EDITOR RESPONSÁVEL: JORNALISTA CLOVIS ALMEIDA - MTE/3416 - CE

Água para consumo humano e gado no mesmo lugar não combinam

Escrito por Junior Pentecoste. Publicado em Ceará

 
A nossa preocupação primeira é o consumo humano, a situação dos grandes reservatórios é preocupante e alguns gestores são omissos com o problema, por isso, temos que continuar com a fiscalização, fazendo denúncias e cobrando soluções para o problema que afeta todos.
 
O Ceará tem sofrido com a falta de chuvas em algumas regiões do estado, isso tem comprometido o armazenamento de água em seus reservatórios, com isso, a população fica prejudicada, no consumo de água com qualidade, pois estão usando muitos produtos químicos para que essa água possa chegar às torneiras. 
 
A água é considerada um solvente universal com alto potencial de contaminação, pois tem a propriedade de solubilizar muitas substâncias. Além das substâncias químicas, outros compostos, mesmo em suspensão, também podem contaminá-la. Por isso, retirar os elementos químicos que foram dissolvidos na água é uma tarefa extremamente complexa, “no Brasil quem estabelece quais substâncias devem ser monitoradas e os limites aceitáveis é o Ministério da Saúde, através da portaria de potabilidade. Atualmente está em vigor a Portaria 2914. Dentre as várias substâncias químicas citadas na portaria, podemos citar os surfactantes (detergentes) como um dos mais difíceis de remover nas estações de tratamento”.
 
A água armazenada em muitos açudes do Ceará está com a qualidade comprometida, águas com algum material indesejável, devemos levar em conta a deterioração da qualidade da água, que pode ficar com aspecto esverdeado e mal cheiroso, causando a morte de peixes e favorecer o surgimento de plantas aquáticas. Além disso, a água nessas condições demanda mais tratamento, o que aumenta o custo do processo. Isso é justificativa da Cagece para reajuste na conta de água e consequentemente é repassado para o consumidor.
 
Os açudes do semiárido costumam ter esses problemas devido à baixa renovação das águas. A estiagem é um fator extremamente relevante na deterioração da qualidade da água, os principais geradores da contaminação para os reservatórios são descargas de esgotos domésticos e industriais, afluência de partículas dos solos, criação de gado no entorno dos açudes e piscicultura. O Açude Pereira de Miranda, também sofre com boa parte deste problema, principalmente com vários tipos de animais, fazendo um verdadeiro pasto no Açude.
 
Gado pastando, urinando e defecando no Açude Pereira de Miranda,
a pouca água que ainda resta para consumo humano de muitas pessoas.
Imagens: "Junior Pentecoste"
 
Denominamos de água contaminada aquela que é capaz de colocar em risco a saúde da população graças à presença de agentes patogênicos, tais como bactérias e protozoários, e substâncias tóxicas, como metais pesados. Essa água, diferentemente da potável, não deve ser utilizada para consumo humano e nem mesmo para fins recreativos.
 
De uma maneira simplificada, podemos dizer que a água contaminada é um tipo de água poluída que provoca problemas à saúde. Sendo assim, podemos concluir que toda água contaminada é poluída, mas nem toda água poluída está contaminada.
 
Dentre as principais doenças desencadeadas pela água contaminada, destaca-se a diarreia. Todos os anos, milhões de pessoas, principalmente crianças, morrem em consequência dessa doença provocada pelo consumo de água imprópria. O maior número de mortes encontra-se entre pessoas de baixa renda, em virtude, muitas vezes, de saneamento básico precário, ou inexistente, como é o caso do entorno do Açude Pereira de Miranda em Pentecoste. Além da diarreia, outras doenças que podem ser transmitidas pela água contaminada são a giardíase, leptospirose, cólera e febre tifoide.
 

Um médico que trabalha em Pentecoste - CE, disse:

 

"Muitas doenças que ainda vão aparecer na população, será em decorrência da situação crítica em que se encontra o Açude do município. Muitos animais pastando, urinando e defecando, na pouca água (para consumo humano) que ainda se encontra no Açude".

Inúmeras são as doenças causadas pela água contaminada por dejetos humanos e de outros animais.

DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA
 
As doenças relacionadas à água contaminada são chamadas de doenças de veiculação hídrica e podem ser transmitidas de diferentes maneiras:
 
Diretamente, pela ingestão de água contaminada com urina ou fezes de animais contendo microrganismos que podem causar doenças {microrganismos patogênicos). Um exemplo de bactéria que pode ser transmitida pelo consumo de água contaminada é a Salmonella, que causa diarreia, cólicas e dores de cabeça em seres humanos. Diarreia infecciosa: Vários vírus, germes, parasitas e bactérias podem contaminar a água, na maioria das vezes pela via fecal-oral, e causar quadros bem graves de diarreia.
Provocadas pela falta de higiene pessoal ou pelo contato da pele e dos olhos com água contaminada. As pessoas podem ter contato com essa água brincando ou comendo alimentos que foram contaminados com ela.
Por vetores (seres que transportam agentes causadores de doenças, como vírus e bactérias, por exemplo) que se reproduzem na água, como alguns mosquitos.
 
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo, a cada oito segundos, morre uma criança devido a doenças relacionadas com a água. Por ano, o número de mortes devido a doenças relacionadas ao consumo de água não potável, falta de higiene ou falta de coleta de esgoto chega a cinco milhões de pessoas. Esses dados são preocupantes e servem para nos alertar sobre os cuidados necessários para evitar as doenças de veiculação hídrica.
 
Se todos pudessem lavar as mãos adequadamente, 1 milhão de mortes relacionadas a doenças de veiculação hídrica seriam evitadas por ano em todo o mundo.

A água contaminada, geralmente por fezes de animais, é uma grande vilã, que provoca graves doenças nos seres humanos. A contaminação pode se dar pela ingestão de alimentos infectados pela água durante o seu preparo ou pelo contato com a pele, durante o banho ou qualquer outra atividade.

A falta de saneamento básico (rede de esgoto ou falta de água tratada) também é parte integrante do processo de contaminação, atingindo rios, lagos, mananciais, açudes e até mesmo o mar. Esse processo se estende também para além da água, pois a contaminação e doenças podem vir de parasitas ou mosquitos que se reproduzem na água parada, como é o caso da dengue e da febre amarela. Em outros aspectos, há a contaminação da água por produtos químicos, como chumbo e flúor, que se ingeridos ou em contato com a pele, também podem provocar diversos problemas a saúde.

Algumas doenças infecciosas transmitidas pela água

Cólera

Causada pela bactéria Vibrio Cholerae, caracteriza-se por um caso grave de diarreia aquosa, levando rapidamente à desidratação. Pode ser adquirida também por via fecal-oral, por meio de água ou alimentos contaminados.

Diarreia Infecciosa

Vários vírus, germes, parasitas e bactérias podem contaminar a água, na maioria das vezes pela via fecal-oral, e causar quadros bem graves de diarreia.

Hepatite A

A Hepatite A é uma infecção viral cuja transmissão se dá pela via fecal-oral, contaminando alimentos através da falta de higiene ou do contato das fezes infectadas com a água, onde não há saneamento básico. Alguns dos sintomas são: diarreia, náusea, perda de apetite, febre, dores pelo corpo e vômitos. Uma semana após o contágio e o aparecimento dos sintomas, o paciente apresenta a icterícia, cujos sintomas são pele e olhos amarelados.

Esquistossomose

Conhecida também como doença do caramujo ou barriga d’ água, a esquistossomose é uma infecção transmitida pelo parasita Schistosoma, que vive em águas povoadas pelo caramujo e contaminada por fezes.

Leptospirose

Transmitida principalmente pelos ratos de esgoto, a leptospirose se dá por diversas formas, sendo a principal, pelo contato direto da pele humana com a água contaminada pela urina dos roedores. Febre alta, calafrios, dores pelo corpo, diarreia, náuseas e vômitos são alguns dos sintomas da doença, além da vermelhidão acentuada dos olhos.
 
Diante desta panorâmica, procuramos mostrar os riscos da população, não só de Pentecoste - CE, mas de qualquer lugar, em que consumir água contaminada e isso tráz sérios problemas de saúde. Aproveitamos também para chamar atenção do prefeito de Pentecoste, para que possa contribuir junto ao DNOCS, a retirada e a devida fiscalização para evitar a presença de gado entorno da pouca água do Açude Pereira de Miranda.
 
Assim esperamos o devido respeito com o ser humano e o cumprimento da PORTARIA Nº 2.914, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011, que dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.
 

Tags: abastecimento de água Ceará contaminação saúde doenças pentecoste - ceará fezes de animal

INTERNET DE QUALIDADE - CLICK NA IMAGEM