Justiça recebe denúncia do MPCE contra empresário e ex-servidores por desvio de recursos públicos no município de Pedra Branca

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), em conjunto com a Promotoria de Justiça de Pedra Branca, apresentou denúncia contra ex-agentes públicos municipais e o sócio da empresa Garra Construções pelo crime de peculato. De acordo com a denúncia, os crimes foram cometidos no município de Pedra Branca nos anos de 2009 a 2013.

As investigações do MPCE relatam que o dono da GARRA Construções, Paulo Franklin de Aragão Rodrigues, recebia pagamentos das prefeituras por supostas obras de engenharia realizadas nos municípios e parte dos recursos era repassada para os servidores denunciados. Apesar de ter faturado cerca de R$ 14 milhões, até novembro de 2011, a empresa não tinha, até 2010, nenhum registro de trabalhadores no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho. Entre os anos de 2007 e 2018, a empresa recebeu a quantia de R$ 58.310.113,49 de diversos municípios do Estado do Ceará.

De acordo com a denúncia, em Pedra Branca, o MP apurou que o crime foi cometido em benefício do então servidor público Lucas Pereira Mendes, filho do então prefeito do município, Antônio Góis; além do, à época, servidor público, Edmilson Mendes Viana, e da então vereadora Elis Regina Barros Lins. Outra denúncia já havia sido apresentada em 2019 (0000604-14.2019.8.06.0143), no município de Pedra Branca, em desfavor de seis investigados de envolvimento no esquema: o então prefeito Antônio Góis Monteiro Mendes , o empresário, Paulo Franklin de Aragão Rodrigues; o ex-secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente de Pedra Branca, Francisco Pontes Pereira; os servidores Marcílio Alcântara da Silva, Juarez Frutuoso da Silva e Paulo José Martins de Lima; e o ex-assessor José Sérgio Azevedo Castelo.

MPCE

Post a Comment

Aviso aos internautas:
Quando você comenta como anônimo, sua opinião não tem nenhum valor e não será publicada. Portanto pedimos aos nossos leitores que ao fazer comentários se identifiquem.
A sua opinião é muito importante para nós.

Postagem Anterior Próxima Postagem