Orçamento secreto abriu as portas para a corrupção, diz senador

Alessandro Vieira participou da primeira ação no STF contra orçamento secreto; Congresso atuou "fora dos limites da Constituição", disse

Eduardo Barretto / Metrópoles

Alessandro VieiraAgência Senado

O senador Alessandro Vieira afirmou nesta segunda-feira (19/12) que o orçamento secreto abriu as portas para a corrupção durante o governo Bolsonaro, e que o Congresso agiu fora dos limites da Constituição. Mais cedo, o STF derrubou o orçamento secreto por seis votos a cinco.

Vieira participou da primeira ação judicial no Supremo que pedia a suspensão do orçamento secreto, ainda em junho de 2021. À época, o Cidadania, partido de Vieira, recuou e tentou desistir do processo, o que fez o senador sair da legenda.

Mais sobre o assunto

“Quando o Legislativo atua fora dos limites da Constituição, é obrigação do Judiciário agir. O orçamento secreto se transformou no principal esquema das lideranças fisiológicas do Congresso, lideradas por Arthur Lira e Rodrigo Pacheco. Se apropriaram de cerca de R$ 20 bilhões anuais, fazendo uma distribuição por critérios não republicanos”, disse Vieira.

“Quando você não tem transparência, abre as portas para a corrupção. Quando usa critérios eleitoreiros ou políticos, fugindo das programações dos ministérios, quebra totalmente a possibilidade de fiscalização. E isso também abre as portas para a corrupção”, acrescentou o senador e ex-chefe da Polícia Civil de Sergipe.

Metrópoles

Post a Comment

Aviso aos internautas:
Quando você comenta como anônimo, sua opinião não tem nenhum valor e não será publicada. Portanto pedimos aos nossos leitores que ao fazer comentários se identifiquem.
A sua opinião é muito importante para nós.

Postagem Anterior Próxima Postagem