “A candidatura do André não me atende em nenhum quesito. Não me sinto representado pelo deputado. Não tenho ligação com 'candidatos de internet', tenho com candidatos que fazem alguma coisa pelo povo, que têm um projeto político para a cidade”, salientou, afirmando que a discordância não tem nenhum cunho pessoal. 

O esforço que está fazendo agora, alegou Mesquita, é de estudar quais alternativas se adequam melhor ao seu propósito como legislador e, no momento ideal, tomar a iniciativa de mudar de casa. A despedida poderia ocorrer de maneira casada, com outra correligionária: “A vereadora Ana do Aracapé já me disse que não fica no PL”, indicou.

Questionada sobre o assunto, Ana do Aracapé confirmou o que foi dito pelo colega. “Estou ainda naquele trâmite de avaliação”, declarou à reportagem. “Com certeza eu saio do PL. Ainda não sei o partido (a que vai se filiar), estou no levantamento, para me posicionar melhor e ver a situação”, falou, revelando que já iniciou conversas com outras siglas.

"A Priscila (Costa) permanece e o Inspetor (Alberto) também", avaliou Acarapé, mencionando também um possível êxodo de Tia Francisca das fileiras da comissão provisória que estrutura o Partido Liberal na Capital. 

Segundo ela, sem detalhar o assunto, são muitas as motivações para a mudança. Aliada ao prefeito do Aquiraz, Bruno Gonçalves, a parlamentar comentou que ainda não teve um encontro para tratar o tema. “Ainda não conversei com o Acilon. Tenho uma proximidade muito grande e até aguardo pela conversa com ele, principalmente com o filho dele, o Bruno Gonçalves”, completou. 

Apesar do destino ainda ser desconhecido, nas palavras de Ana do Acarapé, uma coisa é certa: a permanência na base do governo pedetista. "Sou gestão, 100% gestão Sarto. Minha preferência é ir para um (partido) totalmente na base", definiu a entrevistada. 

Nos bastidores, outra despedida é cogitada, a do vereador Pedro Matos, filho do ex-deputado federal Raimundo Gomes de Matos, atual presidente da Fundação da Criança e da Família Cidadã (Funci).

Consultado, no entanto, ele negou que tenha tal pretensão: "Até o momento não tenho discutido saída do PL e pretendo permanecer. Vou deixar pra analisar alguma mudança somente na janela partidária", disse Pedro Matos.

A reportagem tentou contato com a assessoria de imprensa da vereadora Tia Francisca, para que pudesse se manifestar sobre a possível desfiliação apontada pela companheira de plenário. Não houve nenhuma devolutiva até o texto ser publicado. O conteúdo será atualizado quando houver uma resposta.

Procurado, o presidente do PL Fortaleza e pré-candidato ao Paço Municipal pelo partido, o deputado federal André Fernandes, apontou ter ciência das baixas. "Algumas pessoas que foram eleitas pelo PL antes de Bolsonaro integrar e que não comungam com as mesmas ideias e que provavelmente sairão por conta disso, assim como outras também irão entrar", discorreu.

Diário do Nordeste

Post a Comment

Aviso aos internautas:
Quando você comenta como anônimo, sua opinião não tem nenhum valor e não será publicada. Portanto pedimos aos nossos leitores que ao fazer comentários se identifiquem.
A sua opinião é muito importante para nós.

Postagem Anterior Próxima Postagem